Club Med Trancoso: como chegar, quando ir, preço, modos de usar

Nova ala de apartamentos, restaurante reformado e os serviços já consagrados do resort baiano, que passou por reforma de R$ 55 milhões

Por Fabricio Brasiliense Atualizado em 21 jul 2021, 19h02 - Publicado em 28 dez 2020, 11h19
O pedaço rasinho da piscina, ao lado das raias de natação
O pedaço rasinho da piscina, ao lado das raias de natação Fabrício Brasiliense/Arquivo pessoal

A inauguração do Club Med Trancoso, há quase vinte anos, foi um dos responsáveis pelo hype que colocou o pacato vilarejo baiano na rota da badalação. Aberto em 2002, o complexo tem uma das localizações mais privilegiadas dentre os resorts do país, isolado no alto de uma falésia na deserta praia do Taípe, a meio caminho entre Arraial D’Ajuda e Trancoso.

Passaram-se os anos e o hotel sentiu os efeitos do tempo. Mobiliário, decoração e pintura ficaram visivelmente ultrapassados. Em 2020, muita coisa mudou. O empreendimento passou por uma grande reforma em que foram investidos R$ 55 milhões. A renovação foi conduzida pela arquiteta Patricia Anastassiadis, que também assinou o projeto do paulistano Palácio Tangará, que ganhou em 2020 o prêmio de melhor hotel do Brasil conferido pela edição inglesa da Conde Nast Traveller. As semelhanças acabam aqui: o Tangará e o Club Med são tão diferentes quanto a água (de coco) e o vinho.

A arquiteta privilegiou materiais da Bahia como palha e sapê, sem pirotecnias e sobretudo sem esquecer de que se trata de um hotel de praia. E o bacana foi que, em vez de simplesmente descartar o que estava obsoleto, algumas coisas puderam ser reaproveitadas. Na área comum do resort, que é caminho para a piscina e o restaurante, uma série de recantos intimistas compostos de sofás, cadeiras butterfly e floreiras ganharam toques de reciclagem. O encosto dos sofás e o tampo das mesas, por exemplo, foram feitos a partir da cabeceira das camas que não serviam mais. Os tecidos das almofadas são toalhas da piscina recicladas. Luminárias de palha se misturam a outras de cobre e dão um toque especial na iluminação noturna, deixando tudo ainda mais aconchegante. É nessa ala, sob uma estrutura de sapê imensa e aberta, que fica o bar principal e um pequeno palco, point do agito noturno.

Club Med Trancoso
Recantos bem agradáveis espalhados pela área comum Fabrício Brasiliense/Arquivo pessoal
Club Med Trancoso
Bar principal e point dos eventos noturnos Fabrício Brasiliense/Arquivo pessoal

Localização e a praia do Club Med Trancoso

O trunfo do empreendimento foi ter sido construído em uma praia deserta, no alto de um trecho de falésias que chegam a 40 metros de altura. Não há quartos com vista para o mar e as construções começam a despontar cerca de cem metros para dentro do terreno. À beira da falésia há apenas um cercadinho de madeira que é um charme só e serve de mirante natural – o espaço tem sido utilizado para cerimônias de casamento. 

Club Med Trancoso
Mirante na beira da falésia tem sido palco de casamentos Fabrício Brasiliense/Arquivo pessoal

Para descer até a praia do Taípe, o hotel construiu um elevador, na verdade uma caixa de vidro que desliza sobre um plano inclinado. Há também uma escadaria de madeira portentosa e firme que termina no ponto final do elevador. Como o acesso foi feito por uma fenda na falésia, do sopé dela há um corredor natural sobre o qual foi construída uma passarela de madeira que leva até a praia. Se até aqui o acesso à areia se mostrou quase cinematográfico, o bar em si não tem tanto apelo. É um lugar comum, com cadeiras de plástico brancas. E se tem uma coisa que a Bahia tem know-how é fazer bar de praia charmoso. O lugar mais agradável fica à esquerda, com algumas espreguiçadeiras à sombra. Bonito mesmo é o entorno, deserto, e as imensas falésias. Ah, é preciso cuidado na hora de nadar porque o trecho é de tombo e com buracos, mas costuma haver salva-vidas do hotel.

Passarela de madeira avança pelo meio da falésia e liga o resort à praia
Passarela de madeira avança pelo meio da falésia e liga o resort à praia Club Med/Divulgação
Espreguiçadeiras do bar de praia
Espreguiçadeiras do bar de praia Fabrício Brasiliense/Arquivo pessoal
Elevador desce em um plano inclinado
Elevador desce em um plano inclinado Fabrício Brasiliense/Arquivo pessoal

Os quartos do Club Med Trancoso

Os 267 quartos estão distribuídos em nove blocos de apartamentos de dois andares, conectados por um caminho coberto. São três as categorias.

Comecemos pela Deluxe, cuja ala foi totalmente renovada. São 60 quartos e todos têm varanda com espreguiçadeiras e vista para a mata. Além do quarto de casal, algumas unidades possuem um segundo quarto com duas camas de solteiro. 

Uma boa solução, que seria bem-vinda em outros resorts, foi colocar uma porta interna que separa o quarto de um pequeno hall. O barulho que vem dos corredores, tão comum nos hotéis, fica do lado de fora. Ponto para o sossego.

Uma nova ala com 30 apartamentos foi erguida do zero, o Bloco Família. Um pouco mais afastada da parte central (leia-se do restaurante e da piscina), as unidades têm dois quartos e dois banheiros, ideal para famílias grandes. No quarto há um tablet onde é possível se comunicar com a recepção e reservar atividades. O bloco fica a um pulo do kids club. Em suma, para famílias com crianças, é a localização perfeita; casais talvez prefiram a ala Deluxe.

Os apartamentos Superior, 190 ao todo, estão distribuídos ao longo do terreno, alguns ficam frente a frente, mas com um recuo considerável, e todos tiveram a mobília restaurada ou trocada, o chão e o teto pintados. São os mais baratos.

Club Med Trancoso
Quarto Deluxe: espaçoso e com varanda com vista para a mata Club Med/Divulgação
Club Med Trancoso
Vista da varanda dos quartos Deluxe Fabrício Brasiliense/Arquivo pessoal
Club Med Trancoso
Fachada do novo Bloco Família Fabrício Brasiliense/Arquivo pessoal

O restaurante do Club Med Trancoso

As refeições acontecem no restaurante principal, que é praticamente o coração do resort. E foi nele que aconteceram algumas grandes modificações. Em um salão imenso, de pé direito altíssimo e muito arejado, fica o bufê que se distribui de forma circular. O hóspede entra e percorre as ilhas onde a comida é servida por um cozinheiro. Se antes da pandemia o esquema era self service, agora são refeições empratadas, montadas ao gosto do freguês.

E não há monotonia: em cada refeição é uma seleção diferente de saladas, pescados, carnes, pizzas, comida baiana, sobremesas e sucos naturais servidos em simpáticas garrafinhas de vidro. As massas são impecáveis, principalmente o nhoque, que derrete na boca.

No centro do imenso bufê foi construída uma adega integrada ao salão, que permite ao hóspede circular e selecionar algum rótulo, da mesma maneira que escolhe o que vai comer.

Ponto importante: o hotel funciona em sistema all inclusive, ou seja, todas as comidas e bebibas estão incluídas no valor da diária.

Continua após a publicidade

Contíguo ao bufê há cinco salões com mesas cujo mobiliário também foi renovado – e um dos espaços é somente para adultos. No café da manhã, o lugar mais agradável é o extenso avarandado. O hotel também tem um restaurante a la carte, o Lua, mas que não está no esquema all-inclusive e deve ser reservado.

Club Med Trancoso
Bufê do restaurante foi totalmente reformado Club Med/Divulgação
E uma nova adega de vinhos agora fica no centro do bufê
E uma nova adega de vinhos agora fica no centro do bufê Fabrício Brasiliense/Arquivo pessoal

Atividades do Club Med Trancoso

O resort é zero afetação. Uma das características da rede, que tem 70 unidades no mundo inteiro, é o foco nos esportes. Os funcionários, chamados de G.O.s. (gentis organizadores), são peças importantes da estrutura porque participam ativamente das atividades.

O hóspede tem à disposição um menu vasto: dos tradicionais futebol, basquete e vôlei até aulas de tênis, arco e flecha, yoga, tênis de praia, pólo aquático e até trapézio. Isso se traduz em uma equipe exclusivamente dedicada aos esportes e acaba havendo uma interação muito estreita com os hóspedes, a ponto de o contato extrapolar das quadras para a mesa das refeições (em tempos de pandemia, essa interação não tem sido tão estimulada). 

Mas vale lembrar: o hóspede não se sente forçado a nada e pode muito bem passar a estadia inteira de perna para o ar em uma espreguiçadeira na praia ou na piscina, sem ser importunado por um recreador endorfinado.

Ah, a piscina! É uma das áreas mais agradáveis. Além de raias para natação, há também um espelho d’água para o deleite das crianças.

Recentemente, o resort incluiu em seu menu de atividades o aluguel de bicicletas e um dos passeios mais bacanas é pedalar pela areia até Arraial D’Ajuda. Certifique-se, antes, de que esteja na lua nova ou cheia, que faz a maré secar e facilita o pedal. Do contrário, com a maré mais alta, a areia fofa vai exigir um esforço sobre-humano e que não combina com férias.

Club Med Trancoso
Trapézio: are you ready? Club Med/Divulgação

Spa, academia e kids club

Junto à área social e à lojinha (ou melhor, lojona), que vende roupas com a marca do hotel, há uma academia até muito básica (com tanta atividade variada e ao ar livre, puxar ferro se torna a coisa menos interessante de se fazer). Ao lado, há um spa com salão de cabeleireiro e algumas salas de massagem sem grandes firulas. A qualidade da massagem, que é o que importa, é digna de nota. O hotel também tem uma equipe de recreação infantil qualificada e os pequenos a partir de 4 anos podem ficar sem os responsáveis. Há também serviço de babá para crianças a partir de 2 anos, mas que é pago à parte.

Condomínio Terravista: campo de golfe e Teatro L’Occitane

Vizinho ao Club Med está o condomínio Terravista, com quem o resort divide uma das portarias. Lá dentro, há um campo de golfe de 18 buracos, pelo menos duas dúzias de mansões e, talvez o mais surpreendente, um improvável teatro a céu aberto que sedia um dos mais importantes eventos do calendário da música erudita do Brasil. E o que o Club Med tem a ver com o Terravista? Quem se hospeda no resort pode fazer aulas de golfe, pagas à parte (18 buracos, R$ 320; 9 buracos, R$ 260; preços de dezembro de 2020).

O driving range oferece 9 conjuntos de greens e bancas dispostos em intervalos de 25 jardas… não entende nada de “golfês”? Sem problema: caso tome gosto, o hóspede pode agendar quantas aulas quiser. Vale a pena fazer ao menos uma aula experimental e passar por cima do estigma de ser esporte de bacana – não deixa de ser, mas sem dúvida tem sua ludicidade por exigir do praticante uma combinação de técnica, concentração e entrega.

Se decidir pela aula, peça ao instrutor para dar uma esticada com o carrinho elétrico – somente com ele é permitido circular ou corre-se o risco de levar uma bolada fatal fruto de uma tacada até o buraco 14, muito provavelmente o cenário mais bonito desse pedaço: o gramado milimetricamente aparado vai até quase a beira da falésia e dali se avista quilômetros de praias desertas de ambos os lados. Naquele ponto, o golfista precisa de destreza suficiente para dar uma tacada e fazer com que a bolinha sobrevoe uma fenda na falésia e chegue sã e salva ao buraco 15 – um erro de manobra pode fazer a pelota despencar 40 metros até a areia da praia.

Club Med Trancoso
Buraco 14: o mais fotogênico e desafiador do campo de golfe do condomínio Terravista Club Med/Divulgação

O teatro L’Occitane, na outra extremidade do buraco 14, é um feito. Idealizado por um grupo de empresários, há 8 anos o lugar abriga o agora tradicional festival Música em Trancoso. Orquestras sinfônicas de várias partes do mundo já se apresentaram no local. Ainda assim, entre os moradores de Trancoso e Arraial, o lugar é mais conhecido como “o teatro da Ivete” porque foi lá que a rainha do Carnaval baiano gravou um DVD em 2016.

A fachada do improvável teatro
A fachada do improvável teatro Fabrício Brasiliense/Arquivo pessoal
A fachada do improvável teatro
A fachada do improvável teatro Fabrício Brasiliense/Arquivo pessoal

Como chegar ao Club Med Trancoso e como se deslocar

O hotel fica a 65 quilômetros do aeroporto de Porto Seguro, sendo que o último trecho de estrada de terra pode ser ruim ou sofrível, a depender das chuvas da ocasião. Muitos hóspedes já fecham a estadia com traslado. Não é fundamental ter um carro porque a proposta de um resort all-inclusive é o hóspede fazer todas as refeições in loco e só sair no momento de voltar para o aeroporto. No entanto, dedicar um fim de tarde ao Quadrado, em Trancoso, ou um footing noturno à rua do Mucugê, em Arraial D’Ajuda farão bem às suas férias. Para isso, o hotel organiza passeios diários com hora marcada (você sai, fica em torno de 4 horas e depois volta para jantar no resort). O serviço de táxi, que também pode ser reservado no hotel, dá mais liberdade e você pode jantar uma noite em Trancoso e voltar a hora que quiser. Se preferir a conveniência de um carro, é possível alugar no próprio hotel.

Quando ir ao Club Med Trancoso

Faz sol o ano inteiro e por isso não há uma época desaconselhada para se ir. Historicamente, os meses de abril e novembro costumam ser mais chuvosos, mas pegar uma semana inteira de chuva é algo raro. Os meses mais baratos são agosto e setembro, com diárias por volta de R$ 1.500 por adulto, com todas as refeições e bebidas incluídas (crianças até 3 anos não pagam).

Club Med Trancoso
Preços dos passeios organizados pelo resort (novembro de 2020) Fabrício Brasiliense/Arquivo pessoal
Club Med Trancoso
Preços de novembro de 2020 Fabrício Brasiliense/Arquivo pessoal
  • Reserve sua hospedagem no Club Med Trancoso

    Continua após a publicidade
    Publicidade