Impressionante tour 3D por tumba milenar no Egito

Tecnologia traz construções históricas para o seu computador com uma riqueza de detalhes de cair o queixo

Por Luca Occhialini Atualizado em 27 abr 2021, 20h26 - Publicado em 16 abr 2020, 17h55

Que tal acrescentar mais um destino à lista dos visitados diretamente do seu sofá? A opção da vez é o Egito, em um percurso que passa por uma tumba, uma mesquita, um monastério e uma sinagoga. A viagem é em 3D (se tiver um óculos VR ou cardboard, use-os). A tecnologia foi criada graças a uma parceria entre o Turismo do Egito e a Universidade de Harvard. A instituição americana criou uma experiência das mais realistas dentre as que pululam neste período de quarentena. Você caminha, desce escadas, gira de uma lado para o outro e aprende com informações detalhadas dos lugares.

  • O passeio mais impressionante é a Tumba da Rainha Meresankh III, neta de Kéops, idealizador da grande pirâmide que leva o seu nome. Estima-se que a construção, que fica a 20 quilômetros do centro do Cairo, tenha mais de 5 mil anos. Graças à tecnologia 3D, o “turista” consegue visualizar os grandes e pequenos detalhes deixados nas paredes há milhares de anos. Exemplos disso são as estátuas, nichos falsos e as pinturas marcantes da época, que ainda mantiveram a cor mesmo após tanto tempo. A preservação do lugar causou espanto até nos arqueólogos de Harvard. 

    Durante a navegação, é possível descobrir dados históricos ao clicar nas várias bolinhas informativas que estão por toda parte e são bem intuitivas. Ainda existem outros recursos que permitem ver o lugar de cima, pela lateral e pular diretamente de um andar para o outro com apenas um clique. O usuário também pode medir os espaços e esculturas como se estivesse com uma fita métrica, como é o caso do desenho em baixo relevo da Rainha Meresankh III, gravado em uma das paredes.

    Tumba da Rainha Meresankh III, no Egito
    O tour 3D pela Tumba da Rainha Meresankh III, no Egito, permite medir o tamanho das obras Matterport/Reprodução

    Outros lugares passíveis de serem explorados com o mesmo recurso tecnológico são a Mesquita-Madrassa de Sultan Barquq e a Sinagoga Ben Erza, ambas no Cairo, e o Mosteiro Copta Vermelho, em Sohag, no Alto Egito. Os lugares não possuem tanto material informativo, mas é possível “caminhar” pelos ambientes e ver toda a riqueza de detalhes encravados do chão ao teto, graças ao 3D.

    Veja mais sugestões do que fazer para viajar sem sair de casa

  • Continua após a publicidade
    Publicidade