Passageira é quase expulsa de avião por usar roupa “inapropriada”

Segundo a tripulação, a vestimenta estava “causando ofensa”. A roupa em questão era um cropped top

Por Giovanna Simonetti Atualizado em 31 ago 2021, 16h31 - Publicado em 15 mar 2019, 18h03

Tudo estava indo de acordo com o esperado na viagem de Emily O’Connor, uma jovem britânica de 21 anos. Prestes a embarcar em um voo de Birmingham, Inglaterra, para Tenerife, nas Ilhas Canárias, a viajante seguiu o passo a passo necessário: check-in, raio-x, embarque. Nenhum problema. Até pisar os pés no avião, da companhia britânica Thomas Cook. Momentos depois de entrar na aeronave, a tripulação lhe disse que suas roupas estavam “causando ofensa”. A vestimenta, no caso, era um cropped top e uma calça de cintura alta.

No Twitter, Emily relatou a situação. “Indo de Birmingham para Tenerife, os funcionários do Thomas Cook disseram que me retirariam do voo se eu não me ‘cobrisse’, já que eu estava ‘causando ofensa’ e sendo ‘inapropriada’”, escreveu a jovem junto com uma foto da sua roupa.

Ela afirmou ter circulado pelo aeroporto inteiro daquele jeito, mas só foi pedida para “se cobrir” dentro da aeronave. Em entrevista para o Independent, a jovem afirmou que um dos funcionários disse que ela não estava “obedecendo o código” da companhia aérea. Mostraram à passageira uma norma publicada na revista de bordo da companhia com a seguinte regra: “Passageiros com trajes inapropriados (incluindo itens com slogans e imagens ofensivas) não serão permitidos viajar, exceto se trocarem de roupa”.

Foto tirada por Emily no dia do ocorrido
Foto tirada por Emily no dia do ocorrido Emily O'Connor / Twitter/Reprodução

Emily tweetou que foi cercada por quatro comissários e o gerente de voo, que ameaçaram a expulsar a não ser que ela colocasse um casaco. Ao perguntar para os passageiros se algum deles estava ofendido por sua roupa, ninguém disse nada.

  • Os funcionários não saíram de seu lado até que ela colocasse a jaqueta, emprestada por sua prima. Como se não bastasse, a tripulação ainda fez comentários para todo o avião através dos alto falantes. “Foi a pior experiência da minha vida”, disse no Twitter. Ao Independent, a jovem afirmou que se sentiu sexualizada. “Fizeram eu me sentir como se estivesse me expondo”.

    De acordo com a CNN, a companhia aérea pediu desculpas à Emily por meio de uma nota. “Poderíamos ter lidado com a situação de um jeito melhor”. Acusada de sexismo, a empresa acrescentou: “O código de vestimenta aplica-se igualmente a homens e mulheres de todas as idades, sem qualquer discriminação”.

  • Em seu voo de volta para Birmingham, Emily usou exatamente a mesma roupa. Dessa vez, sem nenhum problema. A jovem também ressaltou que, no voo para Tenerife, um homem estava com menos roupa que ela – de shorts e regata – e nada foi dito a ele. O caso revela o machismo por trás da postura da tripulação. “Inapropriado” é, no mínimo, subjetivo. E pode sim ser condicionado por valores morais e preconceitos individuais.

    Continua após a publicidade
    Publicidade