Itália flexibiliza uso de máscaras e retira passe de saúde

Certificado de vacinação ou teste negativo seguem sendo requisitos para a entrada no país

Por Da Redação Atualizado em 11 Maio 2022, 17h20 - Publicado em 6 Maio 2022, 18h42

Desde 1 de maio a Itália acabou com a obrigatoriedade do uso de máscara em ambientes fechados e o preenchimento do passe de saúde.

Máscaras seguem obrigatórias apenas em unidades de saúde, transportes públicos e cinemas. Até o fim de abril, todos os turistas que chegassem ao destino deveriam preencher um formulário de localização emitido pela União Europeia, mas essa regra também foi descontinuada.

O passe de saúde, antes necessário para entrar em bares, restaurantes e outros estabelecimentos, também caiu.

O país exige certificado de vacinação completa ou teste negativo (PCR ou antígeno). Os fármacos aprovados pelo governo italiano são Pfizer, AstraZeneca (incluindo Covishield e FioCruz) e Janssen. Brasileiros que receberam as duas doses da Coronavac que têm dose de reforço da Pfizer, Astrazeneca ou Janssen também serão aceitos. A terceira dose deve ter sido aplicada entre 28 e 180 dias depois da segunda.

Busque hospedagem na Itália

Leia tudo sobre a Itália

Continua após a publicidade

Publicidade