Berna: onde comer, como circular, passeios, hotéis e mais

Por Adriana Setti

A Suíça perfeitinha que ilustra as embalagens de chocolate se materializa em Berna. Com seus telhadinhos pontudos, fachadas renascentistas e os Alpes como pano de fundo, a capital foi fundada em 1191 sobre uma península formada pela curva do rio Aare, na parte alemã do país. Essa condição geográfica dá uma graça especial à Altstadt, a Cidade Antiga, tombada como patrimônio mundial da UNESCO em 1983. Vistas de cima, suas ruas desenham uma espécie de rocambole, acompanhando as águas de cor esmeralda, nas quais os berneses nadam e remam alegremente nos meses de verão. Ao perder-se por esse emaranhado de ruelas de paralelepípedos, praças e canteiros floridos, basta caminhar para qualquer lado para encontrar novamente o rio – e o rumo.  

 “É o lugar mais bonito que já vi”, teria dito o poeta alemão Goethe ao visitar a cidade, em 1779. Nesse cenário tão idílico, cercado de montanhas verdes e picos nevados, é natural que os moradores da capital levem um ritmo de vida mais pausado do que o de Zurique, centro financeiro do país, a 122km de distância. E eles costumam falar desse lifestyle arejado com o mesmo orgulho que se referem aos 6km de arcadas que protegem as calçadas do centro, ou à Bern Minster, a catedral gótica mais alta do país.

O desenho
O desenho “rocambolesco” de Berna, onde o rio Aare faz a curva. Crédito: Turismo de Berna/Divulgação
Vista do jardim das rosas no fim da tarde
Vista do jardim das rosas no fim da tarde. Crédito: Adriana Setti/Arquivo pessoal

Mas a cidade tem outras peculiaridades. Ao passear por Berna, você notará que um animal aparece por todos os lados: o urso. Ele está representado em fontes e monumentos, é onipresente nos suvenires e ilustra os cartazes que anunciam os festivais de verão. E, sim, também há três deles – Finn, Björk e sua filha Ursina –, de carne e osso, vivendo tranquilamente no BearPark, um parque de 6 mil metros quadrados, em pleno centro. À margem do Aare, a família se exibe aos turistas, que podem observá-la de uma plataforma ou, à moda bernese, tomando uma IPA na Altes Tramdepot, uma das 200 cervejarias que fazem de Berna a capital suíça da bebida.

Com 130 mil habitantes, a cidade é feita sob medida para ser vasculhada a pé, em caminhadas tranquilas intercaladas com golinhos de água das (muitas) fontes, um café ou um sorvete, de preferência na bombadíssima Gelateria Di Berna. Em dois dias, você pode até dar conta de fazer um apanhado geral das principais atrações. Mas vale ficar mais um pouco para explorar os lindos campos dos arredores de bike, fazer um rafting no rio Aare ou conhecer a produção do queijo da vizinha Emmental.

Bern, a cidade dos ursos (de verdade)
Berna, a cidade dos ursos (de verdade). Crédito: Turismo de Berna/Divulgação

PASSEIOS

A Cidade Antiga (Altstadt) é o coração de Berna. Compacta e agradável, ela guarda a maioria das principais atrações, como o belo edifício do Parlamento suíço e a Zytglogge (Torre do Relógio). Vale a pena subir os 130 degraus para conhecer, em um tour guiado, como funciona o seu mecanismo secular. Ou, pelo menos, assistir ao singelo espetáculo que acontece nas horas cheias, quando um desfile de ícones acompanha as badaladas e reúne grupinhos de turistas. A torre fica em uma das ruas mais emblemáticas, a Kramgasse, onde se enfileiram os antigos celeiros subterrâneos que abasteciam as casas do bairro e que, hoje em dia, abrigam lojinhas, bares e restaurantes.  

Passeio pela Altstadt com pausas para uma cervejinha, no ritmo de Berna
Passeio pela Altstadt com pausas para uma cervejinha, no ritmo de Berna. Crédito: Adriana Setti/Arquivo pessoal
Vista para os telhadinhos de Berna do alto da torre do Relógio
Vista para os telhadinhos de Berna do alto da torre do Relógio. Crédito: Adriana Setti/Arquivo pessoal

O gênio alemão Albert Einstein se rendeu aos encantos da capital, fincou raízes e, de quebra, desenvolveu ali a Teoria da Relatividade. Integrado ao Museu de História de Berna, o Einstein Museum explora a sua relação com a cidade. O circuito de museus importantes se completa com o Museu da Comunicação, que repassa os meios de comunicação ao longo da história até os dias de hoje de forma interativa. Para quem curte arte, não dá pra perder o Zentrum Paul Klee, centro cultural que rende homenagem ao famoso pintor suíço, que transitou por vários estilos, do expressionismo ao cubismo, e foi uma das figuras mais influentes da Bauhaus.

Freibad Mazili : um clássico do verão de Berna
Freibad Mazili: um clássico do verão de Berna. Crédito: Turismo de Berna/Divulgação

Pra ver Berna de cima, vá ao Rosengarten, o jardim das rosas, que tem um belíssimo mirante, restaurante e é o point para curtir o fim de tarde no verão. E, para dar um mergulho no rio, a base mais clássica é o Freibad Mazili, que tem várias piscinas cercadas por um lindo gramado à beira do Aare.

Pausa para um piquenique à beira-rio
Pausa para um piquenique à beira-rio. Crédito: Adriana Setti/Arquivo pessoal
Rafting nas águas cristalinas do rio Aare
Rafting nas águas cristalinas do rio Aare. Crédito: Adriana Setti/Arquivo pessoal
A incrível sensação de entrar em Berna pelo rio
A incrível sensação de entrar em Berna pelo rio. Crédito: Adriana setti/Arquivo pessoal

É uma experiência incrível chegar a Berna boiando no rio, vendo a Cidade Antiga de outra perspectiva. A Aareboots organiza raftings partindo de Schwäbis (meia hora de trem e ônibus) e descendo tranquilamente pelo leito do Aare, com paradas para nadar e fazer piquenique.

Outro programaço é alugar uma bike, ou uma e-bike, na Rent a Bike, que tem uma unidade na estação de trem, para percorrer as ciclovias que atravessam os campos dos arredores da cidade, passando por fazendinhas que parecem presépios, campos de girassóis e outras paisagens bucólicas.

Passeio de bike pelos arredores da cidade
Passeio de bike pelos arredores da cidade. Crédito: Adriana Setti/Arquivo pessoal

COMO CHEGAR EM BERNA

Berna fica a 122km de Zurique, onde está o principal aeroporto da Suíça. A viagem de trem até a capital leva cerca de uma hora. 

COMO CIRCULAR EM BERNA

Dá para fazer praticamente tudo a pé, com uma ajudinha do ônibus para ir ao BearPark e ao jardim das rosas. Talvez você também pegue uma carona no funicular que leva da Cidade Antiga à margem do rio (Marzilibahn) e no outro que sobe até a montanha Gurten – poupando assim, as suas panturrilhas. Ficando hospedado em qualquer hotel da capital, você tem direito ao Bern Ticket, que permite usar o transporte público de graça enquanto durar sua estada. O Swiss Travel Pass também inclui o transporte público de Berna, com exceção dos funiculares.

O lindo jardim das rosas, para ver Berna a seus pés
O lindo jardim das rosas, para ver Berna a seus pés. Crédito: Turismo de Berna

ONDE FICAR EM BERNA

A poucos passos da estação de trem, o novíssimo The Bristol é um pedacinho da Inglaterra na Suíça, com 100 quartos espaçosos forrados com carpete, escrivaninha, frigobar e wi-fi, além de um bar que serve chá das cinco e bons drinks. Na categoria bom e barato, o National fica a poucos minutos da estação central e tem um bonito teatro anexo. Para um upgrade, o Swissotel Kursaal Bern tem cassino e vistas espetaculares da cidade. Já no quesito design, nada bate o Prizeotel, que fica perto do jardim das rosas.

Jantar ao ar livre no The Dampfzentrale Bern
Jantar ao ar livre no The Dampfzentrale Bern. Crédito: Adriana Setti/Arquivo pessoal

ONDE COMER EM BERNA

No verão, todos os caminhos levam ao The Dampfzentrale Bern, um centro cultural que tem um lindo bar e restaurante com mesas ao ar livre literalmente às margens do rio. Serve comida típica suíça e boas cervejas. Também sobre o Aare, o Casa Novo serve cozinha mediterrânea moderna com produtos da região, em um ambiente intimista. A carta de vinhos tem mais de uma centena de rótulos. Com Berna a seus pés, o restaurante do jardim das rosas, Rosegarten, prepara receitas locais com um toque mediterrâneo e tem o terraço mais disputado no verão para um drink. Em um dos “celeiros” mais espetaculares da cidade, o Kornhauskeller tem séculos de história, foi ponto de encontro de artistas e intelectuais no passado e continua sendo o endereço ideal para um jantar especial. Entre as ótimas cervejarias locais, prove a Au Trappiste ou a Wartsaal.

ONDE COMPRAR EM BERNA

Os famosos “seis quilômetros de arcadas”, que os moradores de Berna tanto gostam de frisar, abrigam centenas de lojas e lojinhas interessantes, que fazem com que lamber vitrines no centro seja uma delícia. Caminhando na sombra (ou protegido da neve), você passará pela linda chocolateria Nobile; pela Chäsbueb, de queijos regionais; pela suissessences, de cosméticos naturais; entre muitas outras marcas nacionais e globais.

Desde junho de 2021, a Suíça está aberta para brasileiros. Mas as regras mudam constantemente. Para saber quais são as normas vigentes, acesse este site ou consulte o consulado.

DINHEIRO

A moeda oficial é o Franco Suíço (CHF), que equivale a cerca de € 1. 

Busque hospedagem em Berna

Leia tudo sobre a Suíça

Publicidade