Os 10 templos mais incríveis de Angkor, Camboja

O complexo arqueológico tem mais de mil construções! Veja aqui as mais interessantes para incluir na sua viagem

Angkor, no Camboja, foi a maior cidade pré-industrial do mundo, com mais de mil quilômetros quadrados de extensão, abrigando pelo menos 0,1% da população mundial entre 1010 e 1220 e com complexo sistema de infraestrutura. A cidade era capital do Império Khmer, que floresceu entre os séculos 9 e 15. A rocha era material de construção apenas para edifícios sagrados – já as construções dedicadas ao terreno (casas, lojas, etc) eram feitas de madeira e barro e não sobreviveram à ação do tempo.

Séculos depois do abandono da cidade, que ocorreu por volta de 1430, sobraram apenas as construções de pedra – e mesmo assim completamente tomadas pela natureza. A beleza da arquitetura se mistura à simbiose com as árvores centenárias que decidiram crescer entre as pedras, e forma um cenário único e impressionante.

A cidade moderna mais próxima do complexo arqueológico é Siem Reap, que está totalmente preparada para receber estrangeiros, afinal este é o principal destino turístico do Camboja. Ela fica muito próxima a Angkor – 20 minutos de bicicleta, muito menos de tuk tuk – e também tem outros charmes, como os seus ricos mercados, restaurantes que servem a rica gastronomia local com padrão internacional e pousadas incríveis, com piscinas e amenidades de primeira linha a preços bastante baixos (existem ótimas opções a menos de 15 dólares a diária).

As melhores maneiras de visitar os templos são de bicicleta ou moto (se souber dirigir), pois vans de turismo e tuk tuks contratados costumam ser muito mais assediados por vendedores de souvenir na frente dos templos mais famosos. Outra vantagem é que é mais fácil parar para ver uma atração fora da rota já programada, como uma ponte interessante, um templo menor que chamou a atenção ou mesmo macaquinhos simpáticos brincando ao longo da estrada. A pé a visita é muito cansativa, pois o lugar é enorme!

Para conhecer Angkor, é preciso comprar um passe. Existem passes de 1 dia + 1 pôr do sol (a melhor estratégia é ir comprar o ingresso na tarde anterior ao dia de visitação e já entrar para ver o pôr do sol), 3 dias + 1 pôr do sol ou 7 dias + 1 pôr do sol. Não é preciso usar os passes em dias consecutivos: o de 3 dias pode ser usado no intervalo de uma semana e o de 7 dias pode ser usado dentro de um mês. Ainda bem, porque depois de dois dias olhando pros templos e andando de um lado pro outro, é bom dar uma pausa e fazer uma atividade diferente, como visitar um dos mercados de Siem Reap, pedalar pela zona rural da cidade e relaxar na piscina do hotel.

 
https://www.google.com/maps/d/embed?mid=z67tLcG-YDrY.k_PVUb5z5mvc

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s