Suíça cobrará pela conversão do certificado de vacinação

O país exige apresentação do documento, que custará cerca de R$ 180, para entrar em atrações turísticas

Por Bárbara Ligero Atualizado em 14 out 2021, 19h50 - Publicado em 14 out 2021, 17h06

Aberta para brasileiros vacinados desde o dia 26 de junho, a Suíça anunciou que passará a cobrar CHF$ 30 (cerca de R$ 180) para que turistas estrangeiros possam solicitar o passe sanitário. O documento comprova que seu detentor já foi totalmente vacinado contra a Covid-19, se recuperou da doença ou testou negativo recentemente – e está sendo pedido desde o dia 8 de setembro para acessar atrações turísticas, restaurantes e eventos em ambientes fechados.

A medida poderia inviabilizar a viagem de brasileiros, já que somente os certificados emitidos por países da União Europeia são válidos para obtenção do passe sanitário. Para solucionar o problema, a Suíça anunciou que até 24 de outubro o documento poderá ser substituído pelo comprovante de vacinação em inglês emitido através do Conecte SUS (veja como obter o seu aqui).

A partir do dia 25 de outubro, porém, será implementado um sistema para que turistas estrangeiros possam solicitar o passe sanitário mediante pagamento da taxa, como já vem acontecendo na França. Há um porém para aqueles que receberam a Coronavac: como a vacina ainda não foi aprovada pela Agência Europeia de Medicamentos (EMA), ela não será aceita para obtenção do documento suíço.

A solução, nesse caso específico, será realizar testes de antígeno a cada 48 horas e inserir os resultados no aplicativo do passe sanitário, que gera o QR Code solicitado na entrada dos estabelecimentos. Os exames estão sendo oferecidos gratuitamente aos viajantes estrangeiros em laboratórios credenciados. Apesar da gratuidade ser bem-vinda, a solução proposta pela Suíça ainda implica em gastos de tempo e até dinheiro dependendo de como será feito o deslocamento até o local do teste.

Aberta para brasileiros

Para ingressar na Suíça, basta apresentar o comprovante de vacinação emitido através do Conecte SUS (veja como obter o seu aqui), onde consta o nome do passageiro, a data de nascimento, o nome da vacina, as datas e o local das aplicações.

Continua após a publicidade

As vacinas aceitas atualmente são aquelas aprovadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS): Pfizer, AstraZeneca (incluindo Covishield/Fiocruz), Janssen, Moderna, Sinopharm e SinoVac (incluindo Coronavac).

Os brasileiros que ainda não foram vacinados contra a Covid-19 continuam impedidos de entrar na Suíça. As exceções são os passageiros de até 16 anos, que devem estar viajando com um responsável vacinado, e os que têm entre 16 e 18 anos, que devem apresentar resultado negativo para um exame do tipo RT-PCR.

Atualmente, a Swiss Airlines opera voos diários de São Paulo a Zurique. Caso o viajante tenha a intenção de seguir a partir da Suíça para outros países, serão válidas as regras da nação de destino. Para retornar ao Brasil, é necessário sempre apresentar o teste RT-PCR negativo e declaração de saúde (veja mais detalhes aqui).

Leia tudo sobre a Suíça

Busque hospedagem na Suíça

  • Continua após a publicidade
    Publicidade