Armadoras de cruzeiros suspendem atividades no Brasil e no mundo

MSC Cruzeiros e Costa Cruzeiros seguem orientação do Ministério da Saúde e cancelam operações em solo brasileiro

Na última sexta-feira (13), o Ministério da Saúde decidiu pelo cancelamento da temporada de cruzeiros devido ao novo coronavírus. A medida vale por tempo indeterminado, de acordo com o avanço ou regresso da situação provocada pela chegada do Covid-19 no Brasil. Veja as medidas tomadas pela MSC Cruzeiros e pela Costa Cruzeiros e como ficam as viagens já programadas:

Costa Cruzeiros

A Costa Cruzeiros cancelou todas as atividades desde ontem (17), e com isso encerrou a sua temporada em águas brasileiras. As operações estão interrompidas mundialmente até 30 de abril.

Com o intuito de se proteger da pandemia e garantir que ninguém seja prejudicado, a empresa está em contato com passageiros e agências para que todos os clientes recebam crédito de mesmo valor para utilizarem em outra oportunidade. A armadora, através da assessoria de imprensa, afirmou que “o cliente poderá utilizar o valor pago como crédito até o dia 31 de março de 2021 para assim agendar um novo cruzeiro com embarque até 30 de novembro de 2021”.

Os passageiros que remarcarem a viagem também receberão créditos para serem usados durante o cruzeiro que escolherem. O valor será por cabine: R$ 400 de 1 a 5 noites, R$ 800 de 6 a 9 noites e R$ 1200 para mais de 10 noites.

O Presidente Executivo da Costa Cruzeiros para a América Central e do Sul, Dario Rustico, disse que na temporada 2020/2021 a armadora trará três navios para o Brasil.

MSC Cruzeiros

A MSC é a companhia que mais teria navios em operação na temporada brasileira. A armadora, mesmo após a determinação do Ministério da Saúde, teve a partida de um cruzeiro na última segunda-feira (16), mas cancelou todas as outras viagens que aconteceriam até 30 de abril. A atitude tomada em prevenção ao coronavírus foi aplicada mundialmente.

Os viajantes afetados pelos cancelamentos receberão um voucher em valor integral para utilizarem durante 2020 ou 2021, acrescentado de um crédito não definido para ser usado a bordo. Quem tem reservas para maio ou junho pode postergar a viagem sem pagamento de taxas extras. A nova data escolhida pode ser até 12 meses depois da data prevista inicialmente. Quem adquiriu o pacote apenas com o cruzeiro precisa realizar o novo agendamento dois dias antes do embarque previsto. Já quem comprou o combo navio e aéreo deve fazer a remarcação com três dias de antecedência.

Ainda há a possibilidade do cancelamento de viagens marcadas entre junho e novembro, porém para isso existe uma taxa de R$ 150, tarifa reduzida em relação ao que normalmente é cobrado. Isso deve ser feito pelo menos 22 antes da data prevista.

Leia tudo sobre coronavírus

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s