Azul e Latam passam a compartilhar voos e programas de fidelidade

O acordo de codeshare ampliará o alcance de ambas as aéreas, mas especula-se que poderá ser o primeiro passo para uma eventual fusão

Por Giovanna Simonetti Atualizado em 16 jun 2020, 18h37 - Publicado em 16 jun 2020, 18h28

Em um contexto de crise na aviação por conta do coronavírus, as aéreas Azul e Latam anunciaram hoje (16) um acordo de codeshare no Brasil – ou seja, o compartilhamento de seus voos. Isso significa que rotas das duas empresas serão conectadas, em um esforço para expandir suas malhas domésticas. 

Com a parceria, as aéreas disponibilizarão aos passageiros novas e mais convenientes opções de voos, além de bilhetes compartilhados para check-in e despacho de bagagem. “Nossa complementaridade de frota e de malha oferecerão aos clientes a mais ampla variedade de opções de viagem”, disse o CEO da Azul, John Rodgerson. 

Em um primeiro momento, o acordo abrangerá 50 rotas domésticas não sobrepostas, de/para os seguintes destinos: Brasília (BSB), Belo Horizonte (CNF), Recife (REC), Porto Alegre (POA), Campinas (VCP), Curitiba (CWB) e Guarulhos (GRU). Em comunicado, a Azul informou que bilhetes começarão a ser vendidos nos próximos meses. 

  • Outro acordo celebrado entre as aéreas diz respeito aos programas de fidelidade. A partir desta união, membros do TudoAzul e do Latam Pass poderão escolher em qual dos dois programas querem acumular pontos. 

    A união das concorrentes gerou especulação. Seria esta uma parceria temporária apenas para enfrentar a crise do coronavírus ou pode significar uma fusão das duas empresas no futuro? No comunicado para a imprensa, as aéreas apontam que “inicialmente” serão 50 rotas – ou seja, existe uma intenção de expandir este número. Junto à integração dos programas de fidelidade, tudo indica que este seja um acordo de longo prazo. Agora é esperar para ver. 

  • Continua após a publicidade
    Publicidade