Além-mar Rachel Verano rodou o mundo, mas foi por Portugal que essa mineira caiu de amores e lá se vão, entre idas e vindas, quase dez anos. Do Algarve a Trás-os-Montes, aqui ela esquadrinha as descobertas pelo país que escolheu para chamar de seu

Portugal: novos programas ao ar livre em Lisboa

Novos restaurantes, novas "esplanadas", novos passeios: diferentes maneiras de usar o espaço ao ar livre que chegaram para ficar

Por Rachel Verano Atualizado em 18 jun 2021, 11h44 - Publicado em 12 Maio 2021, 11h00
A entrada do Bômau: boas novas na cidade Bruno Barata/Reprodução

O dia 16 de março de 2020 seria especial para o casal de arquitetos Kanan e Vijay Jayachandran, indianos que viveram décadas na Califórnia antes de se estabelecerem em Lisboa: a data marcaria a estreia da dupla, junto a alguns sócios, no mundo dos restaurantes. O velho sonho foi atropelado pela pandemia, com um lockdown que começou exatamente no mesmo dia marcado para a abertura das portas. Um ano depois, com algumas idas e vindas, abre e fecha de portas, o Bômau está finalmente aberto de novo: uma gostosa “esplanada” perto do Largo do Rato onde reinam sabores dos quatro cantos com uma pegada natural e sustentável que inclui a confecção de todos os pratos e ingredientes in loco, artesanalmente.

Manush: entrada leve e saborosíssima Bruno Barata/Reprodução

No menu, os sabores são variados e frescos, com boas doses de comida de afeto. O molho de pimenta que acompanha as chips de mandioca, por exemplo, é uma receita que Vijay aprendeu com a avó nos tempos de adolescência, quando ainda vivia na Índia (nos dias em que prepara, o ardor é sentido na rua!). Para começar, são escolhas certeiras o Manush, entrada com hummus, abacate, queijo halloumi grelhado (lembra o nosso coalho!) e romã sobre um fino pão árabe (€ 8), e a salada Vietnamese, um mix de folhas com pepino, hortelã, picles de malagueta e vinagrete de limão e amendoim (€ 9).

Trio de sliders: leves e saudáveis Bruno Barata/Reprodução

Entre os pratos principais, fique com a especialidade da casa: o trio de sliders (micro burgers) de sabores como peixe e capim limão (maravilhoso), feijão preto com cebola e cogumelos com chipotle (€ 12). Para encerrar, uma levíssima panacotta com mel, nozes e mirtilos. Minha recente inclinação vegetariana deu saltos de emoção, devidamente acalmados pelo ice tea (homemade, claro). “Fazemos comida de foodie para foodie”, diz a sócia Rita Romão, a alma portuguesa da casa. “Gostamos muito de comer, isso resume a nossa proposta!”

Almoço ao ar livre o Bômau: veggie e saudável Bruno Barata/Reprodução

As simpáticas mesas ao ar livre do Bômau estão muito bem acompanhadas na Lisboa de 2021, que começa a reabrir depois de um longo e severo lockdown. Tendência que chegou com a pandemia, os espaços ao ar livre se multiplicaram pela cidade, com a câmara facilitando e estimulando as concessões. As novidades estão pipocando por todo canto e o melhor: vieram para ficar (anote aí para quando as restrições de viagem acabarem!)

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Welcome & Wellness Center (@welwellcenter)

Continua após a publicidade

No Príncipe Real, o Wel Well Center, capitaneado pela jornalista brasileira Adriana Bechara, fez a sua estreia como mercearia gourmet e agora acaba de inaugurar um charmosíssimo latte bar na esquina da Rua Marcos Portugal, onde o menu tem consultoria by Andrea Kaufmann (ex-AK Vila, de São Paulo, quem lembra?). No menu, brunch aos finais de semana, saladas, burratas e refeições leves e saborosas.

A “esplanada” do Zunzum, no Terminal de Cruzeiros: Alfama como pano de fundo e uma bela área ao ar livre Bruno Barata/Reprodução

No Lx Factory, a novidade é o Borogodó, bar de sabores brasileiros com mesinhas debaixo de um varal de luzes que faz jus à alma hipster do complexo. Entre os redutos asiáticos, há pelo menos três novas esplanadas para colocar na lista: a do badaladíssimo JNcQUOI, em plena Avenida da Liberdade; a do Soão, em Alvalade, com mesinhas que avançam sobre a calçada de pedras portuguesas; e a do Ajitama Ramen Bistro. A Taberna do Mar, famosa por seu nigiri de sardinha, também cacifou seu lugar sob as estrelas, em pleno Largo da Graça. Até o herói da resistência Lux, a melhor balada lisboeta há anos e anos, caiu em tentação: fechado desde março de 2020, este mês sucumbiu e abriu sua esplanada debruçada sobre o Tejo, ao som de DJs – de quarta a sexta a partir das 17h e aos sábados e domingos, desde 14h. Não podemos ainda esquecer as novidades que nasceram na pandemia com oásis ao ar livre: o Zunzum Gastrobar, da chef Marlene Vieira, e o badalado Otro, aventura de fusão do chef Vitor Sobral.

  • Piquenique by Lisbela: você escolhe o cenário e a box cuida das comidinhas Bruno Barata/Reprodução

    Mas as novidades não se restringem aos avarandados e quetais. Pegando carona na ode aos espaços abertos, com a chegada do verão entram em cena os piqueniques – vale conhecer a proposta da Miolo, que monta mesas lindas; as boxes da Lisbela, outro projeto especial que nasceu na pandemia; e as cestas preparadas pelo Penha Longa, em Sintra, que podem ser devoradas lá mesmo, nos lindos jardins do resort. Ficou quente demais? O Lisbon Marriott acaba de lançar pacotes para não hóspedes poderem curtir a piscina!

    Leia tudo sobre Lisboa

    Reserve hospedagem em Lisboa

  •  

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade