10 programas fundamentais em Florianópolis

Os melhores programas de Santo Antônio de Lisboa, Lagoa da Conceição, Jurerê, Ribeirão da Ilha e Centro

A paixão pelos esportes ao ar livre, a herança açoriana, a culinária ancorada no mar: além de belíssima, a capital catarinense também tem um estilo de vida invejável. Tanto é que grande parte de sua população de 250 mil habitantes a escolheu para chamar de sua, fazendo com que sotaques de todo o Brasil se misturem ao quase dialeto local.

A natureza foi gentilíssima com Floripa, que tem 98% de seu território acomodado em uma ilha, pontilhada por duas lagoas (a da Conceição e a do Peri) e cercada de 42 praias.

Praia da Joaquina, Florianópolis A Praia da Joaquina

A Praia da Joaquina (Papa Pic/Flickr)

A seguir, uma check-list para devorar em dez bocados a cidade que ostenta o litoral mais cobiçado do Brasil:

1. Festejar em Jurerê Internacional

No verão, modeletes, celebridades de vários escalões, bon-vivants e afins desfilam o corpão esculpido à base de whey nessa faixa de areia ao norte da ilha. Além de mansões à la Beverly Hills, a praia de águas calmas é o endereço dos beach clubs mais badalados de Floripa como o bombadíssimo P12. É pra dançar com o dedinho pra cima e fazer chuveirinho de espumante.

Balada em Jurerê Internacional

 (Gerardo Lazzari/Flickr)

2. Conhecer a Lagoa da Conceição

Sua posição é estratégica, no centro da ilha. Ao mesmo tempo, é um destino em si. Sua água salgada, ainda que poluída, é um grande playground para esportes náuticos. No verão e nos finais de semana, raramente é possível dirigir a mais 20km/h no centrinho e na Avenida das Rendeiras devido o trânsito – sorte que a paisagem entretém!

Lagoa da Conceição, Florianópolis

 (Papa Pic/Flickr)

Na Costa da Lagoa, acessível de barco, a delícia é se encher de frutos do mar praticamente com o pé na água. No já citado centrinho é onde tudo acontece depois que o sol se põe. Tem boas lojas, restaurantes e bares.

3. Relaxar no Campeche

Ainda que o trecho do Riozinho seja badalado, na vastidão de areia branca cercada de verde, nunca falta espaço. Na frente do Pontal está a Ilha do Campeche, com vegetação intocada e uma praia perfeita, ainda que geladíssima!

Ilha do Campeche

 (Rodrigo Soldon/Flickr)

A ilhota ainda tem sítios arqueológicos, trilhas pela Mata Atlântica e é boa para mergulho com snorkel. Os barcos partem da Praia da Armação. No verão é preciso reservar com antecedência de alguns dias.

4. Ir à Santo Antônio de Lisboa

O antes sonolento e quase esquecido bairro com construções açorianas entrou na moda. Não existe fim de tarde sem que o miolinho de ruas de pedra e o deque sobre a areia estejam tomados de gente ávida pelo pôr do sol. A Casa Açoriana, do Janga, com seu café nos fundos, junto com a cafeteria Amalfi, em frente ao restaurante homônimo. Se quiser continuar noite adentro, cacife uma mesa na Marisqueira Sintra.

Santo Antônio de Lisboa, Florianópolis

 (Hector Garcia/Flickr)

5. Se hospedar no Costão do Santinho

Sob medida para quem curte o conforto de um resort, o Costão do Santinho é praticamente uma cidade. Tem complexo de quadras, parque de aventuras (com arvorismo, paintball, escalada), academia, piscinas animadas pela recreação e praia com dunas e sítio arqueológico. Funciona em sistema all-inclusive e tem nove bares e restaurantes, incluindo um infantil.

Resort Costão do Santinho

 (Instagram @costaodosantinho/Reprodução)

6. Experimentar a autenticidade do sul

As praias de Pântano do Sul e Ribeirão da Ilha mantêm vivo o jeitinho low profile da Florianópolis de antigamente, com suas colônias de pescadores, casinhas em estilo açoriano e manezinhos (como são conhecidos, carinhosamente, os nativos da ilha) de sotaque carregado.

Bar do Arante, Florianópolis

 (Janko Hoener/Flickr)

Forrado de bilhetinhos deixados pelos turistas, o Bar do Arante é um dos botecos mais tradicionais da cidade para comer frutos do mar.

7. Curtir o agito do centro

Comer um pastel no tradicionalíssimo Box 32 ou petiscar nos novos botecos do Mercadão, que foi reformado recentemente, são um bom começo para bater perna pelo centro histórico, passando pela Praça XV de Novembro, em torno da qual orbitam alguns programas culturais interessantes.

Mercadão de Florianópolis

 (Global_Pics/iStock)

Na Travessa Ratclif e arredores, por exemplo, há bares com diferentes propostas musicais. Lá perto também vale tomar uma no boteco-antiquário cult Tralharia e conferir as mostras no Instituto Meyer Filho.

8. Passear pela Rota do Sol Poente

A estradinha que vai de Cacupé a Sambaqui, passando por Santo Antônio de Lisboa, concentra alguns restaurantes tradicionais e outros incrementados, com belíssimas vistas, ora para o mar calmo da Baía Norte, ora para o skyline do Centro. Algumas boas pedidas são o Restinga Recanto, o Bate Ponto e a Marisqueria Sintra.

Restaurante Bate Ponto

 (Instagram @bateponto/Reprodução)

9. Comer as ostras de Ribeirão

Ficam em Ribeirão da Ilha as fazendas marinhas responsáveis por grande parte do cultivo de ostras do Brasil. E elas vão praticamente do mar ao prato em uma série de restaurantes, como o excelente Rancho Açoriano, em que são servidas por um preço camarada ao natural ou em várias receitas: gratinadas, ao bafo, à milanesa, com molhos inventivos…

Ostras

 (Théo Paul/Flickr)

10. Visitar as ondas da Praia Mole e da Joaquina

Se a ideia é trocar o salto pelo chinelão – e a champa pelo açaí –, essas duas praias são as favoritas dos surfistas e de todo o séquito de admiradores que a turma da prancha costuma arrastar consigo.

Ski-bunda na Joaquina

 (Daniel Pereira Volpato/Flickr)

A “Joaca”, aliás, recebeu uma das etapas do circuito mundial de surfe em novembro de 2016. Nas dunas que cercam a praia, também dá para praticar sandboard (ou, vá lá, pelo menos um “esquibunda”).

Busque hospedagens em Floripa no Booking

Publicado na edição 263 da Revista Viagem e Turismo

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s