Iphan avalia impacto das chuvas no patrimônio de Petrópolis

A cidade, que possui mais de mil construções históricas tombadas, se transformou em um imenso lamaçal; saiba como ajudar

Por Bárbara Ligero Atualizado em 18 fev 2022, 19h46 - Publicado em 18 fev 2022, 17h43

O Instituto do Patrimônio Artístico e Histórico Nacional (Iphan) anunciou na quarta-feira (16) que já está avaliando o impacto das chuvas nos cerca de mil imóveis tombados de Petrópolis. No entanto, as vistorias que foram feitas até o momento não foram conclusivas devido à dificuldade de locomoção em meio à lama e aos destroços que cobrem as ruas. A entidade afirmou que a situação pode ser agravada pelas tempestades previstas para os próximos dias e que a real dimensão do impacto só poderá ser aferida depois que o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil realizarem trabalhos fundamentais como o resgate de pessoas, a retirada de corpos e a demarcação de áreas de risco.

Para o Iphan, a chamada “Cidade Imperial” é um “museu a céu aberto” que passa por uma “crise humanitária sem precedentes na história”. Petrópolis foi fundada por Dom Pedro I e urbanizada pelo seu filho Dom Pedro II, que a transformou na sede da corte imperial durante o verão. Um dos principais marcos do Patrimônio Cultural Brasileiro, ela abriga construções da segunda metade do século 19 e do início do século 20, com estilos que vão no neoclássico ao eclético.

Segundo reportagem da Veja, a Casa da Princesa Isabel teve um de seus muros derrubados, enquanto a Praça da Águia, o primeiro andar do Palácio Rio Negro e os jardins do Palácio de Cristal foram inundados. O Theatro Dom Pedro e o Centro Cultural Dom Pedro tiveram alguns pontos de alagamento. Já Museu Imperial, o Museu Quintandinha, a Casa de Santos Dumont e o Museu Casa do Colono não sofreram danos até o momento. 

Como ajudar?

Até o momento, a tragédia já deixou ao menos 123 mortos e 370 desabrigados em Petrópolis. A prefeitura criou uma conta bancária para receber doações às vítimas das fortes chuvas que atingem a cidade deste terça-feira (15), que serão utilizadas para compra de mantimentos, roupas, cestas básicas, materiais de higiene pessoal e outros itens de necessidade. Os dados são: Banco do Brasil / PMP Petrpolis – SOS 2022 / Agência 0080 / Conta 96011-X / CNPJ 29.138.344/0001-43. A transferência também pode ser feita pelo PIX, cuja chave é o CNPJ. A prefeitura reforçou que só receberá doações por essa conta e que é importante os brasileiros estarem atentos para não caírem em golpes.

Outras entidades também vêm anunciando canais para ajudar as vítimas da tragédia. Uma delas é a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), que criou a campanha Firjan SESI Solidariedade – SOS Petrópolis para arrecadar fundos que serão utilizados na compra de itens demandados diretamente pelas autoridades locais, garantindo assim que necessidades específicas sejam atendidas. Os dados bancários são: Banco do Brasil / Agência 3309-X / Conta 6641-9 / CNPJ 03.851.171/0001-12. Já a chave PIX é sospetropolis@firjan.com.br.

Leia tudo sobre Rio de Janeiro

Continua após a publicidade

Publicidade