Tudo sobre os parques do Walt Disney World Resort

Os parques temáticos, os hotéis e restaurantes: tudo que você precisa saber sobre este mundo fantástico

Por Da Redação Atualizado em 16 dez 2016, 08h36 - Publicado em 15 jun 2012, 17h22

Ele é o verdadeiro império da diversão. O Walt Disney World Resort, na Flórida, é literalmente a realização dos sonhos de crianças e adultos. São quatro parques temáticos (Magic Kingdom, Animal Kingdom, Hollywood Studios – antigo MGM – e Epcot), dois parques aquáticos (Blizzard Beach e Typhoon Lagoon), um centro comercial (Downtown Disney), cinco campos de golfe e 34 hotéis que formam um verdadeiro megacomplexo de lazer. Consagrado como um dos principais destinos turísticos do planeta, a Disney recebe cerca de 40 milhões de pessoas todos os anos. Os parques do complexo (que na verdade ficam no município vizinho de Orlando, em Lake Buena Vista) ocupam uma área de 12 200 hectares (o equivalente a duas ilhas de Manhattan), onde antes existia um pântano sem graça, e ganham novidades todos os anos, já que sempre há muita coisa sendo inventada por lá. Que digam os imagineers, engenheiros que têm a função de bolar as atrações e dar vida ao que antes só fazia parte do nosso imaginário. Pena que Walter Elias Disney não viu seu último sonho realizado. Ele morreu em 1966, cinco anos antes da inauguração do Magic Kingdom, o primeiro parque temático do pedaço.Conheça os parques temáticos, hotéis e restaurantes:Conto de fadas real

  • MAGIC KINGDOM
  • Com ruas largas e várias atrações infantis que facilitam a vida dos pais que viajam com bebês e crianças pequenas, o parque é sinônimo de destino dos sonhos: quem ainda não conhece quer ir e quem já foi faz de tudo para voltar.
  • Estão aqui: o Castelo da Cinderela, a Space Mountain (a montanha-russa no escuro), a Splash Mountain (aquele barquinho que cai na água e deixa todo mundo ensopado), os Piratas do Caribe (um giro de barco entre os bonecos mais animados) e todos os brinquedos que os pequenos amam.

Parque “cabeça”

  • EPCOT
  • Idealizado por Walt Disney como um bairro high-tech, o Epcot acabou se transformando em parque temático e hoje é considerado o mais adulto do complexo – apesar de contar com atrações para encantar também as crianças.
  • Estão aqui: a Spaceship Earth (a gigantesca esfera prateada que é símbolo do parque) e a área do World Showcase (uma homenagem, com réplicas de construções e brinquedos que fazem referência à cultura de 11 países).

Luzes, câmera, ação

  • HOLLYWOOD STUDIOS
  • Sucessos do cinema e da televisão são o foco deste parque que mudou de nome em janeiro de 2008 – é o antigo MGM Studios. Para os saudosos, ainda sobrevivem cartazes que remetem às produções cinematográficas dos anos 1930 e 1940.
  • Estão aqui: o enorme chapéu azul do Mickey Feiticeiro, o Toy Story Mania! (carrinhos com pequenos canhões que cospem imagens em terceira dimensão), a Rock’n’Roller Coaster (a famosa montanha-russa no escuro da banda Aerosmith) e o Twilight Zone Tower of Terror (o elevador que despenca do 13º andar).

O mundo é animal

  • ANIMAL KINGDOM
  • Bichos de verdade que as crianças adoram (como leões, elefantes, girafas e zebras) e outros de brinquedo, que não existem mais (como os dinossauros) são as grandes estrelas deste parque temático, que celebra a natureza
  • Estão aqui: mais de 1 700 animais de 250 espécies, a Pangani Forest Exploration Trail (uma trilha que abriga hipopótamos e gorilas) e o Maharajah Jungle Trek (que imita uma floresta do sudeste da Ásia)

O navio da montanha

  • TYPHOON LAGOON
  • Um navio pesqueiro no alto de uma montanha? Como ele foi parar ali em cima? A história contada aos visitantes é de que um tufão destruiu o pequeno vilarejo que ali existia, dando origem ao parque aquático. Tudo de mentirinha, claro.
  • Estão aqui: corais com peixes de verdade e até tubarões, o Ketchakiddee Creek (o rio relaxante com cavernas e cachoeiras), o Ketcakidee Creek (o playground para crianças de até 1,22 metro) e o Surf Pools (a gigantesca piscina de ondas artificiais).

Piscina na neve

  • BLIZZARD BEACH
  • O cenário aqui também é inusitado: muitos brinquedos parecem estar cobertos de neve. As atrações mais altas têm até aquelas cadeirinhas típicas dos teleféricos usados pelos esquiadores. A ideia é fazer de conta que o lugar foi uma estação de esqui no passado.
  • Estão aqui: o Cross Country Creek (o rio de água corrente para você percorrer em cima de uma boia), a Melt Away Bay (uma piscina com ondas movidas a motor e praia com confortáveis espreguiçadeiras e o Tike’s Peak (um playground molhado para os bem pequenos).

– – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –Compras

Continua após a publicidade
  • Lego Imagination Center, loja em Downtown Disney Lego Imagination Center, loja em Downtown Disney
  • Escultura de Buzz Lightyear no Lego Imagination Center – Foto: Eduardo Ramalho
  • DOWNTOWN DISNEY
  • O “centrinho” reúne baladas, restaurantes e as melhores lojas do complexo, entre elas, o maior estabelecimento de artigos Disney no mundo. Não esqueça a câmera: as Princesas e outros personagens-celebridades adoram aparecer por aqui.
  • Estão aqui: a Once Upon a Toy (com fantasias e jogos), a World of Disney (maior loja da Disney no planeta, com 12 salas temáticas), o Lego Imagination Center (vende todos os tipos de bloquinhos de montar da marca) e a Disney’s Candy Couldron (de docinhos e gulosiemas).

– – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –Onde ficar

  • Pop Century Resort em Orlando Pop Century Resort em Orlando
  • Disney’s Pop Century Resort, hotel instalado dentro do Walt Disney World – Foto: Divulgação
  • HOTÉIS EM ORLANDO
  • Há pelo menos 20 hotéis de todas as categorias dentro do complexo da Disney. Prolongar a experiência temática dos parques, no entanto, implica pagar em média 30% a mais pela diária que em hospedagens comuns e ainda acumular outros gastos. O custo da alimentação nos parques, salgado, se repete nos hotéis próximos a eles. E o wi-fi gratuito na região, se restringe nesse caso à área próxima ao lobby na maioria das vezes. Estar perto dos parques, por outro lado, tem vantagens que vão além da localização. Pagar as compras na fatura do hotel e pedir que elas sejam entregues no quarto estão entre as regalias dos hóspedes.
  • Quem fica na Disney ainda pode entrar nos parques uma hora antes de eles abrirem e ficar por atré três depois que fecharem (é a chamada Extra Magic Hour), tem estacionamento gratuito, traslado para o aeroporto (Magic Express) e uso livre do transporte dentro do complexo – ônibus, monorail e balsas.
  • Estão aqui: o All Star (trio de hotéis que estão entre os mais baratos do complexo), o Animal Kingdom Lodge (da janela dos quartos é possível ver as girafas), o Gran Floridian Resort & Spa (escolha unânime entre os casais em lua de mel), o Pop Century (com referências à “cultura pop”), o Port Orleans Resort (de boa relação custo-benefício) e o The Art of Animation (o mais recente lançamento)

– – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –Onde comer

  • Prato do Victoria & Albert's, restaurante do complexo Disney Prato do Victoria & Albert’s, restaurante do complexo Disney
  • Prato do Victoria & Albert’s, no Grand Floridian Resort – Foto: Divulgação
  • RESTAURANTES EM ORLANDO
  • A Disney tem planos específicos que garantem alimentação diária dentro dos parques. Como o preço é fechado, os pacotes podem ser vantajosos para quem quer planeja os gastos com antecedência. Só podem adquirir o Dining Plan aqueles que se hospedam dentro do complexo. A quantidade de refeições por dia e os tipos de restaurantes liberados entre os 100 estabelecimentos que participam do plano variam conforme a categoria. Seguindo à risca o que está previsto no pacote e fazendo as combinações “certas” (escolhendo as opções mais caras do menu e os restaurantes mais sofisticados) é possível economizar, em média, 20%. Se você não planeja fazer muitas refeições nos parques, talvez seja melhor comer de forma independente.
  • Para matar a fome fora de hora, há lanchonetes com serviço de balcão e carrinhos espalhados entre as atrações. Eles vendem frutas, fatias de pizza e coxa de peru (turkey leg), além de guloseimas clássicas como o sorvete de biscoito no formado da cabeça do Mickey (cookie ice cream) e um tipo de frozen yogurt chamado dole whip. Se você considera a possibilidade de ter um jantar mais bacana durante a viagem, lembre-se de fazer reserva nos restaurantes mais refinados. Caso contrário, corre o risco de enfrentar filas de espera de mais de uma hora. É possível garantir a mesa até 180 dias antes – peça para seu agente ou reserve pelo disneyworld.disney.go.com.
  • Comer bem pode ser uma boa desculpa para perigrinar pelos hotéis de luxo do complexo. Três deles são excelentes: o Victoria & Albert’s, no Grand Floridian Resort, tem opções no menu a preço fixo. O Jiko – The Cooking Place, no Animal Kingdom Lodge, tem uma das melhores cartas de vinho de Orlando. E o California Grill, no Contemporary Resort, tem uma vista arrebatadora do Castelo da Cinderela. Lembre-se de que as casas mais refinadas praticam uma política de dress code rígida – não use jeans nem chinelos para os jantares assinados.
  • Estão aqui: Rainforest Cafe e Yak & Yeti (no Animal Kingdom), Boulangerie Patisserie, Chefs de France e Via Napoli (no Epcot), o Cinderella’s Royal Table e o The Crystal Palace (no Magic Kingdom).

Leia mais:

Destino: Orlando ##– Hotéis, restaurantes e atrações

Inaugurada a primeira ala do novo Art of Animation Resort, na Disney

Pequeno manual de Orlando

Continua após a publicidade
Publicidade