Coronavírus: como evitar o contágio em voos

Passageiro sentado na janela tem cinco vezes menos encontros com outras pessoas, o que diminui as chances de contaminação, diz estudo

Veja algumas medidas que foram postas em prática e o que cada passageiro pode fazer para não transmitir o vírus e nem ser contaminado.

Distanciamento social

Quem precisar viajar deverá manter um distanciamento de outras pessoas, fala-se de pelo menos 2 metros. Essa medida deverá ser estimulada nos momentos de check-in, raio-x e embarque.

Utilização da máscara

No começo da pandemia, o uso contínuo de máscaras não era incentivado, mas as recomendações mudaram completamente com o espalhamento da doença. Agora, as três principais aéreas brasileiras obrigam que o passageiro embarque com a sua própria máscara. Lembrando: pessoas assintomáticas podem transmitir o vírus e a barreira de pano também protege contra a contaminação.

A Lufthansa anunciou a obrigatoriedade das máscaras desde o dia 1 de maio em todos os voos. Com a medida, a empresa deixou de manter o assento do meio livre, pois considera que o artefato sobre o rosto oferece a proteção adequada. A American Airlines anunciou que irá fornecer máscara e álcool em gel para todos os passageiros. A Air France-KLM tornou obrigatória a utilização de máscaras desde o dia 11 de maio. A regra será válida dentro da aeronave e durante o período do embarque, em qualquer voo operado pelas companhias.

Reserve um assento próximo à janela

Um estudo de 2018 da Universidade de Emory, nos Estados Unidos, concluiu que uma das maneiras de evitar doenças contagiosas – não só o coronavírus – durante um voo, é buscar um assento na janela. Longe do corredor, o passageiro tem cinco vezes menos encontros com outras pessoas, o que diminui as chances de entrar em contato com alguém infectado. Em suma: uma vez sentado na janela, melhor nem levantar. Caso o passageiro queira ou precise ocupar um assento no corredor, é recomendável que seja longe do banheiro, que é o lugar onde as pessoas mais se aglomeram.

Homem no assento mais próximo a janela do avião Passageiros que sentam na janela correm menos risco de contágio em comparação aos que sentam no corredor. Esse daí esqueceu da máscara

Passageiros que sentam na janela correm menos risco de contágio em comparação aos que sentam no corredor. Esse daí esqueceu da máscara (Reprodução/Getty Images)

Não encostar no rosto

Assim como a cada voo o chefe de cabine anuncia que é preciso prestar atenção aos procedimentos de segurança, mesmo para quem é passageiro frequente, da mesma forma continuarão a ser martelados os cuidados para evitar a contaminação: não colocar a mão na boca, nariz e olhos, mesmo se estiver usando máscara e, principalmente, em ambientes com aglomerações, como é o caso dos aeroportos. 

Ao tossir ou espirrar, é importante não cobrir o rosto com as mãos, e sim com algum lenço de papel que possa ser descartado em seguida. Levar a dobra interna do cotovelo até a boca na hora de tossir ou espirrar pode ser uma boa maneira de evitar que o vírus espalhe.

Lavar as mãos 

A higienização das mãos segue sendo um dos principais modos de combater o coronavírus, como indica o Center for Disease Control and Prevention (CDC), centro de referência em saúde nos Estados Unidos. Mas o método só é eficaz se feito de forma adequada, realizando uma lavagem por cerca de 20 segundos e abrangendo todas as partes da mão e o pulso. Até música e dancinha foram inventados para incentivar.

Caso não consiga lavar com água e sabão, o álcool em gel é uma eficaz alternativa. Gol, Azul e Latam anunciaram que fornecem o produto dentro de suas aeronaves.

Faxine o seu próprio assento

E uma última atitude que pode ser tomada pelo passageiro é a limpeza do próprio assento. Sim, ser TOC está permitido. Munido de lenços de papel desinfetantes, as pessoas podem higienizar a mesinha, a fivela do cinto, os braços da poltrona e, se houver, a TV e o controle remoto. No caso do assento, vai depender do material. Se for de couro ou de algum material similar, vá em frente. Se for de tecido, melhor evitar, já que a umidade pode ajudar na proliferação do vírus. Evite usar lenços de bebê, que não possuem a quantidade de álcool adequada.

Saiba como é a limpeza das aeronaves

Desde o início da pandemia, as aéreas estão criando protocolos e rotinas para a desinfecção dos aviões. A United está utilizando um spray eletrostático desde o começo de abril para higienizar as cabines, como você pode ver aqui. A American Airlines compartilhou um vídeo no Facebook contando que expandiu o processo de limpeza dos aviões e guichês de operação nos aeroportos. Para isso, está utilizando um desinfetante combinado com a mesma tecnologia usada pela United.

Segundo estudos, o sistema de ventilação já existente nas cabines ajuda a combater o vírus. Diferente do ar respirado no lado de fora, as aeronaves contam com uma combinação de ar fresco com ar recirculado, assim como é feito em salas de cirurgia. Os aviões normalmente dispõem do sistema de filtro de ar HEPA, que captura 99,7% das partículas bacterianas e virais microscópicas presentes no ambiente. As renovações feitas a partir da recirculação do ar acontecem muitas vezes por hora. O resto é torcer.

Leia tudo sobre o coronavírus

Comentários

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.