Itapemirim‌ ‌cancela‌ voos por baixa demanda antes da estreia

A empresa garantiu que seguirá as regras de reembolso e remarcação, mas passageiros prejudicados relatam falta de opções e dificuldade em contatar a aérea

Por Bruno Chaise Atualizado em 28 jun 2021, 15h51 - Publicado em 22 jun 2021, 19h59

Pouco antes do início das suas operações comerciais, previstas para começar no dia 1º de julho, a nova companhia brasileira ITA Transportes Aéreos optou por reformular sua malha aérea e cancelou uma série de voos no mês de julho. A decisão, que teria sido motivada pela baixa demanda, causou uma enxurrada de reclamações de quem já havia comprado passagem. Nas redes sociais, consumidores descontentes relataram falta de opções para remarcação e dificuldades para entrar em contato com a empresa por telefone.

Em entrevista ao jornal O Globo, o presidente da ITA, Sidnei Piva, afirmou que a readequação foi feita “para ter uma oferta condizente com o início das operações” e garantiu que os passageiros prejudicados serão reembolsados ou terão a sua viagem remarcada, conforme estipulado pela lei. Como forma de compensação extra, ele também prometeu que cada um receberá passagens de cortesia, com validade de 12 meses, para qualquer destino operado pela empresa. “O nosso compromisso de um atendimento de excelência é o coração da ITA. Assim, confirmo que faremos a reacomodação, ou o reembolso da reserva que precisou ser cancelada, conforme as regras vigentes da ANAC. Além disso, ofereço uma passagem aérea de ida e volta para cada pessoa que consta na reserva que foi modificada”, disse.

Facebook/Reprodução

Com a promessa de mais conforto, despacho gratuito de bagagem em todas as classes tarifárias e conexão direta com linhas de ônibus, a Itapemirim Transportes Aéreos (ITA) pretendia iniciar as suas operações com oito destinos em julho e 13 a partir de agosto, que seriam atendidos por um total de cinco aeronaves e 500 funcionários. Para 2022, o plano é atuar em 35 aeroportos do Brasil com 50 aviões e 2.500 colaboradores. Procurada pela Viagem e Turismo, a companhia garantiu que todas as rotas foram mantidas após a readequação da frequência de voos no mês de julho e justificou que “as mudanças fazem parte do processo estrutural para o lançamento da companhia aérea no mercado nacional”.

Dessa forma, a ITA vai operar em São Paulo-Guarulhos, Brasília, Belo Horizonte-Confins, Rio de Janeiro-Galeão, Salvador, Porto Alegre, Porto Seguro e Curitiba a partir de julho e também em Recife, Maceió, Fortaleza, Florianópolis e Natal a partir de agosto. Os voos serão realizados em aeronaves Airbus A320 com capacidade para transportar até 162 passageiros, 18 assentos a menos em relação à configuração máxima do modelo. De acordo com a companhia, isso significa que os passageiros terão entre 79 cm e 107 cm de espaço.

A nova aérea brasileira pertence ao tradicional grupo de transporte rodoviário Itapemirim, que enfrenta um processo de recuperação judicial em 8 das 14 empresas da holding que compõem o grupo. Em razão da Lei 11.101/2005, porém, a ITA não assume dívidas de outras empresas. Os passageiros que tiveram os seus voos cancelados podem entrar em contato com a empresa através do 0800 723 2121 ou pelo direct do Instagram.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade