Imagem Blog Flanando por Paris Karina Jucá é escritora bissexta, tradutora e produtora cultural. Graduada em Letras, vive em Paris há mais de 4 anos e faz curso de história da arte no Museu de Belas Artes do Petit Palais. Aqui, ela vai ajudar a fazer seus euros renderem
Continua após publicidade

Paris: livros, pôsteres de filmes, postais e achados para amantes de arte

Fotografia analógica, pôsteres da nouvelle vague, raridades literárias e, para coroar, concertos na igreja de Saint-Germain-des-Prés

Por Karina Jucá
Atualizado em 11 jan 2023, 12h44 - Publicado em 7 dez 2022, 02h03

As bouquinistes 

As bouquinistes são as famosas bancas de livros usados enfileiradas às margens do Sena. Essas caixas na cor vert wagon, o verde escuro que é padrão em Paris, fazem parte do imaginário intelectual e cinematográfico da cidade.

Mas para além de fotografar o patrimônio mundial tombado, tire um tempo para olhar os títulos que são um bom recorte dos gostos e dos interesses parisienses há séculos, mais precisamente desde que as bouquinistes vendiam bibliotecas particulares inteiras pilhadas da aristocracia durante a revolução Napoleônica.

Da última vez que estive por lá, encontrei uma série de postais vintage das grandes inundações de Paris de 1910. Inclusive, por estarem a céu aberto, as bouquinistes fecham na chuva. Quando a meteorologia estiver favorável, aproveite as quase 900(!) bancas para uma verdadeira caça ao tesouro de uma ou mais pepitas.

Onde encontrar: na rive gauche (margem esquerda do Sena), do quai de la Tournelle ao quai Voltaire. Na rive droite (margem direita), da ponte Marie ao quai du Louvre.

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Bernadette Pivote (@bernadettepivote)

Galerie Ciné-Images 

Um endereço incontornável para quem é cinéfilo. O lugar é especializado em fotografias e pôsteres de filmes, principalmente da nouvelle vague. Fundada por um crítico e ex-programador do La Pagode, o cinema mais transgressor de Paris nos anos 70 e que fica do outro lado da rua, atualmente a loja é pilotada por um especialista da Cinemateca Francesa. Os preços variam de acordo com o tamanho e a raridade do pôster: de pequenas reproduções em torno de €30 a um valor mais salgado, mas digno de colecionador. Ainda sobre o La Pagode: o prédio é uma réplica de um templo budista (com direito a casa de chá), e o cinema era o preferido de Jean Cocteau. Por ora, o lugar está sendo restaurado, mas é possível apreciá-lo de dentro da loja de pôsteres.

Continua após a publicidade

Onde encontrar: 68 Rue de Babylone; saiba mais

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Hiba (@helloiamhiba)

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Cine-Images (@cineimages)

Galeria Continua

Espaço conceito criado por 3 italianos, é a galeria que representa o artista visual francês JR, conhecido pelas gigantes intervenções urbanas de fotografias e ilusão de ótica, e que despontou para o grande público depois de co-dirigir e protagonizar Visages, Villages, o último filme de Agnés Varda, a lendária diretora da Nouvelle Vague.

Continua após a publicidade

Na prática, a Continua é um mix com Pop Art, design, livraria e delicatéssen com itens dos países onde a galeria tem filiais, como Havana, Roma, Dubai e até São Paulo. As obras à venda podem ir diretamente na cestinha de plástico colorida típica dos supermercados e passadas no caixa junto com um molho chinês ou um charuto cubano. O formato é uma ironia com o quase inacessível mercado da arte e também uma simpática performance de democratização.

Onde encontrar: 87 Rue du Temple; saiba mais

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por GALLERIA CONTINUA (@galleriacontinua)

Ithaque

A rapidez e a descartabilidade do mundo digital vem alimentando a nostalgia pelo mundo analógico, principalmente entre a Geração X, a última que experimentou a pré-internet. O saudosismo se reflete, principalmente, no fetiche por objetos analógicos, como vinis e câmeras de rolo de filme. 

Continua após a publicidade

Se a sua paixão é a fotografia analógica, uma tarde no laboratório de revelação da Ithaque é um programão. O acesso é democrático: ela é aberta para profissionais, diletantes ou curiosos que estejam de passagem pela cidade mais fotogênica do mundo. 

Localizada no Marais, o bairro com a maior presença de espaços dedicados às artes, na Ithaque é possível aprender os primeiros passos da revelação em uma sala escura e, de quebra, trocar uma ideia sobre o mercado da fotografia na França. Basta agendar com o Alexandre, fotógrafo e galerista que está à frente do espaço.

Onde encontrar: 5, rue des Haudriettes; saiba mais

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por StudioKargah (@studiokargah)

Continua após a publicidade

Concertos de natal em Saint Germain des Prés 

Programa cultural de Natal tipo pacote completo? A dica é assistir concertos de música clássica em igrejas. A experiência pode ser transcendente graças à acústica excelente e ao cenário majestoso. Em Paris, a oferta de concertos de Natal é farta e uma tradição. Mas pelo combo, os mais atraentes são os da lindíssima igreja de Saint-Germain-des-Prés, datada do século VI e também a catedral mais antiga de Paris. Além disso, fica no bairro homônimo, fundamental na cena artística dos anos 70, bem ao lado dos famosíssimos cafés De Flore e Les Deux Magots.

Onde encontrar: 3 place Saint‐Germain‐des‐Prés; saiba mais

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Stéphanie Delannoy (@steph_dy_)

Leia tudo sobre Paris

Continua após a publicidade

Busque hospedagem em Paris

Veja as melhores opções de voos para a França

Publicidade