Montreal: passeios, restaurantes, hotéis, festivais e mais

Site: http://www.tourisme-montreal.org

População: 3.635.571 hab

Fuso horário: -2h (horário de Brasília)

Distância de outras cidades: Nova York 596 km, Toronto 545 km, Quebec 255 km, Mont Tremblant 146 km, Boston 515 km

Atualizado em julho de 2019

Montreal é a metrópole que representa as duas metades da alma canadense: a inglesa e a francesa. Segunda maior cidade de língua francesa do mundo depois de Paris, Montreal é também a capital do bilinguismo: seus moradores trocam do francês para o inglês com uma facilidade impressionante. Há bairros em que o inglês predomina e locais nos quais o francês é mais usado, mas em toda parte é possível encontrar pessoas que falam os dois.

Até quem não aprecia Beatles se lembrará de Lennon e Yoko em 1969, submetidos a um tiroteio de flashes na cama do Fairmont The Queen Elizabeth, em Montreal, em protesto contra a barbárie no Vietnã. Atitude congruente com o espírito da principal cidade da província de Quebec, com gente mais descolada do que se vê Canadá afora.

Porta da suíte 1742 do hotel Fairmont de Montreal

A suíte que dá chance à paz no Fairmont de Montreal (Divulgação/Divulgação)

Trata-se de uma ilha interligada a ilhotas com 4 milhões de moradores, que ocupam os espaços públicos de acordo com as estações do ano: no verão, ao longo dos seus 500 quilômetros de ciclovias, em piscinas, praças com wi-fi grátis e parques; no inverno, engalfinhados nos 33 quilômetros de ville souterraine, túneis conectados ao metrô, com lojas e restaurantes que protegem os montrealers durante quase seis meses de neve.

Turista no Parque Outremont, Montreal, Canadá

Turista se orientando no Parque Outremont (Megapress/Alamy/Latinstock/Reprodução)

Daí que a melhor época para visitar a cidade é entre abril e novembro. No resto do ano, não dá pra ficar na calçada mais que meia hora. Se você estiver por lá nessa época, e querendo se manter no nível do solo, uma saída é ficar saltando entre os estabelecimentos com calefação. Sobretudo os gastronômicos: Montreal é o segundo município da América do Norte em restaurantes per capita, atrás de Nova York.

Visite a Vieux-Montreal, região turisticassa e com edificações como a neogótica Basilique Notre-Dame, com mais de mil estrelas de ouro temperando um teto azul – só tenha paciência com a muvuca.

Vitral da Notre-Dame, Montreal, Canadá

Vitral da Notre-Dame (Abdallahh/Flickr)

Uma boa parada é o Schwartz’s – a não ser que você seja veggie (não é o caso de Celine Dion, uma das donas) e não queira o pão de centeio com carne defumada. Fica no Boulevard Saint-Laurent, onde também se prova o deveras típico e não menos turístico poutine (batata frita com molho) do Patati Patata.

Schwartz's, Montreal, Canadá

Celine Dion pira no Schwartz’s (Canadian Tourism Comission/Reprodução)

Boa em comida, excelente em arte. Onde mais se ganha dinheiro com esta última é no Mile-End e no Plateau Mont-Royal, bairros em revitalização e cheios de galerias. 

Já no Parc du Mont-Royal, ponto de esqui no inverno cujo morro deu nome à cidade, os domingos à tarde pulsam com o Tam-Tams, evento em que o povo leva todo tipo de treco pra batucar em sincronia como espadachins.

Tam-Tams, Montreal, Canadá

A batucada dos nossos Tam-Tams (First Light/Yves Marcoux/Diomedia/Reprodução)

Também na região central, o eixo Quartier des Spectacles-Quartier Latin recebe festivais de rua: são uns 200 a cada ano, efervescência pura nos de jazz (julho), de moda e de cinema, ambos em agosto.

Pra turma alternativa, o pedaço guarda lugares que fervem, como o roqueiro Foufounes Électriques, cheio de tatuados que flertam com o punk e bebem rum. E ainda o Gay Village, reduto LGBTQ, com cafés, butiques e restaurantes no fim do arco-íris. É tanta coisa que se torna irrelevante contar que o Cirque du Soleil nasceu em Montreal.

Gay Village, Montreau, Canadá

O Gay Village fica no metrô Beaudry (Canadian Tourism Comission/Reprodução)

Experiências Obrigatórias

– Uma visita ao Parc du Mont-Royal;

– Assistir a uma partida do time de hóquei no gelo Montreal Canadiens;

– Explorar os museus e atrações do Parque Olímpico;

– Desfrutar da gastronomia fusion da cidade, um cruzamento de influências inglesas, francesas e nativas.

Crescent Street, Montreal, Canadá

A Crescent Street lateja dia e noite (Tourisme Montreal/Mario Melillo/Reprodução)

Metrô Viau

Fica perto de algumas das atrações mais visitáveis da cidade. Caso da Torre de Montreal, a inclinada mais alta do mundo, cujo topo é acessado por funicular; do Planetário, inaugurado em 2013; do Jardim Botânico, com 22 mil espécies de plantas do planeta todo; do Insetário, com besouros gigantes; e do Biodôme, que reconstitui os diferentes climas e detém bichos como o nosso mico-leão-dourado, todos no Espace pour la vie (http://espacepourlavie.ca/).

Sua veia esportiva vai pulsar mais em uma visita ao Parque Olímpico (https://parcolympique.qc.ca/), onde rolaram os jogos de 1976, e ao Estádio Saputo, casa do Montreal Impact, que disputa a liga americana do nosso futebol

Plateau Mont-Royal, Montreau, Canadá

Parede é tela no Plateau Mont-Royal

Guia VT

Onde ficar

O Fairmont é o hotel onde John Lennon e Yoko tiraram as famosas fotos – na suíte 1742. O Delta fica no Quartier des Spectacles e o Alternative Backpackers tem café orgânico. 

Onde comer

Não perca o Schwartz’s, uma típica charcuterie de rua, e o Patati Patata, cujo hit é o poutine. À noite, vá ao Distillerie, que tem mais de dez drinques com vodca, e ao Foufounes Électriques.

O que fazer

Na região de Vieux-Montreal está a neogótica Notre-Dame, xará da igreja de Quebec. Se o frio apertar, compre um bom casaco na La Baie.

Saúde

Para entrar no Canadá, nenhuma vacina é obrigatória.

Línguas

Francês e Inglês.

Quando ir

Todas as estações do ano apresentam seus atrativos, dos agradáveis períodos de outono e primavera aos longos dias de verão e muitas diversões invernais, entre dezembro e fevereiro, quando os dias são mais curtos e pode fazer muito frio.

Documento

visto é exigido. Quem possui visto de turismo para os Estados Unidos pode solicitar o  eTA (eletronic Travel Authorization, autorização eletrônica de viagem).

Por Bruno Favoretto

Busque hospedagem em Montreal

Conheça também Toronto

Conheça também Vancouver

Veja tudo sobre o Canadá

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s