Coronavírus: como evitar o contágio em voos

Passageiro sentado na janela tem cinco vezes menos encontros com outras pessoas, o que diminui as chances de contaminação, diz estudo

Por Luca Occhialini Atualizado em 24 Dec 2020, 09h09 - Publicado em 30 Apr 2020, 09h43

Veja algumas medidas que foram postas em prática e o que cada passageiro pode fazer para não transmitir o vírus e nem ser contaminado.

Distanciamento social

Quem precisar viajar deverá manter um distanciamento de outras pessoas, fala-se de pelo menos 2 metros. Essa medida deverá ser estimulada nos momentos de check-in, raio-x e embarque.

Utilização da máscara

No começo da pandemia, o uso contínuo de máscaras não era incentivado, mas as recomendações mudaram completamente com o espalhamento da doença. Agora, as três principais aéreas brasileiras obrigam que o passageiro embarque com a sua própria máscara. Lembrando: pessoas assintomáticas podem transmitir o vírus e a barreira de pano também protege contra a contaminação.

A Lufthansa anunciou a obrigatoriedade das máscaras desde o dia 1 de maio em todos os voos. Com a medida, a empresa deixou de manter o assento do meio livre, pois considera que o artefato sobre o rosto oferece a proteção adequada. A American Airlines anunciou que irá fornecer máscara e álcool em gel para todos os passageiros. A Air France-KLM tornou obrigatória a utilização de máscaras desde o dia 11 de maio. A regra será válida dentro da aeronave e durante o período do embarque, em qualquer voo operado pelas companhias.

Reserve um assento próximo à janela

Um estudo de 2018 da Universidade de Emory, nos Estados Unidos, concluiu que uma das maneiras de evitar doenças contagiosas – não só o coronavírus – durante um voo, é buscar um assento na janela. Longe do corredor, o passageiro tem cinco vezes menos encontros com outras pessoas, o que diminui as chances de entrar em contato com alguém infectado. Em suma: uma vez sentado na janela, melhor nem levantar. Caso o passageiro queira ou precise ocupar um assento no corredor, é recomendável que seja longe do banheiro, que é o lugar onde as pessoas mais se aglomeram.

Homem no assento mais próximo a janela do avião
Passageiros que sentam na janela correm menos risco de contágio em comparação aos que sentam no corredor. Esse daí esqueceu da máscara Reprodução/Getty Images

Não encostar no rosto

Assim como a cada voo o chefe de cabine anuncia que é preciso prestar atenção aos procedimentos de segurança, mesmo para quem é passageiro frequente, da mesma forma continuarão a ser martelados os cuidados para evitar a contaminação: não colocar a mão na boca, nariz e olhos, mesmo se estiver usando máscara e, principalmente, em ambientes com aglomerações, como é o caso dos aeroportos. 

Continua após a publicidade

Ao tossir ou espirrar, é importante não cobrir o rosto com as mãos, e sim com algum lenço de papel que possa ser descartado em seguida. Levar a dobra interna do cotovelo até a boca na hora de tossir ou espirrar pode ser uma boa maneira de evitar que o vírus espalhe.

Lavar as mãos 

A higienização das mãos segue sendo um dos principais modos de combater o coronavírus, como indica o Center for Disease Control and Prevention (CDC), centro de referência em saúde nos Estados Unidos. Mas o método só é eficaz se feito de forma adequada, realizando uma lavagem por cerca de 20 segundos e abrangendo todas as partes da mão e o pulso. Até música e dancinha foram inventados para incentivar.

Caso não consiga lavar com água e sabão, o álcool em gel é uma eficaz alternativa. Gol, Azul e Latam anunciaram que fornecem o produto dentro de suas aeronaves.

Faxine o seu próprio assento

E uma última atitude que pode ser tomada pelo passageiro é a limpeza do próprio assento. Sim, ser TOC está permitido. Munido de lenços de papel desinfetantes, as pessoas podem higienizar a mesinha, a fivela do cinto, os braços da poltrona e, se houver, a TV e o controle remoto. No caso do assento, vai depender do material. Se for de couro ou de algum material similar, vá em frente. Se for de tecido, melhor evitar, já que a umidade pode ajudar na proliferação do vírus. Evite usar lenços de bebê, que não possuem a quantidade de álcool adequada.

Saiba como é a limpeza das aeronaves

Desde o início da pandemia, as aéreas estão criando protocolos e rotinas para a desinfecção dos aviões. A United está utilizando um spray eletrostático desde o começo de abril para higienizar as cabines, como você pode ver aqui. A American Airlines compartilhou um vídeo no Facebook contando que expandiu o processo de limpeza dos aviões e guichês de operação nos aeroportos. Para isso, está utilizando um desinfetante combinado com a mesma tecnologia usada pela United.

Segundo estudos, o sistema de ventilação já existente nas cabines ajuda a combater o vírus. Diferente do ar respirado no lado de fora, as aeronaves contam com uma combinação de ar fresco com ar recirculado, assim como é feito em salas de cirurgia. Os aviões normalmente dispõem do sistema de filtro de ar HEPA, que captura 99,7% das partículas bacterianas e virais microscópicas presentes no ambiente. As renovações feitas a partir da recirculação do ar acontecem muitas vezes por hora. O resto é torcer.

Leia tudo sobre o coronavírus

Continua após a publicidade
Publicidade