Quase cenográfica, a estação de Vail (EUA) é uma Disney nevada

Perfeitinha, Vail fica ao redor de um rinque de patinação e tem pistas perfeitas

Por Fernando Souza Atualizado em 9 dez 2021, 12h25 - Publicado em 28 dez 2014, 12h12
COVID-19

A temporada de esqui 2021/2022 marcará um certo retorno à normalidade. Os teleféricos devem voltar a operar com capacidade máxima e as máscaras não serão mais exigidas durante o esqui e nos lifts abertos. No entanto, Vail exigirá que todos os maiores de 12 anos apresentem comprovante de vacinação contra Covid-19 para entrar em restaurantes, que devem ser reservados com antecedência. Enquanto não estiverem comendo ou bebendo, os visitantes também deverão usar máscara.

 

Uma escultura em cada esquina, predinhos de montanha sofisticados, ruas impecáveis. Quase cenográfica, Vail parece uma filial nevada da Disney. Na Solaris Plaza, o rinque de patinação está cercado de lojas bacanas, cinema, boliche, um luxuoso lodge e o toque artístico da Water Tree, árvore metálica coberta com focos que mudam de cor.

Poderosa administradora de montanhas, a Vail Resorts opera 34 resorts de esqui nos Estados Unidos e no Canadá, nos quais é a responsável pela gestão – e pelo faturamento – dos lifs, das escolas de esqui e de várias hospedagens. Mais grana, mais upgrades.

Ringue de patinação do Solaris
Ringue de patinação do Solaris. Crédito: Solaris Plaza/Reprodução

Era o meu primeiro dia de esqui sem instrutor, o que me fez perceber como o resort explora a topografia ao colocar as pistas fáceis em curvas de nível, enquanto as difíceis cortam verticalmente as beginners.

À noite, no ótimo hotel Sebastian, lambuzei-me com uma trinca de programas típicos. Da janela do quarto, eu sempre via a hot tub exalar seu vapor contra uma poética moldura de pinheiros. Apesar do frio, coloquei bermuda e roupão para ver qual era a da hidro fancy – em duas palavras, quente e relaxante.

A seguir, no restaurante Leonora, saboreei um jantar com frutos do mar estrelável. Por fim, já a caminho da cama, sofri um desvio de rota na turbulência do lobby bar Frost. Pop corrente nas caixas, trintões dançavam e bebiam a valer, curtindo a night com urgência – honrando o espírito do après ski.

Vail, Colorado, Estados Unidos
Rua da tranquila Vail, que no inverno do Hemisfério Norte reúne amantes de esqui e outros esportes na neve. Crédito: Chris McLennan/Divulgação

ONDE FICAR

Os residences do The Ritz Carlton são de primeira, bem como os do Four Seasons, que dispõe ainda de quartos e suítes de alto padrão. Afamado, o The Sebastian tem ótimo atendimento, acomodações confortáveis, hot tub cercada pela vila e um restaurante mais gourmet, o Leonora. Na Vail Square, o rinque de patinação tem a charmosa companhia do The Arrabelle. Dentro do Solaris Residences está um dos restaurantes top, o japonês Matsuhisa, do onipresente chef Nobu. Com uma pesquisa criteriosa no site Vrbo, você acha condos bem montados que são um ótimo negócio, especialmente para famílias.

Hotel Sebastian
Fachada do Hotel Sebastian. Crédito: Sebastian/Reprodução

ONDE COMER

Na parte mais agitada da vila, o agradável Sweet Basil serve steak, t-bone e cordeiro com apresentação gourmet. Gostosa e despojada, a cantina La Bottega prepara boas massas.Para comer sem gastar muito, mande ver nas pizzas da Pazzo’s e no sarado café da manhã do The Little Diner.

PARA AS CRIANÇAS

O largo da Solaris Plaza tem de tudo: patinação no gelo, CinéBistro e um dos boliches mais legais que você já viu, o Bol, ideal para um fim de tarde. Na neve, o parque Adventure Ridge reúne tubing (descida de boia), ski biking, snowmobile infantil, tirolesa e caminhada na neve.

Vail, Colorado, Estados Unidos
Vista da Solaris Plaza, com sua pista de patinação no gelo – a favorita das crianças Chris McLennan/Divulgação

OFF SKI E APRÈS-SKI

No mundo etílico, além do concorrido après do Garfinkel, ao lado da gôndola Lionshead, ninguém volta da montanha sem parar para uma cerveja no The Red Lion. À noite, a moçada vai ao pub The George (292 E Meadow Drive), enquanto a galera madura se divide entre o Red Lion, o Shakedown e o Frost, bar do hotel The Sebastian que pega no breu nos findis.

COMO CIRCULAR

Vail estende-se como uma tripa entre a montanha e a Interestadual 70, sempre a poucos minutos de um lift de esqui. Para circular entre as extremidades da vila, um ônibus grátis passa a cada dez minutos até o início da madrugada.

Uma pista preparadinha – ou groomed – desse jeito é alegria pura para os esquiadores
Uma pista preparadinha – ou groomed – desse jeito é alegria pura para os esquiadores. Crédito: Vail/Divulgação

FICHA TÉCNICA

A estação fica em Vail Valley, nas montanhas rochosas do Colorado, oeste dos Estados Unidos. A temporada de esqui costuma ir de novembro ao final de abril, mas é importante conferir as datas exatas no site oficial. Com longos trechos planos para esquiadores iniciantes, Vail também faz a alegria dos experts com seus lendários sete bowls: Sun Down, Sun Up, Teacup, China, Siberia, Inner Mongolia e Outer Mongolia Bowl. Na frente da montanha estão uma das mais extensas áreas preparadas (groomed) para esqui do mundo e a gôndola One, com assento aquecido e wifi.

Continua após a publicidade

O chamado Epic Pass dá sete dias de acesso à montanha. Para alugar equipamentos, veja uma das lojas da Vail Sports ou da Burton. As aulas podem ser reservadas com antecedência no site da Vail School. Ao comprar na hora, os preços aumentam.

China Bowl
China Bowl, uma das lendárias áreas para experts em Vail. Crédito: Vail Resort/Reprodução

As 10 melhores estações de esqui do mundo

Europa:

 Courchevel

 Chamonix

 Zermatt

 St. Moritz

 Innsbruck

 Cortina D’Ampezzo

Estados Unidos:

 Aspen

 Vail

 Jackson Hole

 Park City

Busque hospedagem no Vail

Leia tudo sobre estações de esqui nos Estados Unidos

 

Continua após a publicidade

Publicidade