Tailândia estuda restringir turistas estrangeiros a algumas ilhas

O aspecto insular do turismo no país permite que se tenha melhor controle do fluxo e monitoramento no caso de novos surtos de coronavírus

Por Bárbara Ligero 28 Maio 2020, 17h51

A Tailândia não abrirá as portas para visitantes estrangeiros tão cedo, disse nesta quinta-feira (28) o diretor da autoridade de turismo do país, Yuthasak Supasorn, à rede CNN. “A decisão ainda depende da situação da pandemia, mas eu acredito que, no melhor dos cenários, nós veremos o retorno de turistas só no último trimestre de 2020”, disse.

Mesmo quando reabrir, é bastante provável que a Tailândia imponha algumas restrições. Na mesma entrevista, Supasorn disse que pretende checar como está a situação sanitária dos países de origem dos visitantes e também se os operadores de turismo tailandeses estão prontos para receber estrangeiros sob essa nova normalidade.

“Estamos estudando a possibilidade de oferecer pacotes de longa duração em áreas fechadas e isoladas, onde a saúde pode ser facilmente monitorada e controlada, como [as ilhas de] Koh Pha Ngan e Koh Samui. Isso seria benéfico tanto para os turistas quanto para os moradores locais, já que é quase uma espécie de quarentena”, explicou o responsável pelo turismo do país asiático. Ele ressaltou, porém, que o plano de reabertura ainda não foi finalizado.

  • A ideia vai ao encontro do conceito de “bolhas de viagem”, que consiste na abertura seletiva de fronteiras entre países vizinhos. O modelo está sendo considerada entre Austrália e Nova Zelândia e já é uma realidade entre Letônia, Lituânia e Estônia. Porém, no caso da Tailândia, a proposta é criar bolhas ainda menores, dentro do próprio país e que permitam a entrada de estrangeiros.

    Se o projeto for adiante, é possível imaginar que, ao chegarem no aeroporto de Bangkok, os turistas tenham que se dirigir diretamente à ilha escolhida para passar toda a sua estadia na Tailândia lá, sem a possibilidade de circular entre outras ilhas ou cidades.

    Vale destacar que, em março, o foco do surto de coronavírus no país era Phuket, justamente a ilha mais popular entre os turistas. De todas as províncias da Tailândia, foi ela que teve o maior índice per capta de infecções e seu aeroporto segue sem previsão de reabertura.

  • Turismo local é o foco do momento

    Por enquanto, a Tailândia está concentrada na reabertura do turismo doméstico a partir de junho. Shoppings, mercados, restaurantes, museus e outras atrações turísticas já receberam autorização para reabrir em breve. O Grand Palace em Bankok, por exemplo, voltará a receber visitantes em 4 de junho. Porém, parques temáticos, spas, bares, casas noturnas e as famosas casas de massagem devem permanecer fechadas por mais algum tempo.

    A Tailândia recebeu 40 milhões de turistas em 2019 e deverá receber, no máximo, 16 milhões até o final de 2020, de acordo com uma estimativa da autoridade de turismo do país.

    Leia tudo sobre coronavírus

    Continua após a publicidade
    Publicidade