São Paulo: um passeio pelo Farol Santander, andar por andar

Antigo Banespa, o terceiro maior arranha-céu da capital guarda um mix de exposições permanentes e temporárias, além de bar escondido em um cofre

Por Gustavo Kolonko Atualizado em 28 jun 2021, 16h24 - Publicado em 25 jun 2021, 19h38

Na Praça Antônio Prado, a poucos passos da estação São Bento do metrô, o Edifício Altino Arantes se destaca pela franca inspiração no Empire State de Nova York. Terceiro maior arranha-céu da cidade, foi construído em 1939 e era sede do Banco do Estado de São Paulo, mais conhecido como Banespa. Atualmente, no entanto, ela atende pelo nome de Farol Santander. Reaberto ao público em 2018, o prédio de 35 andares é hoje um dos mais novos centros culturais da capital e continua recebendo as mais variadas exposições mesmo durante a pandemia. Os visitantes são recebidos com álcool em gel e medição de temperatura no hall de entrada, onde os olhos já se voltam para o lustre de 13 metros de altura. Depois disso, basta apresentar o ingresso comprado antecipadamente pelo site e pegar o elevador.

2º, 3º e 5º

A exposição permanente do prédio, intitulada “Espaço Memória”, está distribuída entre o segundo, terceiro e quinto andar. Ali, os visitantes vislumbram como era o dia a dia dos banqueiros através dos móveis originais da sala do presidente do Banespa na década de 1950, entre outros objetos da época. A ambientação fica por conta de uma sala espelhada, que projeta imagens e sons da cidade de São Paulo através do tempo. 

Depois ou mesmo durante a visita ao “Espaço Memória”, dê um pulo no quarto andar. Com materiais reciclados da própria reforma do Farol Santander, o artista plástico Vik Muniz criou painéis que formam uma fotografia panorâmica da vista ao redor do edifício. A obra foi batizada de “Vista 360º” e a sala foi repaginada em 2021, quando ganhou nova pintura e um auto-retrato de Vik Muniz.

19º e 20º

O 19º e o 20º andar são dedicados às exposições temporárias. Até 25 de julho, “A Arte Da Moda – Histórias Criativas” mostra os 170 itens reunidos ao longo de cinco anos pela curadora Giselle Padoin. Capas da Vogue da década de 1920 e peças vindas diretamente do ateliê da Dior em Paris ajudam a apresentar as relações entre arte e moda. Outro destaque são as partes do vestido de casamento da Tarsila do Amaral, cujo autorretrato de 1932 também está à mostra. 

22º e 23º

Até o final do ano, o Farol Santander deve receber no 22º e no 23º uma exposição temporária de “Alice no País das Maravilhas”, obra de Lewis Carroll que foi lançada há 156 anos. Também está prevista a mostra “Futuro Espacial”, que deve homenagear os avanços da NASA no desbravamento do universo. Independente do que estiver em cartaz, os homens não podem deixar de dar uma espiadinha no banheiro masculino do 22º, um mirante involuntário com vista exclusiva e, portanto, melhor que a do próprio topo do prédio. É possível que o banheiro feminino do mesmo andar tenha a mesma vista desobstruída para a Zona Leste, mas por motivos óbvios, não pude conferir.

Continua após a publicidade

24º

“O Jardim das Maravilhas de Miró” tomará o 24º andar até o dia 15 de agosto. Espécie de viagem a um jardim mágico repleto de flores, plantas, pássaros, insetos e estrelas, a exposição voltada ao público infantil apela para recursos lúdicos e imersivos. Ao longo de oito ambientes diferentes, objetos desenhados por Joan Miró se misturam às poesias escritas por Rafael Alberti em homenagem ao pintor. As crianças vão adorar criar um autorretrato utilizando os traços dos artistas, enquanto os intagrammers poderão tirar fotos em um espaço altamente colorido.

Espaço instagramável da exposição Farol Santander/Divulgação

26º andar

O 26º andar coroa o passeio com uma bela vista de São Paulo, apesar do espaço ser diminuto. Indicações no vidro do parapeito mostram onde estão algumas construções da cidade, como o Vale do Anhangabaú e o Mirante do Vale, mas deixam de fora várias outras que devem ser localizadas por conta própria. Do lado de dentro, uma cafeteria Suplicy recebeu decoração art déco.

Subsolo

Sobrou energia? Desça ao subsolo do prédio, onde se esconde o Bar do Cofre por Subastor. O espaço serve os mais diversos drinks e aperitivos no antigo cofre do Banespa, que recebeu decoração inspiração na São Paulo da década de 1950. O ambiente que já era intimista está ainda mais por causa da pandemia, com a capacidade reduzida pela metade. O bar abre às quartas, quintas e sextas das 16h às 21h, aos sábado das 14h às 21h e aos domingos das 14h às 20h.

O Farol Santander fica aberto de terça a domingo, das 09h às 20h. As entradas, que só podem ser adquiridas através do site oficial, custam R$ 25 (inteira) e R$ 12,50 (meia-entrada) e dão acesso a todos os espaços do edifício.

Leia tudo sobre São Paulo

Busque sua hospedagem em São Paulo

Continua após a publicidade
Publicidade