O Volcano Bay, parque aquático de Orlando, vale a visita?

O parque aquático acaba de ser inaugurado e está enfrentando problemas de esperas longas, lotação e detalhes decorativos ainda não finalizados

Por Talita Ribeiro Atualizado em 7 jul 2021, 18h57 - Publicado em 22 jun 2017, 17h03

O Volcano Bay, da Universal, foi inaugurado em maio de 2017 e é inspirado em uma ilha paradisíaca – com um vulcão no meio, é claro -, e conta com quatro áreas cheias de atrações, como toboáguas, além de piscinas e cabanas para descanso.

Uma das grandes promessas do parque é não ter filas, por conta de um novo sistema de “fila virtual”, conectado com um tipo de relógio digital, com um visor onde aparecem algumas informações, como o tempo que falta para você poder ir à atração que deseja.

A diária desse dispositivo, chamado de TapuTapu, está incluída no ingresso, que custa US$ 67 (mais taxas), e você também pode usá-lo para alugar um armário (US$ 12) e até fazer compras e pagar por refeições dentro do parque aquático, já que é possível cadastrar o seu cartão de crédito nele, no aplicativo da Universal.

Interessante, não é? Porém, na prática, as coisas não estão funcionando tão bem.

O Taputapu é a prova d'água e te avisa quanto tempo falta para você poder aproveitar as atrações em que deseja ir
O Taputapu é a prova d’água e te avisa quanto tempo falta para você poder aproveitar as atrações em que deseja ir Divulgação/Divulgação

Volcano Bay tem problemas na inauguração

Eu visitei o Volcano Bay uma semana depois da inauguração e encontrei um parque muito bonito, com um paisagismo que chama a atenção por suas inúmeras flores e plantas naturais. Porém, ele está inacabado – com várias áreas ainda em construção -, e, pior, excessivamente cheio.

Não dava para alugar cadeiras ou cabanas, porque todas estavam reservadas, muito menos comprar o Express para “furar a fila virtual” nos brinquedos. Não havia onde sentar para descansar. Tive que ir à três áreas diferentes de armários para encontrar um disponível.

Na atração mais concorrida, um toboágua de 38 metros de altura, o tempo de espera era de 230 minutos – quase quatro horas. E, como você pode escolher apenas dois brinquedos por vez, se o “reservasse”, conseguiria aproveitar só mais um para ir com “hora marcada”.

Continua após a publicidade

Enquanto isso, poderia ficar nas piscinas com ondas ou de descanso, disputando espaço com centenas de pessoas. Ou então, encarar a fila de um dos restaurantes do parque, que estavam bem grandes.

Quando finalmente consegui ir ao meu primeiro toboágua – uma hora e meia depois de chegar ao parque -, tive que esperar um pouco mais em pé, já que ele havia parado pra manutenção nesse período e atrasado a entrada de quem reservou antes de mim. Ou seja, quase duas horas para brincar.

Há mais de 20 atrações no parque, para quem gosta de adrenalina, mas também para aproveitar com as crianças e em família
Há mais de 20 atrações no parque, para quem gosta de adrenalina, mas também para aproveitar com as crianças e em família Divulgação/Divulgação

As atrações e quando ir

Sinceramente, acho que vale a pena esperar um pouquinho para conhecê-lo, pelo menos até as férias de verão nos EUA terminarem (agosto).

Assim, você consegue aproveitar melhor as quase 20 atrações do parque, que conta ainda com um espetáculo noturno. Além dos toboáguas radicais, como o Ko’okiri Body Plunge, o primeiro no mundo a passar dentro de uma piscina cheia de gente e com uma inclinação de 70 graus.

Há áreas para crianças, com chuveirinhos e piscinas rasas, e também para famílias, como o Krakatau Aqua Coaster, uma “montanha-russa aquática”, em que você desce em um barquinho, com mais três pessoas.

Ficou com vontade de conhecer? Como ainda não há estacionamento no Volcano Bay, você pode descer no Universal Citywalk e pegar o traslado gratuito até lá. Mas lembre-se de chegar cedo, como o parque está muito concorrido, há dias em que ele alcança a lotação máxima antes das 12h e não recebe mais visitantes.

Continua após a publicidade
Publicidade