Capitólio (MG): cachoeiras, passeios de barco, hotéis e mais

Site: http://capitolio.mg.gov.br População: 8.251 hab DDD: 37 Distância de outras cidades: Belo Horizonte: 283 km; Piumhi: 38 km.

Atenção: a pandemia pode ter afetado o funcionamento de atrações e restaurantes. Antes de sair de casa, pesquise nas redes sociais ou ligue para confirmar o funcionamento 

Por Mirela Mazzola

A 280 quilômetros de Belo Horizonte, Capitólio despertou para o turismo há cerca de uma década, mas sua principal atração se formou bem antes, nos anos 1960. É o Lago de Furnas, colosso de 1.440 km² e que banha mais de 30 municípios mineiros, resultado da barragem construída no Rio Grande para geração de energia hidrelétrica. 

Cânions, cachoeiras e piscinas naturais compõem o cenário, preenchido pelo congestionamento de lanchas em fins de semana e feriados – se quiser tranquilidade, fuja dessa época. Os visitantes se concentram no condomínio Balneário Escarpas do Lago (que, apesar do condomínio no nome, tem acesso livre) ou nos hotéis próximos à MG-050. Ah, e se quiser combinar dois destinos em uma mesma viagem, a Serra da Canastra está a pouco mais de 100 quilômetros. 

Melhor época para visitar Capitólio

Os meses mais chuvosos são os de verão, entre dezembro e março, quando também aumenta o risco de cabeça d’água – o fenômeno ocorre quando a chuva forte aumenta repentinamente o nível do rio provocando uma enxurrada (em janeiro de 2021 três pessoas morreram em um complexo de cachoeiras na região). Se for viajar nessa época, fique atento à previsão do tempo e às recomendações das autoridades. Os meses entre abril e outubro são boas alternativas. Nos fins de semana, feriados e férias escolares o movimento é maior – se por um lado há festas animadas, por outro espere por diárias mais caras e passeios concorridos. 

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Visite Minas Gerais (@visiteminasgerais)

Como chegar a Capitólio

A partir da capital mineira (onde também está o aeroporto mais próximo), o acesso é pela Rodovia Fernão Dias (BR-381), passando por Contagem e Betim, na região metropolitana. Siga pela BR-262 até a saída 369B, para Mateus Leme, e acesse a MG-050 até Capitólio. De São Paulo, a 440 quilômetros, é preciso pegar a Rodovia dos Bandeirantes (SP-348) até Indaiatuba para acessar a Dom Pedro (SP-065) e seguir sentido São José do Rio Pardo e Guaxupé. O acesso à MG-050 fica no município de Passos. A viação Expresso Gardênia faz o trajeto de ônibus entre BH e Capitólio em cerca de quatro horas (a rodoviária de Capitólio está a nove quilômetros do Condomínio Escarpas do Lago; como há poucos táxis, tente reservar antes com a hospedagem). 

Como circular em Capitólio 

O município concentra os atrativos do Lago de Furnas, mas também há pontos de interesse nas cidades do entorno, sem transporte público entre eles. Por isso, o ideal é estar de carro, próprio ou alugado (em alguns casos, com tração 4×4; informe-se antes sobre a condição da estrada). Quem não estiver motorizado precisa contar com as agências de passeios, que podem ou não buscar os turistas na hospedagem. De qualquer forma, se você não tiver uma lancha, vai ser preciso contratar os passeios náuticos para curtir as belezas de Capitólio

O que fazer em Capitólio

No caminho para a cidade, aproveite para parar no km 313 da MG-050 e contemplar o Mirante dos Cânions, com bonita vista dos paredões recortando o Lago de Furnas, apelidado de “Mar de Minas”. Um dos maiores lagos artificiais do mundo, ele é o principal meio para navegar entre as atrações locais – cânions de mais de 20 metros de altura, fendas e cachoeiras, por onde correm águas de cor verde-esmeralda. Agências como a Navegue Escarpas, a Vagner Duarte Turismo, a Compadres Turismo e a CS Trip promovem passeios de lancha que podem durar o dia todo, com paradas para banho e almoço, e passar pela Lagoa Azul, Cachoeira Cascatinha, com 24 metros de altura (ambas em área privada, com cobrança de ingresso), Vale dos Tucanos e Cachoeirinha da Ilha, onde fica o bar flutuante Porto Escarpas. Próximo à ponte do Rio Turvo, na MG-050, há mais agências, que também organizam roteiros de chalana e escuna (as embarcações partem de lá ou do condomínio Escarpas do Lago). 

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Visite Minas Gerais (@visiteminasgerais)

Como ocorre em várias cachoeiras da região, o acesso à Cachoeira da Capivara é pago e há proibição de churrasco e som alto, que podem incomodar em outras áreas do lago. O complexo é formado por duas cachoeiras (a que dá nome ao parque e a da Pedra Ancorada), quarenta piscinas naturais e trilha de 3,5 km. A estrutura inclui estacionamento e restaurante.

O Cascata Eco Parque tem proposta parecida – aqui fica a Cachoeira Cascatinha, parada dos passeios de lancha, além de outras quedas d’água. No caminho para Passos, a Trilha do Sol é outro parque com trilhas e cachoeiras como a do Grito, com piscinas naturais, o Poço Dourado e a No Limite, com bom poço para banho. A Sossegada Complexo Turístico abriga ainda ainda tirolesa e mirante. Um pouco mais distante, o Paraíso Perdido tem pequenas quedas d`água, piscinas naturais e área de camping. 

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Cachoeira da Capivara (@cachoeiradacapivara)

O uso de veículo 4×4 é recomendável para chegar ao Morro do Chapéu, planalto com vegetação silvestre e nascentes de onde dá para avistar o Lago de Furnas e os municípios de Capitólio, Guapé, Alpinópolis e São José da Barra. Também podem ter acesso complicado, principalmente no período de chuvas, as cachoeiras do Retiro Viking, Fecho da Serra (acesso pelo km 306 da MG-050), onde é possível praticar rapel, mountain bike, caiaque e motocross, e a Pedreira Lagoa Azul, lago contemplativo que surgiu devido à exploração de minérios. Se o seu carro não tiver tração nas quatro rodas, prefira fazer o passeio com uma agência. Para ver as belezas de Capitólio do alto, a Damata Balonismo promove passeios de balão pela região do Lago de Furnas e da Serra da Canastra

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Damata Balonismo🎈❤️🍾🥂 (@damatabalonismo)

Hotéis em Capitólio

Na região central, a Pousada Quintal da Lua tem quartos com varanda de onde é possível enxergar a Lagoa de Capitólio (em uma categoria há cama king-size e hidro). Também compacta, entre a cidade e o condomínio Escarpas do Lago, a Pousada do Batata tem instalações novas, com quartos em torno da piscina dotados de ar-condicionado e SmartTV (alguns têm minicozinha com micro-ondas).

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por POUSADA QUINTAL DA LUA (@pousadaquintaldalua)

No condomínio Brisas do Lago, a 14 quilômetros dos Cânions de Furnas, o Obbá Coema Village Hotel conta com uma ampla piscina com pontes, ilhotas e área infantil. Há acomodações na medida para famílias com crianças, com 50 m² e dois dormitórios. A área de lazer é ponto alto no Engenho da Serra Hotel e EcoResort e reúne piscinas (uma delas coberta), academia, quadras e lago para pesca. À beira do Lago de Furnas, o Balneário do Lago Hotel oferece diárias com meia-pensão e tem programação animada, com apresentações musicais e jantares temáticos. A área de lazer aproveita bem a vista para a represa, com piscinas coberta e com correnteza, gazebos e deques voltados para a água.

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Hotel Engenho da Serra (@hotelengenhodaserra)

No condomínio Escarpas do Lago, onde também há saídas para passeios, estão o Escarpas Resort, com área de lazer e quartos funcionais (para até quatro pessoas), e o Hotel Escarpas do Lago, com sede náutica e espaço demarcado para natação no lago. Aluguéis pelo Airbnb também são bastante populares nessa área, principalmente entre grupos de amigos.

Um dos atrativos mais procurados de Capitólio, a Cachoeira Lagoa Azul fica dentro da Pousada Lagoa Azul e tem acesso livre para as hóspedes. Os 13 chalés estão distribuídos em duas unidades (Marina Lagoa Azul e Cachoeira Lagoa Azul, nos kms 310 e 311 da MG-050) e têm decoração rústica mineira, ar-condicionado e camas-box. Por um valor adicional é possível incluir lençóis egípcios e um kit de boas-vindas com doces e frutas à estada.

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Pousada Lagoa Azul (@lagoa.azul)

Busque mais hospedagens em Capitólio aqui

Onde comer em Capitólio

Onipresente nos cafés da manhã dos hotéis, o pão de queijo daqui costuma ser feito com queijo Canastra, patrimônio cultural imaterial brasileiro desde 2008. No Alpha Café, além do tradicional, há 30 versões recheadas do quitute, como a de linguiça e a de pernil com queijo. Peixes de água doce, como tilápia e traíra, reinam entre os pratos principais. No tradicional Restaurante do Turvo, pertinho das agências próximas à ponte, fazem sucesso a traíra desossada e grelhada com ervas finas e pimentões e o medalhão de tilápia com creme de palmito. Os dois peixes recheados são a especialidade no Cozinha da Roça, que fica em um agradável galpão aberto, mas ainda há espaço para a cozinha mineira, representada pelo torresmo e pelo lombo suíno com feijão-tropeiro. As delícias do estado, muitas preparadas no fogão a lenha, também são destaque no simpático Terra Santa, em um rancho decorado com móveis antigos e toalhas de chita – o lugar é cenário para provar frango caipira com macarronada, tutu de feijão e carne na lata. 

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Alpha Café (@alphacafecapitolio)

No Escarpas do Lago, o Chico Pintado tem mesas ao ar livre e cardápio variado, com pedidas que vão do filé au poivre à traíra espalmada com arroz biro-biro e ao “virado do chico”, que acompanha linguiça e banana à milanesa. O também variado Hud’s Lounge, no mesmo condomínio, abre sem intervalo entre almoço e jantar e tem clima de bar, com boa carta de drinques. Para uma vibe ainda mais festeira, há o bar flutuante Porto Escarpas. O Kanto da Ilha serve a cerveja local Scarpas e organiza apresentações musicais e festas sunset. 

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Restaurante Chico Pintado (@chicopintadorestaurante)

Na ativa há mais de 15 anos, o Empório Lagoa Azul serve receitas mineiras em um salão com deque de frente para o lago. Massas, pizzas de borda alta e carnes grelhadas são o chamariz do Salvatore. O menu lista, por exemplo, bife de chorizo com pappardelle ao alho e óleo e porção de arancini, bolinho de arroz típico da Sicília. 

Leia tudo sobre Minas Gerais

Publicidade