Além-mar Rachel Verano rodou o mundo, mas foi por Portugal que essa mineira caiu de amores e lá se vão, entre idas e vindas, quase dez anos. Do Algarve a Trás-os-Montes, aqui ela esquadrinha as descobertas pelo país que escolheu para chamar de seu

O melhor do Oriente em Lisboa: restaurante Afuri

Primeira filial europeia de uma rede de Tóquio, a casa fica no coração do Chiado e é especializada em ramens

Por Rachel Verano Atualizado em 6 mar 2020, 13h42 - Publicado em 27 mar 2019, 17h38
O salão do Afuri: teto abobadado de tijolos aparentes e ares moderninhos
O salão do Afuri: teto abobadado de tijolos aparentes e ares moderninhos Bruno Barata/Reprodução

De tempos em tempos boas novas sopram do Oriente em Lisboa. Que a imigração asiática – sobretudo chinesa – invadiu a cidade já não é novidade, mas o assunto agora é comida. E do vizinho Japão, que começa a finalmente ser muito bem representado aqui.

A entrada: no coração do Chiado
A entrada: no coração do Chiado Bruno Barata/Reprodução

O Afuri, primeira unidade da marca japonesa (original de Tóquio) na Europa, abriu em agosto do ano passado com uma proposta até então inédita em Lisboa: ser um autêntico izakaya (típico bar japonês que serve comidinhas para acompanhar as bebidas) e uma casa especializada em ramen. Até tem nigiris, makis e quetais, mas o foco é o bowl fumegante. Que é, aliás, um senhor bowl.

O bar, que fica logo na entrada: drinques e saquês especiais
O bar, que fica logo na entrada: drinques e saquês especiais Bruno Barata/Reprodução

Como era de se esperar, uma parte do menu é toda dedicada ao maravilhoso universo dos ramens (todos na faixa dos € 13), cuja assinatura é um caldo fresco de redução de frango com algas, legumes e pitadas de yuzu (uma frutinha cítrica asiática que é puro frescor). Um dos carros chefes, o Yuzu Shoyu leva molho shoyo tare, carne de porco, ovo, chicória e broto de bambu. Há opções com amêijoas, alho-poró e até uma espécie de creme de trufas.

O ramen Tonkotsu Shio, à base de caldo de porco: delicioso
O ramen Tonkotsu Shio, à base de caldo de porco: delicioso Bruno Barata/Reprodução

Contrariando as regras, aceitei a sugestão do chefe de sala e pedi o Tankotsu Shio, onde o caldo é de carne de porco e os ingredientes, uma tenra fatia de carne de porco, ovo, cebolinha, cogumelo kikurage, óleo de alho preto, sementes de gergelim e picles de gengibre vermelho. “Mais saboroso”, ele disse, como quem conta um segredo. Estava divino. O caldo denso e bem temperado, a carne macia, o ovo suave.

Continua após a publicidade

Robata de mignon: ultra macia
Robata de mignon: ultra macia Bruno Barata/Reprodução

Nos aventuramos também em outras searas do menu e pedimos uma robata Gyukushi, de filé mignon, que estava ultra macia (mas ficou apagadinha na companhia dos outros pratos); um gyoza bem delicado; e um bao (aquele pãozinho fofo e úmido) recheado com pedaços empanados e crocantes de caranguejo de casca mole com aioli picante, chicória e cebolinha.

Bao de caranguejo de casca mole: pão macio, recheio crocante, molhinho delícia
Bao de caranguejo de casca mole: pão macio, recheio crocante, molhinho delícia Bruno Barata/Reprodução

Para acompanhar, escolhemos um bom vinho branco da região de Lisboa, mas o menu tem uma vasta carta de drinques e saquês que fazem jus a um izakaya que se preze.

Gyozas: delicados, com a massa fininha
Gyozas: delicados, com a massa fininha Bruno Barata/Reprodução

Para finalizar, optamos pelo tiramisù de matcha (simplesmente não posso ver uma receita com matcha que TENHO que provar). Fuééé… Foi o ponto baixo da noite. Tinha um gosto exagerado de creme de leite e quase não se percebia o chá.

O tiramisù de matcha: o gosto de creme de leite sobressai
O tiramisù de matcha: o gosto de creme de leite sobressai Bruno Barata/Reprodução

Anote ai: o Afuri fica no Chiado, na Rua Paiva de Andrada, 7-13. Uma refeição para duas pessoas, com bebida, custa cerca de € 60.

Reserve a sua hospedagem no Chiado aqui.

 

Continua após a publicidade

Publicidade