Norte da Itália: as melhores cidades para explorar de bicicleta

Elas são lindas, bem sinalizadas e muitas vezes totalmente planas. Pedalar por pequenas cidades e ciclovias italianas pode ser a viagem ideal

Por Da Redação Atualizado em 17 abr 2021, 10h11 - Publicado em 16 abr 2021, 19h27

Nas cidades italianas de relevo plano a bicicleta é o meio de transporte mais conveniente e tudo fica ainda melhor com as muitas ciclovias e os sistemas de compartilhamento de bicicletas. O país é repleto de centros históricos muito bem adaptadas para que as magrelas sejam o meio de transporte ideal. E o melhor: você ainda pode cobrir distâncias mais longas, basta um pouco mais esforço. Conheça oito cidades italianas perfeitas para explorar sobre duas rodas.

Ferrara

Ferrara, 50 km ao norte de Bolonha, possui um belo centro histórico que é patrimônio mundial da Unesco, rico em praças e edifícios renascentistas – o Castelo dos Este, a Câmara Municipal, o Palácio do Diamante, a Catedral – e que é há tempos amigável aos ciclistas: a primeira ciclovia foi inaugurada em 1908. Um terço dos habitantes circula de bicicleta e há muitos eventos e roteiros para ciclistas pela região. Se quiser pedalar em meio à natureza, basta ir um pouco ao sul no Parque Delta do Pó: há muitos itinerários fáceis onde você pode desfrutar de um verdadeiro safári entre cormorões, veados e cavalos selvagens.

Busque hospedagem em Ferrara

Mântua

A bicicleta é perfeita para conhecer o centro de Mântua, a 44 quilômetros ao sul de Verona. O lugar é a joia da família Gonzaga: você pode se deslocar facilmente até o Palácio Ducal, o Palazzo Te, à Piazza delle Erbe e à Basílica. Explorar os arredores em duas rodas também é conveniente e são diversos itinerários interessantes: as margens dos lagos Bosco Fontana e Bosco della Carpaneta, a Reserva Natural do Rio Mincio, o Parque Arqueológico Forcello e a Ciclovia de Mântua a Sabbioneta, que é um patrimônio da Unesco (47 km). Tem ainda a Ciclovia Mincio, do centro de Mântua a Peschiera, no Lago de Garda (43,5 km de extensão).

Busque hospedagem em Mântua

Lucca

O centro histórico de Lucca, 80 quilômetros a oeste de Florença, possui uma área generosa para ciclistas e pedestres. A bicicleta é a melhor forma de visitar a Piazza dell’Anfiteatro, o Palácio Ducal, a Torre do Relógio, a Piazza San Michele, a Catedral e, principalmente, fazer um passeio pelas antigas muralhas da cidade: o percurso tem cerca de 4,5 km com vários pontos onde você pode alugar uma bicicleta. Sob duas rodas você também pode chegar às vilas e igrejas nos arredores, como Villa Oliva e Villa Grabau.

Busque hospedagem em Lucca

Vicenza

De bicicleta você pode facilmente visitar o centro da cidade, que fica a 74 km a oeste de Veneza. Lá estão a Basílica Palladiana, o Palazzo del Capitanio, o Teatro Olímpico, a Catedral e os maravilhosos edifícios renascentistas, como o Palladian Villas, obra-prima do arquiteto Palladio. Ao longo de rotas no sopé das Colinas Berici, existem ciclovias como a Riviera Berica (36 km), que liga Vicenza até Pádua.

Busque hospedagem em Vicenza

Continua após a publicidade

Parma

Parma, a 126 km de Milão, é perfeita para ser percorrida sob duas rodas. Paradas imperdíveis são o Palácio Ducal e o Parque Ducal, o complexo de museus do Palazzo della Pilotta e o coração da cidade, a Piazza Duomo, com a Catedral e o Batistério. Uma excursão fácil e tranquila de bicicleta saindo de Parma leva ao Castelo Torrechiara, do final do período medieval, que consiste em um caminho plano de 36 km. Ao longo do percurso, o povoado de Vigatto, com a Igreja de São Pedro e a Villa Meli Lupi, também merece uma visita. Um passeio interessante é o retorno pela região onde nasceu o compositor Giuseppe Verdi, que passa por Soragna, San Secondo, Roccabianca, Zibello e Busseto.

Busque hospedagem em Parma

Pesaro e a “Bicipolitana”

A mobilidade sustentável é uma característica de Pesaro, que criou um projeto ímpar: a Bicipolitana, uma rede de ciclovias divididas em diferentes linhas organizadas como uma rede de metrô. A linha azul liga o porto até Fosso Sejore; a linha verde conecta a Baia Flaminia ao Borgo Santa Maria ao longo do rio Foglia; a linha amarela vai do centro até Pantano. A linha 1 cruza o coração do centro histórico, passando pela Piazza del Popolo, a casa onde nasceu o compositor Gioacchino Rossini e o Parque Miralfiore.

Busque hospedagem em Pesaro

Ciclovia Spoleto-Norcia-Assis

Na Umbria, você pode fazer uma viagem incrível em duas rodas ao longo da ciclovia entre Spoleto, Norcia e Assis, conhecendo as principais belezas históricas e artísticas. Em sua maioria plana, esta rota se desenrola em um cenário pitoresco pontilhado de colinas suaves, geralmente ao longo de canais. O trecho de Spoleto até Assis tem cerca de 50 km ao qual se acrescenta o itinerário de 50 km da antiga linha ferroviária Spoleto – Norcia, com declives suaves e uma trilha acidentada. Paradas impressionantes ao longo da ciclovia incluem Trevi, uma das mais belas aldeias da Itália, e Bevagna,  que guarda uma adorável praça medieval mais o Castelo Pissignano.

Busque hospedagem em Assis

Trento e Rovereto

Trento possui um centro histórico milenar que pode ser facilmente percorrido de bicicleta: partindo da Piazza Duomo você visita a Catedral, o Palazzo Pretorio e a Torre Cívica, passando então ao Castelo Buonconsiglio e o museu de ciências MUSE. A bela ciclovia Vallagarina segue para o sul ladeando as margens do rio Adige e chega a Rovereto (30 km), com seu centro de atmosfera veneziana, sede do imperdível museu de arte contemporânea e moderna MART. A ciclovia continua para o sul por mais 20 km entre vinhedos e vistas panorâmicas até Avio, onde fica o Castelo de Sabbionara. Uma alternativa é sair de Rovereto e percorrer a ciclovia Adige-Garda, desde a bonita aldeia de Mori até Torbole, ao longo do lago, até Riva del Garda.

Busque hospedagem em Trento e Rovereto

Leia tudo sobre a Itália

  • Continua após a publicidade
    Publicidade