Uma em 7 brasileiras planeja viajar sozinha nos próximos meses

Por Julia Latorre 6 dez 2016, 18h49

2016 não foi o ano mais encorajador para mulheres que querem viajar sozinhas. Depois do assassinato de duas jovens mochileiras argentinas no Equador, em março deste ano, o debate foi levantado sobre o real significado de viajar sozinha: o perigo é apenas por estar sozinha, ou por estar sem a companhia de um homem? A discussão provocou o surgimento da campanha #ViajoSola (Viajo Sozinha). Não bastasse essa tragédia, recentemente os noticiários deram a notícia de uma turista norte-americana que viajava “sozinha” e caiu de um penhasco na Tailândia enquanto fugia de um assédio.

Aparentemente as brasileiras não estão se deixando abater com tais atrocidades. A pesquisa de Sondagem do Consumidor, com ênfase em intenção de viajar, divulgada recentemente pelo Ministério do Turismo, aponta que uma em cada sete brasileiras que tem a intenção de viajar nos próximos meses, pretende fazer isso sozinha. O que representa 14% das mulheres que fazem planos de viagem.

+ 11 filmes que inspiram garotas a viajar pelo mundo
+ África do Sul: segurança, mulheres sozinhas e outras questões

A mesma pesquisa revela que o interesse pelas mulheres em viajar, sozinha ou acompanhada,  já foi mais alto. Em outubro de 2014, a intenção de viagem nos próximos meses manifestada pelas mulheres chegou aos 29%, caiu para os 23% em 2015 e subiu para 26% neste ano.

Quem é mulher e já viajou sozinha sabe que as mulheres têm muitas incertezas sobre a sua segurança, mas uma coisa é certa: chegar aquele lugar dos seus sonhos sozinha é uma das melhores sensações da vida.

Continua após a publicidade
Publicidade