Além-mar Rachel Verano rodou o mundo, mas foi por Portugal que essa mineira caiu de amores e lá se vão, entre idas e vindas, quase dez anos. Do Algarve a Trás-os-Montes, aqui ela esquadrinha as descobertas pelo país que escolheu para chamar de seu

Guia Michelin 2020: a dança das estrelas em Portugal

Acabam de ser anunciados os restaurantes premiados pela edição 2020. Portugal ganha 5 novas estrelas, perde três e agora soma 27 endereços contemplados

Por Rachel Verano Atualizado em 26 nov 2019, 15h28 - Publicado em 21 nov 2019, 20h11
Prato do Vistas, do Chef Rui Silvestre, no Algarve: nova estrela para a conta de Portugal Bruno Barata/Reprodução

Aconteceu ontem, em Sevilha, a gala mais aguardada pela alta gastronomia portuguesa todos os anos: aquela que informa quais serão as casas premiadas na nova edição do Guia Michelin na Península Ibérica, no lançamento do famoso guia vermelho – e, portanto, as mais concorridas e badaladas do próximo ano. Em 2020, o seleto grupo é formado por 27 restaurantes que, juntos, somam 34 estrelas.

Henrique Sá Pessoa, do Alma, em Lisboa: manutenção das duas estrelas na edição 2020 Bruno Barata/Reprodução

Não foi desta vez que o país alcançou a premiação máxima das três estrelas, já tão aguardada para o Belcanto, do chef José Avillez. Tampouco houve um estardalhaço ou uma nova constelação. Mas, de pouquinho em pouquinho, como acontece a cada ano, Portugal vai dando pequenos passos. E as novidades deste ano são animadoras, especialmente nas duas maiores cidades do país.

Salão do Belcanto, em Lisboa: não foi desta vez que chegou a terceira estrela Paulo Barata/Divulgação

Para começar, o Porto tem agora mais um restaurante com duas estrelas. A Casa de Chá da Boa Nova, capitaneada pelo chef Rui Paula (e instalada numa belíssima construção assinada pelo mestre Siza Vieira), agora faz companhia ao The Yeatman, palco do chef Ricardo Costa. Com o upgrade, Portugal passa agora a contar com um total de sete casas com duas estrelas (além do duo do norte, a lista se completa com o Alma e o Belcanto, em Lisboa; os algarvios Ocean e Vila Joya; e o madeirense Il Gallo d’Oro). Há, ainda, outros dois restaurantes premiados com uma estrela no Porto: Antiqvvum e Pedro Lemos.

O chef Rui Paula e equipe em frente ao lindo projeto da Casa de Chá da Boa Nova, by Siza Vieira: o mais novo duas estrelas do país Divulgação/Divulgação
  • Em Lisboa, a maior novidade é a chegada de dois novos endereços com uma estrela: o Epur, do chef Vincent Farges, inaugurado no primeiro semestre do ano passado no Chiado; e o Fifty Seconds, do espanhol Martín Berasategui – ele sim, dono de uma constelação de estrelas – na região do Parque das Nações. Com isso, a capital passa a ter sete casas premiadas no guia: duas com duas estrelas (Alma e Belcanto) e cinco com uma (além do Epur e do Fifty Seconds, Loco, Feitoria e Eleven).

    A vista espetacular do Fifty Seconds, novo estrelado da capital, by Berasategui Divulgação/Divulgação
    Vincent Farges, do Epur: uma nova estrela no Chiado, em Lisboa Divulgação/Divulgação

    Há ainda outras duas belas novidades, que colocam nos holofotes duas regiões encantadoras do país: o Mesa de Lemos, na zona de Viseu, projeto encantador cuja cozinha é capitaneada pelo chef Diogo Rocha (com a curiosidade de só servir os vinhos produzidos na propriedade!); e o Vistas, no coração do lado mais low-profile do Algarve, quase na fronteira da Espanha. Desde que o chef Rui Silvestre assumiu o comando das panelas do restaurante do Monte Rei Golf & Country Club, em meados do ano passado, o objetivo era um só: arrematar a famosa estrela. Detalhe: é dele o recorde de mais jovem chef do país a ganhar uma estrela (aos 29 anos, no Bon Bon, em Carvoeiro, também no Algarve, na edição 2016 do guia). Dito e feito. Agora o canto mais charmoso do sul de Portugal está ainda mais bem representado, ao lado de excelentes novidades como o Grand House Hotel, na vizinha Vila Real de Santo António.

    Prato do Mesa de Lemos, na região de Viseu: primeira estrela Divulgação/Divulgação
    Criação do chef Rui Silvestre no Vistas, no Algarve: o mais novo chef a ganhar uma estrela no país agora a tem de volta Bruno Barata/Reprodução

    Em tempo: três casas perderam a sua estrela. São elas: o L’And Vineyards, com a saída do chef Miguel Laffan (que migrou para o Estoril e hoje comanda o Atlântico); o Willie’s, em Vilamoura; e o Henrique Leis, em Almancil (que, depois de 19 anos, anunciou que abdicaria da estrela, em julho deste ano).

    Leia tudo sobre Portugal

    Reserve sua hospedagem em Lisboa

    Continua após a publicidade
    Publicidade