Viagens de intercâmbio poderão ser remarcadas sem custo

Clientes terão um prazo de dois anos para remarcar a viagem. Caso optem pelo cancelamento, o reembolso também terá condições mais vantajosas

Por Bárbara Ligero 30 mar 2020, 12h11

Na última sexta-feira (27), a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) anunciou ter feito um acordo com empresas de intercâmbio estudantil. O termo permite que os consumidores remarquem suas viagens de intercâmbio previstas para os próximos meses gratuitamente, tendo em vista a pandemia do novo coronavírus.

Aqueles que já tinham fechado o intercâmbio terão um prazo de dois anos para remarcar a viagem sem custo. Caso optem pelo cancelamento, os clientes terão direito ao reembolso em condições mais vantajosas que as previstas em contrato. Segundo o Senacon, 10 mil intercambistas devem ser beneficiados com a medida.

  • O acordo com firmado em parceria com o Ministério Público Federal (MPF) e tem a participação de 70% das empresas de intercâmbio brasileiras.

    Esse mês, uma Medida Provisória determinou que as companhias aéreas terão até 12 meses para reembolsar os passageiros que não puderam viajar por conta do coronavírus. Enquanto isso, uma campanha realizada pelas agências de viagem pedem que seus clientes adiem as viagens ao invés de cancelá-las como forma de evitar quebradeiras no setor.

    Leia tudo sobre coronavírus

    Continua após a publicidade
    Publicidade