Buenos Aires: Cemitério da Recoleta passa a cobrar entrada

Dinheiro arrecadado será usado para manutenção e melhorias no local, que guarda o túmulo de Eva Perón

Por Bárbara Ligero Atualizado em 11 abr 2022, 18h55 - Publicado em 11 abr 2022, 16h54

O Cemitério da Recoleta, em Buenos Aires, passou a cobrar pela entrada de viajantes estrangeiros. Tido como uma das atrações da capital, o lugar guarda quase cinco mil mausoléus de inspiração grega, barroca e art déco, sendo que 90 deles são declarados monumentos históricos nacionais. Ali repousam os restos mortais de personalidades argentinas, como Eva Perón e o General Alvear.

Inaugurado em 1822, o cemitério há tempos têm chamado atenção dos visitantes pelo seu estado de degradação, com portas, janelas e esculturas quebradas. A Prefeitura de Buenos Aires afirmou que o dinheiro arrecadado será usado para manutenção e melhorias na infraestrutura do local, que recebe cerca de três mil pessoas por dia nos finais de semana.

O ingresso, que custa 1.400 pesos (equivalente a cerca de R$ 60 no câmbio oficial ou R$ 35 no câmbio blue), pode ser comprado pelo site Dirección General de Cementerios ou na hora, com cartão de débito ou crédito. O Cemitério da Recoleta funciona de segunda-feira a domingo, das 8h às 17h.

Leia tudo sobre Buenos Aires

Busque hospedagem em Buenos Aires

Continua após a publicidade

Publicidade