Passageira é quase expulsa de avião por usar roupa “inapropriada”

Segundo a tripulação, a vestimenta estava “causando ofensa”. A roupa em questão era um cropped top

Tudo estava indo de acordo com o esperado na viagem de Emily O’Connor, uma jovem britânica de 21 anos. Prestes a embarcar em um voo de Birmingham, Inglaterra, para Tenerife, nas Ilhas Canárias, a viajante seguiu o passo a passo necessário: check-in, raio-x, embarque. Nenhum problema. Até pisar os pés no avião, da companhia britânica Thomas Cook. Momentos depois de entrar na aeronave, a tripulação lhe disse que suas roupas estavam “causando ofensa”. A vestimenta, no caso, era um cropped top e uma calça de cintura alta.

No Twitter, Emily relatou a situação. “Indo de Birmingham para Tenerife, os funcionários do Thomas Cook disseram que me retirariam do voo se eu não me ‘cobrisse’, já que eu estava ‘causando ofensa’ e sendo ‘inapropriada’”, escreveu a jovem junto com uma foto da sua roupa.

Ela afirmou ter circulado pelo aeroporto inteiro daquele jeito, mas só foi pedida para “se cobrir” dentro da aeronave. Em entrevista para o Independent, a jovem afirmou que um dos funcionários disse que ela não estava “obedecendo o código” da companhia aérea. Mostraram à passageira uma norma publicada na revista de bordo da companhia com a seguinte regra: “Passageiros com trajes inapropriados (incluindo itens com slogans e imagens ofensivas) não serão permitidos viajar, exceto se trocarem de roupa”.

Foto tirada por Emily no dia do ocorrido

Foto tirada por Emily no dia do ocorrido (Emily O'Connor / Twitter/Reprodução)

Emily tweetou que foi cercada por quatro comissários e o gerente de voo, que ameaçaram a expulsar a não ser que ela colocasse um casaco. Ao perguntar para os passageiros se algum deles estava ofendido por sua roupa, ninguém disse nada.

Os funcionários não saíram de seu lado até que ela colocasse a jaqueta, emprestada por sua prima. Como se não bastasse, a tripulação ainda fez comentários para todo o avião através dos alto falantes. “Foi a pior experiência da minha vida”, disse no Twitter. Ao Independent, a jovem afirmou que se sentiu sexualizada. “Fizeram eu me sentir como se estivesse me expondo”.

De acordo com a CNN, a companhia aérea pediu desculpas à Emily por meio de uma nota. “Poderíamos ter lidado com a situação de um jeito melhor”. Acusada de sexismo, a empresa acrescentou: “O código de vestimenta aplica-se igualmente a homens e mulheres de todas as idades, sem qualquer discriminação”.

Em seu voo de volta para Birmingham, Emily usou exatamente a mesma roupa. Dessa vez, sem nenhum problema. A jovem também ressaltou que, no voo para Tenerife, um homem estava com menos roupa que ela – de shorts e regata – e nada foi dito a ele. O caso revela o machismo por trás da postura da tripulação. “Inapropriado” é, no mínimo, subjetivo. E pode sim ser condicionado por valores morais e preconceitos individuais.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s