Além-mar Rachel Verano rodou o mundo, mas foi por Portugal que essa mineira caiu de amores e lá se vão, entre idas e vindas, quase dez anos. Do Algarve a Trás-os-Montes, aqui ela esquadrinha as descobertas pelo país que escolheu para chamar de seu

TOP 10 restaurantes de Portugal, por Rafael Tonon

Quer comer muito bem em Lisboa, Porto, Santarém, Algarve, Alentejo, Trás-os-Montes e Ilha da Madeira? Traga esta lista preciosa na próxima viagem a Portugal

Por Rachel Verano Atualizado em 1 dez 2021, 07h57 - Publicado em 24 nov 2021, 16h25
Dois homens serram um grande pedaço de carne crua com um serrote no balcão de um restaurante na Ilha da Madeira, em Portugal
O balcão do Kampo, no Funchal: o número 1 na Madeira, segundo Rafael. Crédito: Bruno Barata/Reprodução

O paulista Rafael Tonon é um dos grandes nomes brasileiros das safras mais recentes do jornalismo gastronômico. Autor do livro As revoluções da comida: o impacto de nossas escolhas à mesa, publicado em maio deste ano pela Todavia, ele escreve frequentemente em veículos como o Eater, o maior portal de gastronomia dos Estados Unidos, Vice, Slate, Fine Dining Lovers e também para a VT (veja reportagens dele sobre Portland, Austin e um especial com restaurantes clássicos de São Paulo). Ele é também coordenador do programa de mestrado em jornalismo e comunicação gastronômica do Basque Culinary Center, no País Basco, na Espanha

Homem de barba de camisa xadrez, em fundo de madeira branca
Rafael Tonon: um dos grandes nomes do jornalismo gastronômico brasileiro. Crédito: Divulgação/Divulgação

Sorte nossa: ele mora em Portugal e passa boa parte do tempo vasculhando os melhores achados não apenas no Porto, onde vive, mas de norte a sul do país. A seguir, ele lista 10 restaurantes superespeciais em Portugal para ir agora – e conta porque.

Capa de um livro com uma ilustração de um grande tomate e fundo branco
O livro de Rafael, publicado pela Todavia. Crédito: Divulgação/Divulgação

LISBOA

Prado
É meu restaurante preferido em Lisboa. O trabalho que o António Galapito faz é evidenciar produtos portugueses, mas de uma forma descontraída, sem o discurso chato que tomou a gastronomia de uma maneira geral. Eu adoro o ambiente casual, o atendimento simpático sem tanta formalidade e esnobismo. Queria também atentar para o ótimo trabalho que ele está fazendo no vizinho Prado Mercearia, no almoço de segunda a sexta-feira. É uma refeição com um dos melhores custos benefícios de Lisboa, o chef é o Pedro Foratto, que é ótimo, ou seja, eu adoro tudo que envolve o Prado e tudo que eles têm.

PORTO

Astro
O meu dia perfeito no Porto começa comendo umas bifanas (sanduíche de carne de porco grelhada) na frente da estação da Campanhã, nesta casa típica.

Rogério do Redondo
Gosto muito deste restaurante de cozinha tradicional portuguesa, mas um pouco mais caprichada, por assim dizer (não só a comida, mas também o ambiente). 

Euskalduna Studio
O restaurante do chef Vasco Coelho Santos é muito inventivo. Eu faço a brincadeira que ele tem um pé em Portugal e a cabeça no mundo – e eu gosto muito do trabalho que ele faz. O restaurante é um balcão, estilo omakase japonês. Até existem mesas, mas o melhor é o balcão. 

SANTARÉM

Ó Balcão
A taberna do Rodrigo Castelo é muito interessante, principalmente porque ele trabalha com peixe de rio, que é uma coisa diferente em Portugal, um país muito rico em pescado, mariscos e frutos do mar de maneira geral. O que ele faz é muito interessante. Ele também tem uma charcutaria autoral. Vale a viagem até lá [Santarém fica a 80 quilômetros ao norte de Lisboa].

ALGARVE

Rei das Praias, em Ferragudo 
É um restaurante muito legal que fica na praia dos Caneiros, perto de Portimão. Os frutos do mar, mariscos e peixes são muito bem feitos e tem uma das vistas mais bonitas. Por estar na beira da praia é daqueles restaurantes que você pode ir, sair um pouco, dar um mergulho, voltar pra comer outra coisa… mas de uma maneira casual e descontraída, que é bem o espírito português que eu gosto.

Continua após a publicidade

ALENTEJO

Tua Madre, em Évora

Gosto muito deste restaurante que, salvo engano, é de um casal de argentinos. É uma cozinha muito criativa, inventiva e revigorante. É uma comida muito bem feita, mas sem firulas, reconfortante por ser direto ao ponto em termos de sabores, mas que tem um capricho na apresentação, nos detalhes, nos ingredientes. Ele faz umas coisas meio “fora da caixa”, como dizem aqui em Portugal. Imperdível: o delicioso porco alentejano com cerejas e o imbatível lanche de porchetta de porco alentejano no pão brioche.

Mil Homens, em Marvão 

É um restaurante muito pequenininho de comida tradicional, quase uma tasca, e serve a comida alentejana de tacho, aquele tipo de comida mais pesada. Quando eu fui, cheguei antes de abrir e estava muito frio. O dono falou “bom olhar, posso te deixar entrar mas não posso servir nada porque a gente ainda não abriu e tá comendo”. Aí ele veio na mesa, deixou umas azeitonas e um pão. Eles estavam comendo um arroz de tomate e ele perguntou depois se eu queria provar. Eu, claro, disse que sim e acho que foi o melhor que eu já comi na vida. 

TRÁS-OS-MONTES

Ti João, em Carvalhelhos

Uma das melhores viagens gastronômicas que eu fiz dentro de Portugal foi a de visitar as tabernas do Alto Tâmega, no Norte do país. A comida é um abraço todas as vezes. As tabernas são mantidas por famílias e passam de geração em geração – não só no negócio, mas também nas tradições de comida. Nesta eu tive um dos melhores encontros com a comida portuguesa, que mudou a minha percepção depois dessa viagem, através de um arroz de costelinha castrejo.

ILHA DA MADEIRA

Kampo, no Funchal

Comandado pelo chef Júlio Pereira, é um restaurante super moderninho, que mostra uma nova cena da Madeira que é muito interessante, com produtos madeirenses, mas também com referências de todo Portugal. Gosto do trabalho que fazem com peixes da costa e as frutas exóticas da ilha.

Busque hospedagem em Portugal

Leia tudo sobre Portugal

Continua após a publicidade

Publicidade