Uma viagem de trem pelas principais cidades da Alemanha

Com dez dias de duração, o roteiro percorre os grandes centros alemães com um pulinho na Rota Romântica

Por Patrícia Figueiredo Atualizado em 19 jul 2021, 12h10 - Publicado em 13 mar 2017, 17h16

Berlim – 4 noites

Apaixonada por mudanças, a capital alemã pulsa com novidades a cada temporada, obrigando o viajante à nada dura tarefa de voltar uma vez mais.

Retornar aos clássicos é sempre boa ideia: planeje uma visita ao Pergamonmuseum, que recebe quase 1 milhão de turistas ao ano, e marque um horário online para conhecer o Reichstag, Parlamento alemão cuja cúpula, destruída em um incêndio criminoso em 1933, foi substituída por uma nova, toda envidraçada.

+ 9 lugares autênticos e artísticos em Berlim para um passeio moderninho

Fora do circuito clássico, o bairro da vez é Kreuzkölln, onde há um Mercado Turco, às margens do Canal Landwehr, todas as terças e sextas. No verão, o Parque Hasenheide, ali perto, reúne uma turma cool em sessões de cinema ao ar livre. Galerias de arte alternativas e cafés que servem grande variedade de pratos orgânicos e veganos completam o cenário hipster do distrito.

imagem 1
O Reichstag na sua versão envidraçada Jiuguang Wang/Flickr

Frankfurt – 2 noites

Apesar dos 550 quilômetros de distância de Berlim, a viagem até o centro financeiro alemão leva só quatro horas de trem, sem conexões.

Mais amigável do que aparenta à primeira vista, Frankfurt esconde atrás de seus arranha-céus o bairro medieval Altstadt, com casario em estilo enxaimel que abrigam cervejarias como a Haus Wertheym, de decoração bem pitoresca. O ponto focal ali é a Praça Römerberg, onde é possível comprar todo tipo de suvenir.

+ 15 cidades charmosas para amar na Alemanha

No bairro fica ainda a Catedral Kaiserdom, de estilo gótico e coloração avermelhada. Adiante o relógio em alguns séculos para entrar no clima do contemporâneo Städel-Museum.

imagem 2
Construções históricas e charmosas de Römemberg Thinkstock/Thinkstock

Munique – 3 noites

A capital da Baviera se organiza em torno da Marienplatz, praça onde está a prefeitura da cidade e o relógio que, todo dia, às 11 da manhã, anuncia a hora com bonequinhos dançantes ao som de música folclórica. A Igreja de St. Peter, cuja torre descortina lindas vistas, e o turístico mercado Viktualienmarkt ficam ali perto, ainda no centro histórico.

Continua após a publicidade
imagem 3
As casas enxaimel no Altstadt de Munique Christine Olson/Flickr

+ Feiras de Natal na Alemanha

Fãs de futebol vão curtir o tour guiado pela Allianz Arena, o estádio do Bayern que abrigou jogos na Copa de 2006. O ingresso combinado dá acesso também ao museu. Viajantes que apreciam mais os prazeres etílicos que os esportivos podem trocar o passeio por um tour na fábrica da cerveja Hofbräu.

imagem 4
Brejas na fábrica de cerveja Hofbräu Donna Rutherford/Flickr

Füssen – Bate e volta

Para economizar nos deslocamentos desde Munique, vale investir no Bayern Ticket, um passe diário que garante acesso aos trens locais em trechos dentro da Baviera, perfeito para planejar vários bate e voltas. O trajeto de menos de duas horas até Füssen está incluído nesse passe, que pode ser comprado em máquinas automáticas nas estações.

+ 20 fotos para você se apaixonar pela Rota Romântica Alemã

A cidade, que faz parte da Rota Romântica, é porta de entrada para o Castelo de Neuschwanstein, que inspirou a morada da Cinderela da Disney. Ele fica no topo de uma montanha (é possível subir de ônibus, charrete e a pé) e só pode ser explorado em visitas guiadas, com hora marcada. Lá dentro, preste atenção não apenas nos aposentos reais mas também nas janelinhas, que descortinam lagos e montanhas cobertas por pinheiros.

imagem 5
O castelo de verdade que inspirou o da Cinderela Josiah Mackenzie

Qual é a melhor época?

Na primavera, os locais tiram o atraso do sol tomando as ruas: maio e início de junho são boas apostas. O verão não é escaldante, mas os preços sobem bastante.

[googlemaps https://www.google.com/maps/d/embed?mid=1GWN0RQD84Rw0I2P61XOMF1p9xqw&w=640&h=480%5D

Texto publicado na edição 256 da revista Viagem e Turismo (fevereiro/2017)

  •  

    Continua após a publicidade
    Publicidade