Brasis

Os lugares perfeitos para passear de jangada no Brasil

Veja 5 lugares nos litorais de Alagoas, Pernambuco e Ceará que são ideais para contratar um passeio de jangada, a tradicional embarcação da região

Por Fernando Leite Atualizado em 13 abr 2017, 14h33 - Publicado em 13 abr 2017, 14h17

Presentes em todo o litoral nordestino – com mais ênfase entre o Rio Grande do Norte e o Ceará – as jangadas colorem o Atlântico, fazendo a alegria dos turistas que não perdem a oportunidade de tirar uma foto.

Ainda são usadas para pesca, mas cada dia perdem espaço para barcos mais espaçosos e confortáveis. Vamos falar a verdade: passar dias à bordo de uma jangada não deve ser fácil.

Penso que as pequenas embarcações poderiam ser mais aproveitadas turisticamente. São poucos, mas divertidos passeios, meio que divididos em duas modalidades.

Em Alagoas e Pernambuco, levam os turistas para as piscinas naturais. No Ceará, o destino é o começo do alto-mar, para nadar em águas profundas, mas sem muvuca.

1. Maceió (AL)

Jangadas para passeios turísticos na Praia de Pajuçara, em Maceió.
Jangadas na Praia de Pajuçara, em Maceió (AL) Franco Hoffchneider/Reprodução

Até Porto de Galinhas despontar para o turismo, o passeio até as piscinas naturais da Pajuçara reinavam nas águas nacionais. O passeio dura uma hora: 10 minutos para ir, 10 para voltar e 40 minutos desfrutando das piscinas de águas bem clarinhas, com peixinhos coloridos. Uma jangada com serviço de bar vende bebidas. O passeio custa R$ 25

2. São Miguel dos Milagres (AL)

Jangada para passeio na Praia do Toque, em São Miguel dos Milagres, Alagoas
Jangadas adentram 1 km até as piscinas naturais da Praia do Toque creative commons/Flickr

Sem o movimento de Maceió e Porto de Galinhas, o mergulho nas piscinas naturais é bem tranquilo na paradisíaca praia do Toque. A 1 km da costa, alguns encaram a travessia a pé, mas se deslocando de jangada, você aproveita muito mais as águas mornas na região. Custa em média R$ 40.

Continua após a publicidade

3. Porto de Galinhas (PE)

Porto de Galinhas, Ipojuca (PE)
Vista aérea dos recifes de Porto de Galinhas

A explosão do turismo na vila deve ser creditado às piscinas naturais. Tanta gente pisou os arrecifes nesses últimos 30 anos, que a vida marinha ficou comprometida.

Pelas piscinas estarem muito próximas da vila, elas são facilmente alcançáveis. Ainda assim peixinhos coloridos são avistados nas piscinas – uma delas tem a forma da bandeira brasileira e é a mais fotografada.

O passeio dura uma hora, ao custo de R$ 25. Pelo mesmo preço, uma opção na região é o passeio pelo Rio Maracaípe, passando por um manguezal e pela Praia do Pontal do Maracaípe.

Mas o ponto alto do passeio é a captura de um cavalo-marinho, colocado dentro de um vidro e depois novamente jogado ao mar. Essa captura é meio suspeita, o cavalo-marinho costuma ser um peixe bem arisco.

4. Canoa Quebrada (CE)

As falésias fazem parte do cenário de Canoa Quebrada

Jangadeiros podem ser contatados nas barracas de praia, cobrando geralmente R$ 15 por um passeio que dura meia hora – fique esperto, que eles costumam fazer em menos tempo. O mote é nadar em uma área mais funda e ver a falésia com a meia-lua e a estrela esculpida de um ângulo diferente.

5. Cumbuco (CE)

Vista aérea da Praia de Cumbuco, na Costa Sol Poente
Vista aérea da Praia de Cumbuco, na Costa Sol Poente Secretaria do Turismo do Ceará/Divulgacão

A jangada adentra 1 km pelo Oceano Atlântico. Munidos de coleta e segurando uma corda, os turistas mergulham em um trecho de água profunda, sem a presença dos kitesurfistas. De longe é possível avistar as dunas da região. Com duração média de 30 minutos, a diversão custa R$ 25.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade