5 maneiras de provar a cultura japonesa em uma viagem para lá

Do conhecido saquê aos mais estrangeiros onsens e ryokans, esses hábitos japoneses são deliciosamente imersivos

Por Eduardo Preciado Atualizado em 30 jan 2019, 14h55 - Publicado em 17 fev 2017, 18h02

1. Sake To Sakana, Tóquio

8 garrafas de saquê reunidas em um semicírculo, com uma tigela de macarrão no centro

“Izakayas são bares informais, geralmente pequenos, intimistas, aonde se vai para beber e compartilhar comidinhas em porções reduzidas. Este fica em Shibuya, em Tóquio. Os donos são simpaticíssimos e tocam o negócio. Mama-san sabe tudo de saquê e tem rótulos incríveis.”

2. Onsen Konanso, Fujikawaguchiko

Vista para o Monte Fuji da janela de parede inteira de um banho quente (onsen) de um Ryokan

“Os ryokans são hotéis com imersão na cultura nipônica: você veste o yukata (quimono), usa os onsen (banhos termais), experimenta a sofisticada culinária kaiseki, com itens da estação. Este fica a 2 horas de Tóquio, em Fujikawaguchiko. Tem uma vista inacreditável do Monte Fuji e dos lagos.”

3. Ostras, ostras

Ostras abertas e fechadas são servidas em uma grelha de ferro, a céu aberto

Continua após a publicidade

“Há passeios de barco na Baía de Matsushima, em Miyagi. Mas vale ir a uma tenda gigante na beira da baía onde dá pra contar quantas ostras grelhadas você pode comer em 55 minutos! Basta falar ‘ostra’, ou melhor, ‘kaki’, e todos mostram onde fica. É muito divertido.”

4. Shiogama Fish Market

Tigelas e bandejas de comida típica japonesa (arroz, vegetais, miso, cogumelos e camarão) sobre uma mesa
Divulgação

“Na região de Tohoko, no norte do país, Miyagi se recuperou do tsunami e é incrível. O mercado local é uma miniatura do famoso Tsukiji de Tóquio, com uma agradável diferença: você escolhe os pescados e mariscos e come ali mesmo, quase vivos, em uma área com aquecedores, sopinha e arroz. Simples e inesquecível.”

5. Kumazawa

Uma taça alta de cerveja japonesa, com fundo de um bar
Divulgação

“Pensando num bate e volta desde Tóquio? Kanagawa tem fácil acesso e ótimas praias. A fábrica Kumazawa começou em 1872 como produtora dos saquês Tensei, mas virou muito mais. Tem restaurantes, microcervejaria maravilhosa e loja de cerâmicas.”

Texto publicado na edição 254 da revista Viagem e Turismo (dezembro/2016)

Retrato de Eduardo Preciado, homem branco e careca
Divulgação

As indicações foram feitas por Eduardo Preciado, sócio dos restaurantes japoneses Minimok e Izakaya Mok, no Rio

  • Continua após a publicidade
    Publicidade