Tudo sobre a Ruta de los Siete Lagos, a bela trilha argentina

O roteiro passa por, na verdade, 11 lagos, saindo de San Martín de los Andes até chegar em Villa La Angostura, dois povoados charmosos a norte de Bariloche

Por Lívia Aguiar Atualizado em 19 jul 2021, 12h29 - Publicado em 9 jun 2016, 18h05

A Ruta dos Siete Lagos é um roteiro no sudoeste da Argentina, perto de Bariloche, que apesar do sete no nome, passa por 11 lagos contornados por paisagens naturais impressionantes.

Todos os 108 quilômetros da Ruta de los Siete Lagos podem ser percorridos de carro ou excursão em apenas um dia, mas também há quem faça o percurso em mais tempo, de bicicleta.

A viagem começa na charmosa San Martín de los Andes, pequena cidade que lembra Bariloche, e termina em Villa La Angostura, que também conserva a arquitetura de inspiração alpina dos imigrantes europeus que colonizaram a região.

Ou você pode começar por La Angostura e terminar em San Martín, dependendo de onde estiver hospedado. Os dois destinos têm excelentes opções de hotéis, pousadas e casas para alugar, sendo que La Angostura oferece mais opções de alto padrão.

San Martín tem hospedagens mais em conta para viagens com orçamento mais apertado (tem até camping durante o verão). Entre uma bela lagoa e outra, você pode parar para contemplar a pequena Villa Traful, que fica no meio do Parque Nacional Nahuel Huapi e parece ter parado no tempo.

É possível chegar a San Martín de Los Andes ou Villa La Angostura de carro ou ônibus partindo de Bariloche ou então voar diretamente de Buenos Aires ao aeroporto de Chapelco, ao lado de San Martín de Los Andes.

Com a renovação da Ruta Nacional 40, que leva pela Ruta de los Siete Lagos, é possível percorrer o caminho durante todo o ano, mas é melhor fazê-lo no verão ou no inverno, quando chove menos e as paisagens se revelam ainda mais bonitas.

O Cerro Chapelco possui um excelente complexo de esqui e outros esportes de inverno, que são uma boa opção de passeio na região nos meses mais frios. Durante o verão, para quem está em busca de aventura, a sugestão é caminhar (e escalar, caso tenha experiência) pelo Monte Tronador, que fica perto de Pampa Linda, a sul de La Angostura.

Tudo começa em San Martín de los Andes

imagem 1
San Martín de Los Andes fica na beira do lago Lácar, perto do aeroporto de Chapelco maxtdf/Flickr

Esta charmosa cidade é uma versão mais alegre e menos badalada de Bariloche à beira do Lago Lácar. Praticamente tudo fica a apenas uma caminhada de distância do centro e o píer em frente ao lago é um ótimo lugar para passar uma tarde se o tempo estiver bom.

Chove bem menos no verão e neva no inverno, por isso essas são as melhores épocas para viajar a San Martín.

Durante a primavera e o outono, a cidade fica praticamente vazia e as tarifas caem bastante, mas vai ser preciso muita sorte para não chover (tanto) e aproveitar o que a região tem para oferecer.

1. Lago Lácar

Lago Lácar - Ruta de los Siete Lagos - Argentina - Wikimedia Commons - Marco Antonio Correa Flores
Marco Antonio Correa Flores/Wikimedia Commons

Saia de San Martín pela Ruta Nacional 40, que rodeia o Lago Lácar, o primeiro dos 11 lagos da Ruta de Los Siete Lagos (sim, o nome precisa ser revisto!). Não se esqueça de abastecer e comprar lanchinhos para a estrada, pois não há postos de gasolina à vista até chegar em La Angostura.

2. Lago Machónico

Lago Machónico - - Ruta de los Siete Lagos - Argentina - Flickr - cucundra
cucundra/Flickr

5 km após a ponte sobre o Río Hermoso, o Lago Machónico pode ser avistado com suas águas azul escuras. É possível praticar esportes aquáticos no lago e também percorrê-lo de caiaque ou canoa.

3. Lago Hermoso

Lago Hermoso - Ruta de los Siete Lagos - Argentina - Wikimedia Commons - scolussi
scolussi/Wikimedia Commons

Rodeado por bosque andino patagônico, com árvores nativas como lengas, cohuiles, ñires e alguns exemplares de raulís. Se o dia estiver bastante quente, as águas do Lago Hermoso são umas das menos geladas da região, além de serem bastante calmas, especialmente pela manhã e ao cair da tarde.

Veados coloridos (e caçadores atrás deles) são comuns nesse bosque, então caminhe com cuidado. Se desejar, é possível acampar às suas margens, mas é preciso obter autorização ambiental em San Martín ou La Angostura pois o lago é protegido pelo Parque Nacional Lanín.

4. Lago Villarino

Lago Villarino - Ruta de los Siete Lagos - Argentina - Flickr - Antoine Hubert
Antoine Hubert/Flickr

Este lago está a poucos quilômetros após a entrada no Parque Nacional Nahuel Huapi (é preciso pagar 50 pesos de entrada), ao lado do Lago Falkner.

A água está repleta de trutas e é possível praticar pesca esportiva mediante autorização que pode ser emitida na entrada do parque.

5. Lago Falkner

Lago Falkner - Ruta de los Siete Lagos - Argentina - Flickr - michaelGro
michaelGro/Flickr

Localizado a poucos metros de distância do Lago Villarino, o Falkner tem uma larga faixa de areia.

Para quem viaja de bicicleta e quer dar uma pausa, há um camping e uma pequena pousada (chamada na região de Hostería) em sua margem ocidental.

6. Lago Escondido

Lago Escondido - Ruta de los Siete Lagos - Argentina - Wikimedia Commons - Huazihul
Huazihul/Wikimedia Commons

Dois quilômetros após o Lago Falkner, o Lago Escondido é relativamente pequeno e arredondado, estendendo-se por 900m de norte a sul. Suas águas são alimentadas pelo rio Pichi Traful e é tributário do Lago Traful.

7. Lago Traful

Lago Traful - Ruta de los Siete Lagos - Argentina - Wikimedia Commons - Amuitz
Amuitz/Wikimedia Commons

A partir do Lago Escondido, é preciso descer em ziguezague por 8km e virar à esquerda no entroncamento, pegando uma pista de terra por mais 2km até a ponta norte do lago Traful. De lá, são 30km até a saída para a Villa Traful – ande mais 27 km até chegar lá por uma estrada de terra verdadeiramente cênica!

Continua após a publicidade

Ir até a Villa Traful vai ser um desvio de caminho – se estiver com pressa, siga pela estrada principal até o Lago Espejo Chico, mas realmente recomendamos, pois as vistas valem o desvio!

Uma paradinha estratégica na Villa Traful

Villa Traful - Ruta de los Siete Lagos - Argentina - Wikimedia Commons - Luis Carrera
Luis Carrera/Wikimedia Commons

Com apenas 80 casas, construídas em estilo alpino-andino, a população dessa pequena vila é de cerca de 400 habitantes. Por estar dentro do Parque Nacional Nahuel Huapi, é preciso autorização para realizar pesca esportiva e montanhismo, conseguidas no próprio vilarejo.

Outras atividades populares são o trekking e passeios a cavalo, que podem ser contratados em agências em Traful.

8. Lago Correntoso

Lago Correntoso - Ruta de los Siete Lagos - Argentina - Wikimedia Commons - Dario Alpern
Dario Alpern/Wikimedia Commons

Dirija a estrada de terra da Villa de volta à estrada principal (Ruta Nacional 40) e passe pela orla do Lago Correntoso, rodeado pelo Cerro Belvedere.

Río Ruca Malén

Puente Viejo del río Ruca Malen - Ruta de los Siete Lagos - Argentina - Wikimedia Commons - Martín Gaitán
Martín Gaitán/Wikimedia Commons

Este rio alimenta o lago Correntoso com as águas do lago Espejo Chico, que por sua vez recebe água do Lago Espejo Grande.

Suas águas são transparentes, com reflexos turquesas, e muito tranquilas pois o rio está protegido de ventos, passando entre bosques e montanhas.

9. Lago Espejo Chico

Lago Espejo Chico - Ruta de los Siete Lagos - Argentina - Flickr - maxdf
maxdf/Flickr

Não são todos que conhecem o Espejo Chico, pois é preciso fazer um desvio de 2km partindo da estrada principal por uma estradinha de terra. Mas vale a pena, não vale?

10. Lago Espejo Grande

Lago Espejo - Ruta de los Siete Lagos - Argentina - Flickr - Abel Jorge
Abel Jorge/Flickr

Voltando para a estrada principal, o Espejo Grande já pode ser visto à direita, entre as árvores. Há muitos mirantes na estrada para tirar foto de suas águas que refletem exatamente a floresta às suas margens.

Río Correntoso

imagem 1
Abel Jorge/creative commons/Flickr

Este rio caudaloso de apenas 200m conecta os lagos Correntoso e Nahuel Huapi.

11. Nahuel Huapi

Lago Nahuel Huapi - Ruta de los Siete Lagos - Argentina - Wikimedia Commons - David
David/Wikimedia Commons

O 11º e último lago da Ruta de los Siete Lagos que fica às margens de Villa La Angostura e se estende até Bariloche. Suas águas são bastante apreciadas para a prática da pesca esportiva, especialmente de trutas.

Villa La Angostura

Villa La Angostura - Capela - Ruta de los Siete Lagos - Argentina - Wikimedia Commons - Arcibel
Arcibel/Wikimedia Commons

É considerada uma das vilas mais bonitas de toda a Patagônia, às margens do Lago Nahuel Huapi, que dá nome ao parque nacional. Há excelentes hotéis que recebem os hóspedes com chocolates e champagne e condomínios de luxo.

Há ótimas opções de restaurantes, muitos de alta gastronomia, que servem truta na manteiga, risotos, carne argentina, fondue e muitas boas opções de vinho.

No inverno: Cerro Chapelco

Cerro Chapelco - Ruta de los Siete Lagos - Argentina - Flickr - AHLN
AHLN/Flickr

Com 25 pistas com vários níveis de dificuldade, 11 meios de elevação rápidos e modernos e capacidade para transportar até 18 mil esquiadores por hora, o Cerro Chapelco é menos badalado que a estação de esqui em Bariloche, mas não deixa nada a desejar.

Para os experientes, o Cerro tem rotas que oferecem neve seca (powder snow) de ótima qualidade e condições quase perfeitas para snowboard.

Além de alugar equipamentos, o resort tem um snow park, uma área para esqui freestyle e possui escola de esqui e snowboard para adultos, crianças e esportes de neve adaptados.

Alunos com deficiência são divididos em três grandes grupos (que têm deficiência mas podem esquiar de pé, quem esquia sentado e pessoas com deficiência visual ou auditiva) e podem aprender a praticar esqui, snowboard, esqui nórdico, passeios com raquetes e outras atividades, usando equipamentos adaptados às suas necessidades e orientados por professores experientes.

O Cerro também tem belas trilhas para passeios de trenó puxados por cachorros.

Na primavera, verão e outono: Monte Tronador

Monte Tronador e glaciar Casaño Overa - Ruta de los Siete Lagos - Argentina - Wikimedia Commons - McKay Savage
McKay Savage/Wikimedia Commons

Localizado na fronteira entre Argentina e Chile, este vulcão extinto de mais de 3.500 metros de altura tem oito glaciares (o da foto é o Glaciar Casaño Olvera) e é presença constante a sudoeste da Ruta dos Siete Lagos. É possível realizar excursões até seu cume durante o verão. Elas partem de Pampa Linda, que fica na base do vulcão a 77 km de Bariloche.

Monte Tronador

Monte Tronador - Vista do cume para lado da Argentina - Ruta de los Siete Lagos - Argentina - Wikimedia Commons - McKay Savage
McKay Savage/Wikimedia Commons

De Pampa Linda, uma caminhada de cerca de 5 horas leva até o Refúgio Otto Meiling, que marca o início da neve no cume. O Refúgio prepara refeições deliciosas a preços razoáveis e também permite o uso próprio da cozinha mediante uma taxa.

De lá, é possível partir para a escalada até o cume do Tronador (foto), que leva 3 a 4 dias de subida técnica (apenas para escaladores com experiência em rocha, gelo e neve). Outra opção é seguir até Lagunas Frías, a 2000 metros de altitude (mais ou menos 7 horas de caminhada).

Salve o roteiro para levar com você:

[googlemaps https://www.google.com/maps/d/embed?mid=1Tw_sVmRVHS1COaoyH7ZOYuC-FCY&w=640&h=480%5D

  • Continua após a publicidade
    Publicidade