Parques da Disney em Orlando já têm data de reabertura

Os parques da Disney deverão ser os últimos a reabrir em Orlando. Em um primeiro momento, a prioridade será para quem já tinha ingressos comprados

Por Bárbara Ligero Atualizado em 28 Maio 2020, 19h54 - Publicado em 28 Maio 2020, 13h43

Os parques temáticos da Disney, em Orlando, pretendem reabrir em julho de 2020. O Magic Kingdom e o Animal Kingdom seriam os primeiros a voltar a receber visitantes, a partir do dia 11 de julho. Já a reabertura do Epcot e do Hollywood Studios ficaria para a semana seguinte, a partir do dia 15 de julho.

Os espaços, que estão fechados desde 15 de março devido à Covid-19, já receberam autorização das autoridades locais para voltar a funcionar nas datas mencionadas. Porém, eles ainda aguardam a autorização final do governador da Flórida, Ron DeSantis.

  • No plano de reabertura apresentado, os parques enumeraram as medidas que pretendem implementar para manter a segurança sanitária necessária em tempos de pandemia de coronavírus. Veja algumas delas a seguir:

    • Todos os visitantes e funcionários terão a temperatura corporal checada antes de entrar nos parques.
    • O uso de máscaras por visitantes e funcionários será obrigatório e os parques disponibilizarão máscaras descartáveis para os visitantes que não trouxerem as suas próprias.
    • Algumas atrações permanecerão fechadas.
    • As atividades que geram aglomerações, como as paradas, os shows de fogos de artifício e os encontros com personagens, serão suspensas.
    • Por todos os parques, marcações no chão mostrarão onde um visitante deve ficar para manter a distância necessária dos demais.
    • Os restaurantes irão possibilitar e incentivar o uso de sistemas de pagamento sem contato.
    • A higienização dos espaços será intensificada.

    A Disney também afirmou que “reduzirá significativamente” a capacidade dos parques em Orlando, apesar de não especificar o quanto. A grande novidade é que o complexo exigirá que os visitantes façam uma pré-reserva de ingressos, o que será uma total novidade: normalmente, os tickets podem ser usados em qualquer data dentro de um prazo de validade.

  • Nesse contexto, os parques temáticos darão prioridade para as pessoas que já possuem ingressos comprados, que adquiriram o passe anual e/ou que se hospedarão em um dos hotéis da Disney. Essa fatia de clientes terá prioridade na hora de efetuar reservas em relação à venda de novos ingressos.

    Segundo a Travel+Leisure, as reservas de quartos em hotéis e resorts dentro do complexo também foram pausadas temporariamente para melhor atender aqueles já tinham reservas feitas e tiveram que cancelar.

    Continua após a publicidade

    Lembrando que uma parte do Disney Springs, complexo de bares, restaurantes e lojas, voltou a funcionar em 20 de maio. A Disneyland Shanghai também já está funcionando, desde 11 de maio, com 30% de sua capacidade normal.

  • Receber visitantes novamente é crucial para a recuperação da Disney em relação à crise econômica causada pela pandemia de coronavírus. Dados levantados pela Reuters indicam que a Disney pode ter perdido mais de de um bilhão de dólares só com o fechamento de parques temáticos no período de janeiro a março de 2020.

    Ainda assim, tudo indica que o Magic Kingdom, o Animal Kingdom, o Epcot e o Hollywood Studios serão os últimos parques a reabrir em Orlando, mais de um mês depois dos demais.

    O Universal Studios e o Islands of Adventure pretendem voltar a receber visitantes no dia 5 de junho, mais de um mês antes que os parques da Disney. O Sea World também já tem uma proposta de reabertura pré-aprovada, nesse caso para o dia 11 de junho.

  • Porém, as medidas de segurança proposta pelos complexos da Disney, da Universal e do Sea World são parecidos. O uso de máscaras, a checagem de temperatura, as filas com distanciamento social, as formas de pagamento sem contato e a limpeza obsessiva devem se tornar parte da rotina dos primeiros visitantes que se aventurarem nos parques temáticos de Orlando no verão de 2020.

    Leia tudo sobre coronavírus

    Continua após a publicidade
    Publicidade