Restaurantes, bares, hotéis e ferveção no Baixo Pinheiros

A sub-região de Pinheiros entre a Avenida Faria Lima e a Marginal Pinheiros entrou no mapa da badalação em São Paulo. Veja os melhores endereços

Impulsionada pela abertura da estação de metrô Pinheiros em 2011, a metamorfose dessa área entre o Largo da Batata e o Rio Pinheiros foi rápida e notável. Onde antes predominavam casinhas antigas e poucos prédios residenciais, agora tem um leque variado de restaurantes, bares – o que cravou de vez o apelido de Baixo Pinheiros. Confira também a seleção dos melhores restaurantes, bares, lojas e galerias de Pinheiros, o bairro mais cool do momento em São Paulo.

Restaurantes

 Fitó

Difícil saber o que agrada mais aqui: se é a casinha azul e branca com bar e balcão abertos cheios de plantinhas, se é a proposta da cozinha de receitas clássicas do Piauí, se é o gostinho de comidas como o palitinho de tapioca com geleia de pimenta ou a paçoca de carne de sol com manteiga de garrafa. Rua Cardeal Arcoverde, 2773.

Più

(Reprodução/Reprodução)

O chef Marcelo Laskani faz receitas de inspiração italiana, com toques criativos da casa. Vêm lindamente apresentadas a paleta de cordeiro, com gnocchi de berinjela, gel de menta e coalhada. No almoço, tem ótimo menu executivo. Rua Ferreira de Araújo, 314.

Maria Farinha Cozinha

A alma da casa é caipira, com um mural colorido que mostra duas mulheres mexendo uma gamela. A cozinheira Lisandra Amaral prepara pratos que variam com o dia: às vezes, é cozido de carne com farofa de feijão-verde; em outras, lombo com tutu e couve. Rua Padre Carvalho, 771.

Caxiri

(Reprodução/Reprodução)

Mais um restaurante para engrossar a oferta de comida regional brasileira por aqui: a inspiração é amazonense – o nome se refere a uma bebida indígena derivada da mandioca. No salão adornado com plantas e fotografias da floresta, a chef Débora Chornik tem receitas autorais, como cupim desfiado com cebolas caramelizadas e risoni com espinafre. Rua Ferreira de Araújo, 1007.

Oui

O restaurante de sotaque francês do chef Caio Guerreiro Ottoboni tem pratos como a berinjela assada laqueada com amendoim e missô que podem vir antes do arroz de pato, chips de paio e couve. No almoço de terça a sexta, há duas opções de menu: entrada e prato ou entrada, prato e sobremesa. Rua Costa Carvalho, 72.

Nou

Se instalou ali em 2008, com salão compacto e garçons tatuados, e pouco mudou desde então. É daqueles restaurantes que você fica sempre atentado a voltar, muito por causa do filé à milanesa , enorme, fininho e crocante, servido com risoto de limão-siciliano. Para vegetarianos, raviolli de gorgonzola com castanhas e redução de balsâmico e amoras. Rua Ferreira de Araújo, 419.

Teus

(Reprodução/Reprodução)

Espaço moderninho com pé-direito alto, paredes de tijolos e varanda. Mesmo enxuto, o menu deixa em dúvida o que pedir: ojo de bife ao molho béarnaise com fritas ou polvo grelhado com batatas e aioli da casa. Nos fins de semana, tem mexilhões e bacalhau assado, e, no almoço. Rua Natingui, 1548.

Bares

Salumeria Tarantino

Não precisa de muito para ter uma boa noite aqui: um lugarzinho nas banquetas ou nas mesinhas rústicas, uma tábua de embutidos artesanais, com copa, pastrami, pancetta e salame, umas rodadas do chope de marca própria, o Tarantino Session e IPA tradicional. Sem mais. Rua Padre Carvalho, 227.

Guilhotina

(Reprodução/Reprodução)

Seguindo a tendência de investir numa coquetelaria sem frescuras, o bar tem pinta de garagem, com uma varanda com varal de luzinhas e interior com paredes de tijolos onde os clientes ficam mais em pé que sentados. Os drinques com nomes espirituosos são criação de Márcio Silva, que já rodou a Europa e trabalhou no Subastor: o “maldade é pura bobagem”, por exemplo, é feito de rum com especiarias, bourbon, gengibre, limão e club soda, e o “yas-mina-pira” tem vermute, saquê, licor de damasco e bitters de chocolate e laranja. Rua Costa Carvalho, 84.

Z Carniceria

Antes na Rua Augusta, o bar mudou para o Largo da Batata com um espaço tipo saloon, com bichos empalhados, esculturas em neon e quadrinhos com motivos religiosos na parede. Bandas independentes de jazz, blues, folk e rock se apresentam nos fins de semana – veja a programação na página do Facebook. Boas comidinhas acompanham, como a minicoxinha de rabada. Avenida Brigadeiro Faria Lima, 724.

Vinum est

A proposta de apresentar o vinho como protagonista vem da proprietária, a italiana Anna Rita Zanier, sommelière com passagem de 16 anos pela loja Expand. Aqui, os vinhos são servidos sem afetação, em taças de acrílico. Para comer, massas e tábuas de queijos e embutidos. Há jantares harmonizados para grupos fechados, cursos e degustações. Rua Ferreira de Araújo, 329.

Empório Alto de Pinheiros

Point cervejeiro de respeito, aberto num tempo em que ali ainda não era Baixo Pinheiros, tem desde achados de pequenos produtores nacionais até grandes nomes importados, totalizando mais de 500 rótulos. A lista do que é oferecido nas 40 torneiras de chope é atualizada no site. Rua Vupabussu, 305.

Pirajá

(Reprodução/Reprodução)

Não há novidade neste pioneiro do Baixo Pinheiros, mas também não tem erro. É só pedir o bolinho de costela e a caipirinha de rapadura. Vale a visita até para ficar em pé na calçada, já que o boteco com jeitão carioca está constantemente lotado do almoço à happy hour. São servidas ainda pratadas como o filé-mignon acebolado. Avenida Brigadeiro Faria Lima, 64.

Negroni

O negroni está tão em alta que ganhou bar dedicado a ele: o drinque feito de gim, vermute tinto e bitter italiano é servido com variação de preço que depende das marcas das bebidas. A mistura também é usada em outros coquetéis em que adicionam elementos como grapefruit, mezcal e infusão de chá. Para matar a fome, há pizzas individuais estilo napolitano, como a de presunto cru e brie. Rua Padre Carvalho, 30.

Delirium Café

(Divulgação/Divulgação)

Com entrada levemente discreta, o bar da aclamada cervejaria belga se abre para um salão enorme, animado com música ao vivo, bom tanto para ir com um grupo de amigos comemorar o aniversário quanto para se sentar a dois ao balcão. Dá para escolher a bebida na geladeira ou das torneiras de chope – apesar de grande parte da oferta ser também belga, há opções nacionais, como a Bodebrown Amélia, de Curitiba. Rua Ferreira de Araújo, 589

Rua Guaicuí

Quem passa pela Rua Guaicuí desacredita que era uma viela escura e vazia até 2015, quando o bar Pitico chegou com cadeiras de praia e bons kebabs. Bombou, e outras casas vieram. O Baixo Pinheiros Bar tem petiscos brasileiros; a hamburgueria Bigorna surgiu no food truck homônimo. Neste ano, os donos do Pitico abriram mais duas casas: o Mica, com comidinhas asiáticas, e o Buraco Quente (11/3582-7365), que vende o sanduíche com carne moída no pão francês. Com outros botecos, a rua virou um novo point boêmio, ou melhor, quase um fenômeno.

Comidinhas

Brigadeiro Doceria e Café

(Divulgação/Divulgação)

Ninguém resiste a esta doceria fofa, com jardinzinho e salinhas com sofás e papéis de parede estampados. Mais ainda, ninguém resiste à vitrine de doces açucarados, daqueles para comer até enjoar, como o bolo surpresa, com pão de ló recheado de brigadeiro tradicional e coberto de brigadeiro branco e farofa de biscoito. A torta de pera também vai muito bem. No almoço, eles preparam combos de sanduíches, saladas e quiches. Rua Padre Carvalho, 91.

HM Food Café

Dentro de uma casa com salão de beleza e galeria de arte que evidenciam a transformação do Baixo Pinheiros, virou lugar para café da manhã e brunch nos fins de semana com sua tostada de abacate, ovos mexidos e bacon. Os ovos pochê são novidade, servidos com pão de cerveja, tomate assado, espinafre e cogumelos salteados com molho hollandaise. Rua Ferreira de Araújo, 1056.

Mano Sanduíches

(Reprodução/Reprodução)

Pequenina e esquema self-service, aposta em sandubas bem-feitos: é receita da família dos donos, os mesmos do restaurante Nou, o pernil marinado com vinho tinto servido com cebola crocante. Quem quiser diminuir a dose de carboidratos pode receber os recheios dos sanduíches em forma de salada, sem pão. Rua Ferreira de Araújo, 381.

Confeitaria Dama

A estrela da casa é o mil-folhas na versão original ou com doce de leite. Todos os anos o lugar promove um festival do doce francês (até 13 de outubro de 2017), que traz novos sabores como pistache e maracujá com banana, de quinta a domingo. Recentemente, lançou uma nova linha de panificação, com croissant e pain au chocolat. Rua Ferreira de Araújo, 376.

Vinil Burguer

A lanchonete com salão acanhado e balcão que dá para a rua tem fórmula simples e infalível. Você monta seu hambúrguer com os ingredientes apresentados em um quadro (cheddar e cebola caramelizada no pão com gergelim vão muito bem). Para beber, há sempre uma seleção de cervejas artesanais. Rua Padre Carvalho, 18.

Quitandoca

(Reprodução/Reprodução)

Empório de produtos orgânicos de pequenos produtores, tem desde legumes até pães, cereais e óleos. Aos domingos, a partir das 9h, os ingredientes são usados no preparo do café da manhã, com bufê para comer à vontade no ótimo ambiente do vizinho Pitico. Rua Guaicuí, 53.

Galerias e lojas

Galeria Estação

(Reprodução/Reprodução)

Especializada em arte popular brasileira contemporânea, expõe, até outubro, as esculturas de madeira e cera da gaúcha Conceição dos Bugres. Rua Ferreira de Araújo, 625.

Gicca Chloé Calçados

Vende sapatos alternativos e confortáveis feitos de couro – papetes, botas, sapatilhas, sandálias. Rua Vupabussu, 105.

Arpoar

Com alma carioca, a loja vende roupas de marcas do Rio, como Totem, Cantão, Oh Boy e Via Mia, e também criações próprias. Rua Padre Carvalho, 20.

The Butcher

A boutique de carnes conta com seleção de cortes resfriados de gados angus, hereford e wagyu. O espaço moderninho construído a partir de materiais de demolição tem uma varanda com churrasqueira usada para eventos, degustações e aulas de culinária, e vende ainda molhos e cervejas artesanais. Rua Ferreira de Araújo, 330.

Sesc Pinheiros

(Reprodução/Reprodução)

A região do Baixo Pinheiros é agraciada com a presença do Sesc, que, além do restaurante bom e barato para almoçar durante a semana, tem programação cultural de peso, com shows, peças e cursos imperdíveis. Cheque a agenda no site.

Hotéis e hostels

Guest Urban

Hotel-butique num sobrado próximo à Praça Benedito Calixto, tem quartos charmosos com décor industrial, um restaurante com terrraço e jardim e uma galeria de arte.

Ô de Casa

(Reprodução/Reprodução)

Hostel com boa localização para transitar por Pinheiros, Vila Madalena e Baixo Pinheiros a pé. Com bar e terraço, tem quartos individuais e coletivos.

Mercure Pinheiros Hotel

Hotelão de rede, tem boa localização (Rua Capote Valente), quartos simpáticos com toques que remetem ao skyline de São Paulo e piscina térmica. mercure.com;

City Lights Hostel

É badaladíssimo, com noites frequentes de festas e jazz ao vivo, além de abrigar o restaurante Mr. Poke. Os quartos são básicos.

Publicado na edição 264 da Revista Viagem e Turismo

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s