Publicidade
Olha o mundo, filho! Ana Claudia Crispim achou que Cinquenta Tons de Cinza definiria a segunda metade da sua vida, mas hoje tem na cabeceira um exemplar de Criando Meninos – o que não quer dizer que tenha desistido de encontrar um Christian Grey. Aqui, ela escreve cartas sobre os seus lugares favoritos do mundo para o pequeno Nando, de 6 anos.
A relação de amor e ódio entre a colunista e uma cidade. Ou, foi tudo culpa do Gerardo. Pobre Gerardo
Uma experiência lúdica no Litoral Norte de São Paulo entre os personagens do Bob Esponja e a casa de Os Três Porquinhos
Uma das coisas mais lindas das viagens é a vida acontecendo enquanto você passa como espectador. E dessa vez eu tinha você, filho, sentado no banco de trás
A proposta era entrar em cinco bares e tomar cinco drinks (vai vendo). Não ficamos só nisso: teve coxinhas apimentadas e café da manhã no day after
Vitrines com nomes inspiradores, grafites, fachadas de casas que aguçam a imaginação e me faziam perguntar: como será a vida lá dentro?
Ruas silenciosas, becos escondidos, passagens quase secretas, galerias de arte e cafés charmosinhos para frequentar sem pressa
Filho, eu nem saberia contar quantas vezes me emocionei ouvindo músicos de rua em vielas, metrôs, túneis e praças. Nunca foi tempo perdido
A primeira de uma série de cartas de uma mãe que escreve relatos de viagem para o filho Nando, de 5 anos
Publicidade