Argentina proíbe voos até setembro e mantém fronteiras fechadas

A estratégia de isolamento do país vizinho é vista com bons olhos por especialistas em saúde pública; saiba também como estão as fronteiras do Brasil

A ANAC da Argentina proibiu voos comerciais, tanto domésticos quanto internacionais, de pousarem em qualquer aeroporto do país até 31 de agosto. A medida foi anunciada na segunda-feira (26 de abril). Com isso, companhias com operações em solo argentino só podem vender passagens aéreas para viagens a partir de 1° de setembro. Essa é mais uma medida do governo no combate ao coronavírus e que é vista com bons olhos por especialistas em saúde pública. A Argentina registrou até o momento 4.428 casos e 218 mortes – uma cifra perto do Brasil, que ultrapassou a marca de 6 mil óbitos.

O Presidente Alberto Fernández prolongou a quarentena até o dia 10 de maio, duas semanas a mais do que a data estabelecida anteriormente. O isolamento está vigente na Argentina desde 20 de março. Porém, dessa vez o líder do governo decidiu pela liberação de saídas recreativas de uma hora, mas que dependeriam do aval de governadores e prefeitos. No caso cidades maiores como Buenos Aires, Santa Fé e Córdoba os prefeitos não aderiram à liberação e as pessoas estão proibidas de sair de casa, exceto para supermercado e farmácia. 

As fronteiras terrestres seguem o mesmo cronograma da quarentena e continuam fechadas até o dia 10 de maio. Dependendo do desenvolvimento do covid-19 no país, o Governo da Argentina pode voltar a prorrogar este prazo, como já feito anteriormente.

Situação da fronteira do Brasil

Nesta semana, o Brasil repetiu a atitude do país vizinho e estendeu o fechamento de fronteiras por mais 30 dias pelos meios aéreos e terrestres. A decisão foi publicada em edições extras do Diário Oficial da União. Na terça-feira (28), a deliberação foi proibindo a entrada por meio aéreo, enquanto no dia seguinte a determinação foi pelo impedimento do tráfego terrestre de qualquer país da América do Sul. A medida vale para pessoas de todas as nacionalidades. A decisão, assim como na Argentina, pode ser prorrogada novamente caso a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) considere necessário.

Fronteira entre Brasil e Argentina vazia Em Foz do Iguaçu, fronteira entre Brasil e Argentina segue fechada em decorrência do coronavírus

Em Foz do Iguaçu, fronteira entre Brasil e Argentina segue fechada em decorrência do coronavírus (Kiko Sierich/Getty Images)

A medida não inclui alguns grupos, que continuam podendo entrar no país durante este período. São eles: brasileiros, sejam eles nascidos aqui ou naturalizados, imigrantes com residência permanente, funcionário do exterior cadastrado junto às autoridades do Governo Brasileiro, estrangeiros a serviço de órgãos internacionais e parentes de brasileiros, como pais, filhos e cônjuges.

Ainda existe uma outra exceção, aplicada para pessoas que precisam cruzar alguma das fronteiras terrestres do Brasil para entrar em um voo de repatriação para o seu país de origem. A autorização precisa ser fornecida pela Polícia Federal. No caso de viagens aéreas, estrangeiros podem passar pelo Brasil se estiverem em trânsito para algum outro destino internacional.

Saiba tudo sobre o coronavírus

Leia tudo sobre a Argentina

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s