Gramado: Natal Luz, passeios, hotéis, restaurantes e mais

Distância de outras cidades: São Francisco de Paula: 49 km; Caxias do Sul: 75 km; Cambará do Sul: 117 km; Porto Alegre: 135 km; Torres: 244 km; Lages: 293 km; São Paulo: 1060 km; Rio de Janeiro: 1511 km

Leia aqui sobre a programação do Natal Luz 2021/2022

Atenção: a pandemia pode ter afetado o funcionamento de atrações e restaurantes. Antes de sair de casa, pesquise nas redes sociais ou ligue para confirmar o funcionamento

 

Por Mirela Mazzola

A vocação turística de Gramado e sua posição de destaque entre os destinos de inverno brasileiros são inegáveis. O clima e o relevo da Serra Gaúcha, unidos a uma gastronomia vigorosa com influência da imigração europeia, são impulsionados há anos por investimento em estrutura hoteleira, atrações e novidades a cada temporada. A cidade fica movimentada o ano todo, mas é no inverno e, acredite, no verão (durante o evento Natal Luz) que Gramado floresce – e lota. 

Na paisagem, casas no estilo alpino contrastam com museus temáticos e atrações como o parque de neve artificial Snowland, primeiro do gênero das Américas; enquanto pousadas românticas dividem espaço com hotéis maiores, ideais para famílias com crianças.  

Pertinho, a menos de 10 km, Canela tem parques ecológicos, esportes radicais e também é o ponto de partida da Caminhos de Caravaggio, rota de peregrinação com 200 quilômetros que liga a cidade ao município de Farroupilha, passando por Gramado, Nova Petrópolis e Caxias do Sul. Inspirada no Caminho de Santiago de Compostela, prova que a Serra Gaúcha ainda é capaz de surpreender. Leia também sobre Canela.

Melhor época para visitar Gramado

Entre junho e julho, alta temporada, existe a chance de ver geada e até neve em Gramado. Em agosto, a cidade recebe o Festival de Cinema de Gramado, maior evento do gênero do Brasil e que reúne cineastas, diretores, atores e jornalistas para a exibição e premiação de filmes. Nesses meses, é preciso reservar hospedagem com muita antecedência (e o valor das diárias sobe bastante) – o mesmo vale para o período que vai do fim de outubro até janeiro, quando ocorre o Natal Luz. Criado em 1986, o principal evento do calendário local chega a atrair mais de 1 milhão e meio de pessoas com luzes, shows, desfiles e apresentações teatrais (gratuitos ou pagos). Se quiser economizar e pegar a cidade menos lotada, vá entre fevereiro e maio e entre setembro e outubro. 

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Natal Luz de Gramado (@natalluzoficial)

Como chegar a Gramado

Os aeroportos mais próximos são o Aeroporto Regional Hugo Cantergiani, em Caxias do Sul (a 66 km), e o Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre (a 115 km). Dessas cidades é possível alugar um carro. A partir da capital gaúcha, o caminho mais comum é pela BR-116, saindo da via depois de Novo Hamburgo para pegar a RS-239 e, em Taquara, seguir pela RS-115. Do Aeroporto Salgado Filho e da Rodoviária de Porto Alegre saem ônibus da empresa Citral – o percurso leva cerca de duas horas. Da Rodoviária de Caxias, há cinco saídas diárias operadas pela mesma empresa (e uma extra, às sextas). É recomendável comprar a passagem online com antecedência, principalmente em feriados e na alta temporada.  

Como circular em Gramado

Para quem está com veículo próprio, valem alguns avisos: na alta temporada, o trânsito e a dificuldade de estacionar podem ser dignos de metrópole. Não há semáforos e o tráfego é ordenado pelas rótulas (rotatórias), localizadas ao longo das avenidas Borges de Medeiros e das Hortênsias, e pelo respeito à faixa de pedestres – que deveria ser regra em qualquer cidade. 

Ainda existe a possibilidade de usar Uber, táxi e ônibus circular – a linha 6152 faz o trecho entre as rodoviárias de Gramado e Canela percorrendo vários pontos turísticos. Uma alternativa conveniente é o Bus Tour, ônibus de dois andares tipo hop-on hop-off (quando o turista paga um valor fixo por um período de tempo e pode embarcar e descer em diferentes paradas). São quase 40 pontos entre as duas cidades, cobrindo praticamente todas as atrações.

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por BUSTOUR Gramado e Canela (@bustour.com.br)

O que fazer em Gramado

Cartões-postais

Clássico de Gramado, o Lago Negro é margeado por árvores trazidas da Floresta Negra, na Alemanha – daí o nome. No inverno, a tonalidade sisuda é colorida por azaleias, enquanto, no verão, hortênsias pontuam o cenário. Os pedalinhos são os preferidos de casais e crianças, mas mesmo sem embarcar neles uma caminhada no entorno pode ser bastante agradável. Em frente está o Parque Alemanha Encantada, que reproduz uma vila medieval inspirada nos contos dos irmãos Grimm – a torre da Rapunzel é um bom mirante para o lago.

Com menos de 100m de comprimento, a Rua Coberta é uma galeria protegida por um telhado de vidro adornado por plantas. Ali estão bares, cafés, bistrôs e lojas de malha – onde se concentra o burburinho da cidade, sobretudo à noite e nos dias de chuva. Pertinho, a Casa da Velha Bruxa é um dos pontos mais tradicionais da cidade para provar chocolate quente (da marca local Prawer), mas também há crepes, sorvetes e sanduíches.

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Casa da Velha Bruxa (@casadavelhabruxaoficial)

Compras

Chocolates Gramado conta com mais de 20 fabricantes e cerca de 40 pontos de venda. O site de turismo da cidade mantém uma lista com endereços e horários de funcionamento (algumas marcas têm estrutura de visitação à fábrica).

Móveis A cidade é um polo de produção e venda de móveis, com vários fabricantes na Avenida das Hortênsias, na saída para Canela, e pontos de outlet. Engana-se quem pensa que as peças têm apenas estilo rústico, com cara de casa de fazenda; Gramado também é referência nacional em mobiliário contemporâneo. Entre os fabricantes estão a Lustro, a Masotti e a Sierra.  

Produtos coloniais Ao lado da rodoviária, a Casa do Colono reúne produtos das colônias italianas e alemãs espalhadas pela cidade, entre geleias, biscoitos, cucas, pães, mel, vinhos, queijos e embutidos. Às quartas e de sexta a domingo, os colonos assam pães e cucas no fogão a lenha (dá para comprar os quitutes na hora, ainda quentinhos). Há trinta edições, a Festa da Colônia celebra a cultura dessas comunidades e homenageia os imigrantes que colonizaram a região no ExpoGramado. Há desfiles, apresentações folclóricas, exposições e venda de produtos típicos. Por causa da pandemia, em 2021 a festa está programada para 23 de setembro a 12 de outubro (normalmente o evento ocorre entre março e abril).

Peças decorativas e semijoias de cristal Desde 2002, a fábrica Cristais de Gramado produz objetos de decoração, como vasos e lustres, peças utilitárias e semijoias com a mesma técnica usada na ilha de Murano, na Itália – apresentações mostram como os objetos são feitos. A loja despacha encomendas para todo o país e oferece traslado gratuito a partir de alguns pontos em Gramado.

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Cristais de Gramado (@cristaisdegramado)

Relógios-cuco e objetos de decoração importados da Europa Fundada em 1989, a loja Kukos importa relógios-cuco feitos a mão da Alemanha. Há também réplicas, mais baratas, e outros objetos, como caixinhas de música e imagens sacras, de Papai Noel e de Coelho da Páscoa. 

Cosméticos à base de lavanda O Le Jardin Parque de Lavanda vende óleos, águas, sachês e travesseiros que levam a essência da planta, indicada para tratamentos de insônia e ansiedade. O jardim da propriedade é uma atração à parte: há amplo gramado com árvores frutíferas e, no mês de novembro, lavandas floridas.

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Le Jardin Parque de Lavanda (@le.jardin.lavandas)

Museus

Gramado e a vizinha Canela reúnem museus curiosos, com temática inusitada para destinos de serra, como a Idade Média, os Beatles, o ferro de passar e o Egito. Nessa toada, não poderia faltar um Museu de Cera: o Dreamland é o primeiro do gênero na América Latina (existe desde 2009), com esculturas próximas à perfeição e outras bem menos fiéis às personalidades que retratam – entre elas estão Albert Einstein, Barack Obama, Beyoncé e a Rainha Elizabeth II. No subsolo está o Gramado Motor Show, com um acervo de mais vinte motos Harley-Davidson restauradas, como um modelo idêntico ao do filme Sem Destino (1969) e uma Night Road, projetada em parceria com a Porsche. O local também funciona como bar e restaurante. No Hollywood Dream Cars, o glamour da Hollywood da década de 1950 e seus icônicos Cadillacs é retratada em possantes bem-conservados, como um Ford Victoria conversível de 1956, único no Brasil. O Super Carros reúne esportivos como uma Ferrari F360, um Lamborghini Gallardo, um Porsche Cayman e um Camaro SS – é possível pilotá-los, andar na carona e usar um simulador (tudo pago à parte; o valor depende do modelo e do tempo de passeio). Dica: as atrações Museu de Cera Dreamland, Gramado Motor Show, Hollywood Dream Cars, Super Carros, Vale dos Dinossauros (parque com réplicas que se movimentam e reproduzem sons, em Canela) e Selfie Gramado, inaugurada no fim de 2020 com cenários instagramáveis e coloridos, pertencem ao mesmo grupo e podem ser visitadas com um passaporte único. O valor compensa bastante em relação à compra avulsa, consulte.  

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Hollywood Dream Cars Gramado (@hollywooddreamcars)

O Museu Medieval – Castelo Saint George é fruto do sonho do professor de história Gilberto Guzenski, apaixonado pela Idade Média. O acervo, organizado na réplica de um castelo da época, reúne espadas importadas, facas de fabricação própria e reproduções de armas brancas usadas em filmes como O Senhor dos Anéis – também há venda de peças. Outra paixão de Gilberto são os brasões de família, reproduzidos e vendidos aqui (há mais de 1 milhão de sobrenomes cadastrados). 

Parques temáticos

Primeiro parque de neve indoor das Américas (funciona desde 2013), o Snowland abrange uma área coberta de gelo com 8 mil metros quadrados que simula uma estação de esqui e snowboard – inclusive na temperatura, abaixo de zero em alguns ambientes. Há playground para as crianças, escorregadores de gelo, pista de patinação e brincadeiras como o tubing (você desce uma rampa em um tipo de boia redonda). A programação inclui apresentações com patinadores profissionais (é possível ter aulas particulares). Quase ao lado do Snowland está o Acquamotion, primeiro parque aquático indoor com águas termais da América do Sul e que foi inaugurado em junho de 2021 (o Snowland, o Acquamotion e também vizinho Wyndham Gramado Termas Resort & Spa fazem parte do mesmo grupo empresarial, o Gramado Parks, e estão a 7 quilômetros do centro de Gramado). Outra novidade é o Na Pista – Music ‘n Roll, rinque de patinação que abriu as portas em julho de 2021 se auto intitulando o maior do Rio Grande do Sul.

O Mini Mundo, por sua vez, é uma das atrações mais longevas de Gramado. Trata-se de um parque em miniatura com mais de 200 obras e 2500 “habitantes”. Entre as réplicas, há monumentos brasileiros, como a Igreja São Francisco de Assis, em Ouro Preto (MG), e o Museu do Ipiranga, na capital paulista, e no exterior, como o Castelo de Neuschwanstein, na Alemanha (e que inspirou Walt Disney para criar o castelo da Cinderela).

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Mini Mundo (@minimundogramado)

Formado apenas por representantes da fauna brasileira, o Gramadozoo reúne animais como onça-pintada, tamanduá-bandeira e jacaré-de-papo-amarelo – não há grades de ferro, apenas vidros blindados em alguns espaços. No viveiro, tucanos, papagaios e araras sobrevoam os visitantes. Na mesma área (o ingresso é válido para as duas atrações) está o Parque Gaúcho, onde monitores em trajes típicos explicam as tradições do estado e mostram objetos relacionados à cultura gaúcha. Na Cidade dos Gaúchos, que reproduz uma vila do século 18, visitantes aprendem a preparar o chimarrão e assistem a apresentações de doma de cavalos. 

Imersão na colônia

Os Roteiros de Agroturismo abarcam passeios que percorrem a zona rural e contam a história da colonização da Serra Gaúcha. São seis roteiros, em dias e horários pré-definidos, que duram cerca de quatro horas. O Raízes Coloniais, por exemplo, visita uma casa centenária e uma produção de erva-mate; o Tour no Vale percorre o Vale do Quilombo e casas de colonos italianos e alemães – é possível terminar o passeio com café colonial.

Algumas vinícolas de Gramado são abertas à visitação: a Ravanello oferece uma tour de duas horas que termina com a degustação de quatro vinhos e um espumante com porção de queijos. Menores e familiares, a Vinícola Stopassola e a Casa Seganfredo também promovem visitas ao parreiral com degustação. Em todas é preciso agendar.

Esticada: templo budista Khadro Ling

No município de Três Coroas, a 31 km de Gramado, o Centro Budista Chagdud Gonpa Brasil (Templo Khadro Ling) é um dos raros exemplares de templo budista tibetano no Brasil. A visita começa com um vídeo explicativo sobre os preceitos da crença, o estilo arquitetônico e a decoração vinda do Nepal, segue para o templo principal e para uma loja de artigos sobre o budismo, como imagens e livros (ligue antes para confirmar se todas as atrações estão disponíveis). A localização, no alto da colina, proporciona uma linda vista da região. O local está fechado por tempo indeterminado por causa da pandemia (no Instagram há informações atualizadas).

Onde ficar em Gramado

A rede hoteleira da cidade tem desde hospedagens de luxo, com estrutura de lazer robusta e quartos sofisticados, até opções simples com bom custo-benefício – passando, claro, pelas pousadas românticas, marca registrada dos destinos de serra brasileiros. Eleito o “melhor hotel do mundo” no Traveller’s Choice 2021, ranking baseado nas avaliações de viajantes no Trip Advisor, o Colline de France têm suítes com decoração carregada (banheiros revestidos de mármore, papel de parede de arabescos e cabeceiras capitonê) – em todas há Smart TV 4K, amenities L’Occitane, cafeteira Nespresso e enxoval de algodão egípcio 300 fios. Spa e café da manhã com quitutes de inspiração francesa, com brioches e croissants, completam a hospedagem.

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Hotel Colline De France (@collinedefrance)

Também são bastante luxuosos o Modevie Boutique Hotel, com café da manhã em formato menu-degustação até as 13h e spa da grife Kur, e o Saint Andrews, membro da associação de hotéis de luxo Relais & Châteaux. Com bela vista para o Vale do Quilombo, o hotel oferece chá de tarde com inspiração inglesa e promove jantares harmonizados com vinícolas estrangeiras.

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por ModeVie Boutique Hotel (@modevieboutiquehotel)

Inaugurado em 2018, o Wood tem ambientes com decoração contemporânea, em tons neutros e com móveis e revestimentos de madeira – os confortáveis quartos têm amenities L’Occitane, Smart TV, caixa de som e frigobar com itens cortesia, como castanhas e frutas secas – o café da manhã, com menu de ovos e cafés especiais moídos na hora, é servido até as 11h, mas há uma versão reduzida até 17h para quem não conseguir sair da cama.

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Hotel Wood (@hotelwoodgramado)

O Lago Negro emoldura o café da manhã no deque do Estalagem St. Hubertus – decoradas em tons claros, as graciosas acomodações têm enxoval Trussardi 100% algodão e edredons de pluma de ganso (em algumas há hidromassagem). O charme de fazenda encontra um lindo exemplar na Estalagem e Restaurante La Hacienda, com ambientes pontuados por materiais de demolição e paredes de pedra. Com lareiras amplas, roupões e pantufas, os chalés são configurados com pé-direito alto e mezanino ou antessala e varanda.

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Estalagem La Hacienda (@estalagemlahacienda)

Na medida para famílias com crianças, a estrutura do Wish Serrano inclui spa, academia, piscinas coberta e externa, quadra de tênis e recreação. É possível agendar um piquenique com direito a toalha xadrez na área verde. Bolos, pães, queijos e manteiga servidos no café do Bangalôs da Serra são produzidos no próprio hotel – a refeição é servida no restaurante com vista para o lago. As unidades têm aquecimento e lençol térmico (as maiores contam ainda com hidromassagem e lareira). As delícias do café da manhã, como geleias, pães e waffles, também são de produção própria no Canto Verde. As acomodações dispõem de lareira ou aquecimento (algumas têm varanda). Rodeadas por uma floresta de araucárias, as nove unidades dos Chalés Família Fioreze têm lareira e saleta – se der preguiça de sair do quarto, lembre-se que o café da manhã inclui pão de milho, geleias e mel produzidos no local. As crianças se divertem no lago para pesca e no passeio a cavalo.

A 500 metros do Mini Mundo, a Pousada Vovó Carolina tem piscina aquecida coberta e quartos com varanda, aquecimento e ar-condicionado. As diárias na Pousada Lanai Gramado costumam ter bom custo-benefício – a cerca de 1 km da Rua Coberta, a hospedagem inclui um quarto família que acomoda até 8 pessoas em dois dormitórios. No meio burburinho (são cinco minutos a pé da Rua Coberta), a Pousada Belluno tem unidades equipadas com ar-condicionado, frigobar, aquecimento e chaleira elétrica. Com quartos privativos e coletivos, o Britânico traz os moldes dos hostels europeus para a Serra Gaúcha – a decoração faz referência à Inglaterra, com bandeiras, imagens e área social que lembra o ambiente de um pub. 

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Britânico Suítes (@britanicogramado)

Para quem busca um retiro com refeições inclusas, tratamentos estéticos e terapêuticos e atividades como dança, yoga e tai chi chuan, o Kurotel Centro Contemporâneo de Saúde e Bem Estar é referência no país (também há planos de day spa e tratamentos para não-hóspedes).

Busque mais hospedagens em Gramado aqui.

Onde comer em Gramado

A fondue é o prato mais tradicional da cidade – a receita teria surgido na Idade Média, quando pastores suíços resolveram juntar sobras de pão duro e queijos derretidos. Afora a versão original, com queijos emmental e gruyère, vinho branco seco e kirsch (aguardente de cereja), as casas da cidade servem variações como bourguignonne (com pedaços de carne fritos) e la pierrade (mignon e peito de frango grelhados em pedra vulcânica). A sequência por preço fixo é comum mesmo em endereços onde o prato não é a maior especialidade. Um deles é o El Fuego, que ainda serve cortes de carne na parrilla, milanesas e hambúrgueres. No menu do Malbec, a sequência divide espaço com carnes da raça angus, como a costela finalizada na churrasqueira.

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Restaurante Malbec Oficial (@restaurantemalbec)

Carnes também são especialidade do Il Piacere, a exemplo do T-bone na tábua com vinagrete, farofa e melhor barbecue. Há ainda pizzas com massa de fermentação natural. A propósito, as redondas são a especialidade da Hector Pizzaria Temática, um programa com as crianças que vai além da refeição. Inspirada na saga Harry Potter, a casa tem ambientação baseada na escola de magia e funcionários caracterizados como seres mágicos.

  • No rol de casas especializadas em fondue está a Belle du Valais o salão aristocrático, com lustres de cristal e louças sofisticadas, sugere um jantar romântico. O Le Petit Clos lembra uma casa de montanha, com lareira e cadeiras revestidas com lã de carneiro (no menu há uma versão vegana de fondue). 

    Ver essa foto no Instagram

    Uma publicação compartilhada por BELLE DU VALAIS (@belleduvalais)

    Dentro do charmoso hotel Wood, não-hóspedes também são recebidos no restaurante e no lounge bar, com menu concebido pelo chef Rodrigo Bellora. Suas criações privilegiam ingredientes regionais e sazonais, servidas em etapas, como o tempurá de peixinho (a planta) com peixe branco curado no mel, pólen de abelhas nativas e maionese de algas marinhas e a costela laqueada com molho demi-glace de butiá.

    Ver essa foto no Instagram

    Uma publicação compartilhada por Hotel Wood (@hotelwoodgramado)

    No Hotel Casa da Montanha, a cozinha do La Caceria se diferencia pelas carnes de caça, com receitas com cordeiro, coelho e perdiz. No tradicional Hotel Ritta Höppner, de 1958, o restaurante também recebe o público com um cardápio focado em receitas alemãs e chá de tarde no estilo inglês.

    Na filial da rede Galeto Di Paolo, nascida em Garibaldi, a especialidade é o galeto al primo canto (ou seja, abatido entre o 25º e o 30º dia de vida), marinado por 12 horas e servido com sopa de capelete, saladas, queijo à dorê e polenta. O banquete também é servido no Nonno Mio, na ativa desde 1982. Ainda entre os representantes italianos, o Tarantino Ristorante serve clássicos cantineiros, como filé à parmigiana e o espaguete com almôndegas. Na Cantina Pastasciutta, uma mesa de antepastos abre caminho para massas com fartas porções de molho, como o pappardelle aos quatro queijos com escalope de filé-mignon (a casa conta ainda com uma linha de massas e molhos para levar). 

    Ver essa foto no Instagram

    Uma publicação compartilhada por Cantina Pastasciutta (@cantinapastasciutta)

    Quem não dispensa comida japonesa mesmo na viagem à serra pode optar pelo San Tao, que além de bem-montados combinados de sushi (em sistema de rodízio ou à la carte), tem uma boa carta de drinques. 

    Compostela à gaúcha

    Estruturada no fim de 2019, a rota de peregrinação Caminhos de Caravaggio  é inspirada no Caminho de Santiago de Compostela, entre França Espanha, e liga os santuários de Nossa Senhora de Caravaggio de Canela e Farroupilha. O roteiro percorre 200 quilômetros e passa por Gramado, Nova Petrópolis e Caxias do Sul, entre paisagens urbanas e rurais que podem ser vencidas em cerca de oito dias. O guia do percurso indica pontos de hospedagem e alimentação, entre outras informações úteis. No caminho há vinícolas, mirantes e pontos de venda de produtos coloniais. Na chegada a Farroupilha (é possível fazer o caminho inverso), a peregrinação termina no Santuário erguido em 1890 por imigrantes italianos – a devoção remonta a aparição de Nossa Senhora na cidade italiana de Caravaggio a uma camponesa, em 1432.

    Sugestão de roteiro

    Em três dias é possível percorrer as principais atrações de Gramado e esticar até a vizinha Canela, com atrações mais próximas à natureza. Na chegada, rume para a Rua Coberta, point de compras de comidinhas, e sinta a vibe de destino badalado de montanha. A sugestão de almoço são os italianos Galeto Di Paolo, Nonno Mio, especializados em rodízio de galeto, ou a Cantina Pastasciutta, com massas de fabricação própria e mesa de antepastos. No fim de tarde, uma boa é passear de pedalinho ou caminhar às margens do Lago Negro e, então, jantar em uma das casas de fondue.

    Ver essa foto no Instagram

    Uma publicação compartilhada por Gramado Oficial (@gramadooficial)

    No dia seguinte, a programação pode incluir atrações como o Snowland, o Mini Mundo e o Gramadozoo. Um só passaporte dá direito à entrada no Museu de Cera Dreamland, Gramado Motor Show, Hollywood Dream Cars, Super Carros e Selfie Gramado. Vale para quem curte automóveis raros e de luxo. Para uma refeição especial, faça uma reserva no Wood, com menu que privilegia ingredientes sazonais e da região. Com crianças, um jantar divertido pode encerrar o dia na Hector Pizzaria Temática. No último dia, escolha um dos Roteiros de Agroturismo (e não deixe de passar na Casa do Colono, que reúne produtores de quitutes da região) ou siga para Canela, onde estão atrações como a Cascata do Caracol e a Catedral de Pedra. 

    De malas prontas? Contrate um seguro viagem e não corra o risco de passar aperto longe de casa; clique aqui.

  • Publicidade