Tudo é Hogwarts

Harry Potter em castelos, trens, cenários imaginários. Da Inglaterra à Escócia, um roteiro para ver em família os lugares mágicos do filme 

CENA 1

Um grupo de crianças caminha por uma trilha sinuosa que atravessa um gramado. Ao longe, avistam um castelo. Estão deslumbradas e ansiosas.

Tomás, de 7 anos: “Estamos em Hogwarts?”

Ao lado da muralha, Professor e sua assistente observam os alunos uniformizados. Ele esfrega as mãos.

Professor: “Bem-vindos à sua primeira aula de voo na Escola de Magia e Feitiçaria de Hogwarts! Bem, o que estão esperando? Peguem suas vassouras!”

Todos os dias, no verão, dezenas de crianças protagonizam a cena acima em um dos pátios do Castelo de Alnwick, em Northumberland, no norte da Inglaterra. Erguido há mais de 700 anos, ele abrigou, no século 14, sir Henry Percy, mais conhecido como Harry Hotspur. “Cavalheiros, a vida é curta […]. Se vivemos, vivemos para marchar sobre a cabeça de reis”, dizia ele, que virou personagem da peça Henrique IV, de Shakespeare. Mas é outro Harry, criado pela imaginação da escritora britânica J.K. Rowling, que atrai multidões de visitantes ao castelo. Foram filmadas ali cenas de Harry Potter e a Pedra Filosofal e de A Câmara Secreta, sua sequência.

No mesmo local em que hoje professor e sua assistente dão “aulas de voo”, Madame Hooch ensinou as primeiras instruções de manejo das vassouras mágicas aos bruxos Harry Potter, Ron Weasley e Hermione Granger no primeiro filme da série. No meio da tarde, surgem dos corredores do castelo o enorme Rúbeo Hagrid e o Alvo Dumbledore, o “mago dos magos”, para um divertidíssimo show para crianças e adultos. Uma oficina de fabricação de sabonetes à base de aveia poderia ser facilmente confundida com uma aula de poções. No final, um pequeno truque para fazer a foto perfeita: um pulinho na vassoura e o clique no momento certo. O resultado são as fotos de meus filhos Tomás e dos irmãos mais novos, Martin e Artur, gêmeos de 5 anos, voando contra um belo céu azul.

Nos últimos dez anos, os oito longas de Harry Potter arregimentaram legiões de fãs do mundo todo e transformaram a série em uma das mais rentáveis da história do cinema. O conjunto dos filmes arrecadou mais de US$ 7 bilhões, anunciou o estúdio Warner Bros. Pictures uma semana após a estreia de Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte 2, em julho. O filme, que encerra a saga, entrou para o seleto grupo das dez produções que ultrapassaram US$ 1 bilhão em bilheteria. Em papel, os sete livros, traduzidos em mais de 65 idiomas, venderam mais de 400 milhões de exemplares – 3 milhões no Brasil.

CENA 2

Estação de Fort William, na Escócia. Turistas se aglomeram para embarcar em um trem a vapor para Mallaig.

Chefe da estação: “Todos a bordo!”

Artur: “Posso entrar? Sou Ronnie Weasley.”

Tomás: “Claro. Sou Harry Potter. Muito prazer!”

Martin: “Uau!!!”

A locomotiva é famosa por ter se tornado, nas telas, o Expresso Hogwarts. Dentro do trem, meus filhos encenaram dezenas de vezes o encontro de Harry, Ron e Neville Longbottom, em uma adaptação – forçada pela falta de meninas na família – da cena em que os dois primeiros encontram-se com Hermione em uma das cabines desse mesmo trem, operado pela West Coast Railways. Nossa reserva nos colocou em um vagão A, de primeira classe. Para repetir a experiência exata dos bruxinhos, seria preciso estar no vagão D, onde ficam as cabines usadas no filme. A cada parada, portanto, era necessária uma corrida até lá pelos corredores para alimentar ainda mais a imaginação. Embora não haja abajures suspensos nem paredes com fotografias em tons sépia, as poltronas são exatamente as mesmas.

Todos se aglomeram nas janelas durante a travessia de 380 metros do Viaduto Glenfinnan, com seus 21 arcos, construídos entre 1897 e 1901. Em O Prisioneiro de Askaban, em uma parada abrupta sobre a ponte, Harry se depara pela primeira vez com os dementadores, figuras fantasmagóricas capazes de drenar a paz, a felicidade e as boas memórias dos seres humanos. Durante nossa viagem, nós, passageiros na vida real, acenamos para outros fãs que aguardavam do lado de fora, nos arredores do viaduto, para fotografar o Expresso Hogwarts em sua locação mais famosa.

Nos filmes, o trem parte da estação King’s Cross, em Londres. Ali, uma parede recria o pilar que, na ficção, cada estudante deve atravessar para chegar à plataforma de embarque 9¾, de onde sai o trem que os levará à escola de bruxaria. São recebidos na chegada pelo gigante Hagrid, em Hogsmeade – na verdade, uma estação de trem na pacata cidade de Goathland, no nordeste da Inglaterra. Londres ainda reúne outros cenários de Harry Potter, como a estação de St. Pancras, que serviu de ponto de partida para o carro voador da família Weasley em A Câmara Secreta. Na cena de abertura de O Enigma do Príncipe, a Ponte Millennium é destruída por um ataque dos seguidores de Voldemort, o lorde do mal. Na primeira parte de As Relíquias da Morte, os três protagonistas percorrem Piccadilly Circus, cartãopostal londrino. E, no primeiro filme, Harry e seus tios, os Dursley, visitam o zoológico. Outra das locações mais espetaculares é o Mercado Leadenhall, que deu vida às ruelas do Beco Diagonal. O mercado coberto ganhou arcadas de ferro e vidro e aleias de paralelepípedo no século 19. Dentro há lojas, bares e restaurantes. Se não fica lá a loja de varinhas de Olivares, a fachada azul da ótica serviu de cenário para o Caldeirão Furado, o bar em cujos tijolos Hagrid toca seu guarda-chuva para abrir uma passagem para o Beco Diagonal.

O sucesso da série também leva ao museu Wizardology, instalado em um casarão de mais de cinco séculos em Stratford-upon-Avon, a 150 quilômetros de Londres, onde também está a casa de Shakespeare. A “escola de magia” local fica ao final de uma escadaria repleta de caixas de varinhas mágicas que lembram as estantes de Olivares, em que Harry Potter comprou a sua. A nossa custou £ 17 (R$ 45). Enquanto se resolve o enigma na parede da sala, todos podem mexer nos fascos de poções. Na mesma sala fica uma réplica do Chapéu Seletor, que distribui os novos alunos entre as casas de Grifinória, Sonserina, Lufa-Lufa e Corvinal e entrou em ação no primeiro filme, no Salão Principal, para o banquete de abertura.

Abro aqui um parênteses para contar que esse salão é uma recriação da sala de jantar da Christ Church, a maior faculdade da Universidade de Oxford, a 85 quilômetros dali. A escadaria que conduz ao salão aparece na cena em que os novos alunos são recebidos em Hogwarts pela professora McGonagall. Ainda em Oxford encontramos a Biblioteca de Hogwarts, ou Biblioteca Duke Humphrey, e, na Escola Divinity, o hospital em que Harry e Ron se restabelecem da épica batalha de xadrez gigante.

Para quem quer mais, a Warner Bros. Promete lançar, em 2012, um tour pelos estúdios Leavesden, a cerca de 30 quilômetros de Londres, onde os filmes foram produzidos. Lá vão estar os cenários originais, figurinos e curiosidades sobre a série. Os ingressos devem começar a ser vendidos em 13 de outubro, apenas no site (www.wbstudiotour.co.uk). Ainda no mesmo mês estreia o site Pottermore (www.pottermore.com), um portal dedicado aos fãs. A saga continua!

CENA 3

Quarto de hotel em um edifício histórico de Alnwick, com uma cama de casal, uma de solteiro e um beliche. As crianças conversam sobre o dia que passou.

Artur: “Hogwarts é mesmo mágico. Começa em Alnwick e continua em Oxford…”

INGLATERRA E ESCÓCIA (44)

Ficar

Um dos maiores desafios para viagens com crianças é encontrar um quarto que acomode toda a família. Em Londres, o Comfort Inn Buckingham Palace (10 St.George’s Drive, 20/7834-2988, www.comfortinnbuckinghampalacerd.co.uk; diárias desde £ 99, sem café; Cc: A, D, M, V) tem quartos quádruplos (desde £ 149, sem café). Bem em frente ao Hyde Park, o Parkwood Hotel (4 Stanhope Place, 20/7402-2241, www.parkwoodhotel.com; diárias desde £ 79; Cc: M, V) tem quartos conjugados para famílias que custam desde £ 130. Em Alnwick, o Alnwick Youth Hostel (34-38, Green Batt, 16/6566-0800, www.yha.org.uk; diárias desde £ 38, sem café; Cc: A, D, M, V) fica em um edifício de 1856 que, em junho, transformou-se oficialmente em albergue, com a presença da rainha Elizabeth II. Em Edimburgo, na Escócia, a Robertson Guesthouse (5, Hartington Gardens, 131/229-2652, www.robertson-guesthouse.com; diárias desde £ 40) ocupa uma casa vitoriana e serve farto café da manhã.

Comer

Além dos fish and chips (peixe com fritas) de cada dia, vale tentar os restaurantes chineses, assim como os árabes e as pizzarias express. Em Londres, são boas apostas os restaurantes da rede Wagamama (20/7009-3600, www.wagamama.com), que tem dezenas de unidades pela cidade e serve delícias asiáticas, como noodles, sopas, pratos à base de arroz e ótimos sucos naturais. Outra boa alternativa é o Cha Cha Moon (15-21 Ganton Street, 20/7297-9800, www.chachamoon.com; 2ª/5ª 11h30/23h, 6ª/sáb 11h30/23h30, dom 12h/22h30), que segue o mesmo conceito asiático low cost. Em Alnwick, durante a visita ao castelo, barracas em estilo medieval vendem de cachorro-quente a milho cozido. Um café no pátio principal serve sanduíches e tortas. Para quem espera um almoço de verdade, a opção é o restaurante The Sanctuary (16/6551-0777, www.alnwickcastle.com; abr/out 10h/18h). Em Edimburgo, o The Elephant House (21, George IV Bridge, 131/220-5355, www.elphanthouse.biz; 8h/23h) serve hambúrgueres e massas. O Hanam’s (3, Johnston Terrace, EH1 2PW, 131/225-1329, www.hanams.com; 12h/0h) prepara bons kebabs e, logo ao lado, o Thai Orchid (5A, Johnston Terrace, 131/225-6633, www.thaiorchid.uk.com; 12h/0h) serve comidinhas orientais (sem pimenta!).

Passear

Londres concentra diversas atrações que serviram de cenário para os filmes da série, caso de Picadilly Circus, da Ponte Millennium e do Zoo London (Regent’s Park, Prince Albert Road, 0844-225-1826, www.zsl.org/zsl-london-zoo; jul/ago 10h/18h, set/out e mai/jun 10h/17h30, nov/abr 10h/16h; desde £ 16,60 para adultos e £ 13,20 para crianças). Uma das locações mais espetaculares é o Mercado Leadenhall (Gracechurch Street, 20/7929-1073, www.leadenhallmarket.co.uk), que deu vida às ruelas do Beco Diagonal. Em Stratford-upon-Avon fica o museu de magias Wizardology (21, Henley Street, 17/8929-0969; £ 5 e £ 2,75 para crianças). Em Oxford, as principais atrações giram em torno da Universidade de Oxford – caso da salão de banquetes da Christ Church (St. Aldates Street, 18/6527-6492, www.chch.ox.ac.uk; 2ª/sáb 9h/17h, dom 14h/17h; £ 7 e £ 4,50 para crianças) e da Escola Divinity (Catte Street, 18/6527-7224, www.bodleian.ox.ac.uk/bodley/about/visitors/individual/divinityschool; 2ª/6ª 9h/17h, sáb 9h/16h30, dom 11h/17h; £ 1). Ainda lá fica a biblioteca Duke Humphrey (Old Bodleian Library, Broad Street, 18/6527-7150, www.bodleian.ox.ac.uk/bodley/library/rooms/dh; 2ª/6ª 9h/19h, sáb 10h/16h). Em Alnwick, a atração principal é o Castelo de Alnwick (16/6551-0777, www.alnwickcastle.com; abr/out 10h/18h; Cc: A, M, V; castelo e jardim: £ 22 e £ 6 para crianças). Já na Escócia, é imperdível o passeio no Expresso Hogwarts. De Fort William, a West Coast Railways (www.westcoastrailways.co.uk/jacobite.cfm; mai/out 2ª/6ª, jun/ago 2ª/dom; bilhetes de ida e volta desde £ 31 e £ 17,50 para crianças) faz a viagem rumo a Mallaig.

Como chegar

Voam direto para Londres a TAM (0800-5705700, www.tam.com.br), desde US$ 1 359, e a British (0800-7610885, www.ba.com), desde US$ 1 230.

Quem leva

A Visual Turismo (11/3235-2000, www.visualturismo.com.br) tem pacote básico com quatro noites em Londres, desde US$ 1 577. Com visitas a Oxford e Stratford-upon-Avon, a CIT Viagens (11/3138-3535, www.citviagens.com.br) tem sete noites em Londres, desde US$ 2 720.

Leia mais:

Especial viajeaqui Londres 2012

Reino Unido: onde ficar, o que comer, o que fazer

Reino da magia – Universal

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s