Nova York: delícias no sidewalk

Com produtos que vão de sanduiches de lagosta a raspadinhas chiques, os <em>food trucks </em>sao a nova – e sofisticada – mania da culinária americana

Por Luna Kalil Atualizado em 12 jul 2021, 13h30 - Publicado em 30 ago 2012, 16h15

A comida de rua vive uma nova era em Nova York. Saem os carrinhos de hot-dog e pretzel e entram os megafoods trucks, com ingredientes como lagosta e churrasco coreano. No comando, chefs e empresários antenados: o Twitter e o Facebook são usados para avisar os fãs da localização dos trucks – nem sempre a mesma. Existem cerca de 80 trucks em Nova York, mas o fenômeno não se restringe à cidade. “a moda começou a pegar em Los Angeles e aí se espalhou pelo país”, afirma David Weber, presidente da NYC Food Truck Association. Há até uma premiação da “categoria”, o Vendy Awards, cuja oitava edição ocorre neste mês. Selecionamos dez trucks que valem a visita em Nova York.

Coolhaus

Nada de cone ou copinho: aqui o sorvete e servido como um sanduiche, prensado entre dois cookies (US$ 6). O truck nasceu em Los Angeles, onde tem uma loja física, e já chegou, alem de Nova York, a Miami, Austin e Dallas. Experimente o de peanut butter (pasta de amendoim). (eatcoolhaus.com)

Kelvin Natural Slush

Kelvin é a unidade de medida usada para classificar o zero absoluto, o que, em português claro, é um frio muito além do suportável (e além do possível: corresponde a -273 graus). O truck tem esse nome para dar o destaque devido a seu principal produto, o slush, uma espécie de raspadinha chique feita com a adição de chá ou de frutas in natura, como framboesa e pêssego (peçaa o Arnold Palmer, US$ 4). Ha dois Kelvin na cidade: um móvel e outro fixo no cruzamento da Sexta Avenida com a Bleecker Street. (kelvinslush.com)

Korilla BBQ

No auge da crise americana, em 2008, Eddie Song, recém-formado em economia pela Columbia University, resolveu investir em sua paixão: barbecue coreano. Surgiu assim o Korilla BBQ, onde a carne recebe temperos coreanos (basicamente: muita pimenta). No ribeye of the tiger (US$ 7), o corte de entrecote é servido como recheio de burritos ou tacos. O truck vende cerca de mil pratos por dia e já participou do The Great Food Truck Network, uma competição na TV entre donos de food trucks. (korillabbq.com)

Morris Grilled Cheese

É muito mais do que queijo quente o que serve esse truck do chef Michael Jacober, que já trabalhou no Per Se, restaurante nova-iorquino com a cotação máxima do Guia Michelin. Vá sem medo no delicate cheese, que leva manteiga, queijo trufado e cebola (US$ 10). E acompanhe-o com o refrigerante da casa, o Morris Cola (US$ 2,50). (morrisgrilledcheese.com)

Phil’s Steak

Oriundo da Filadélfia, Jim Drew, idealizador e sócio do negocio, sempre sentiu falta em Nova York do autentico philly cheesesteak, o file com queijo tão característico de sua cidade natal. Então juntou a fome com a vontade de vender. Seu lanche recheado com carne e queijo (US$ 9) é um sucesso nos bairros cool que frequenta, como Williamsburg, no Brooklyn. Os pãezinhos são “importados” diretamente da Filadélfia. (philssteaks.com)

Red Hook Lobster Pound

E que tal trocar o hot-dog por… sanduíches de lagosta? O “Big Red” serve lanches com a iguaria, que vem envolta em um molho de maionese, páprica e cebolinha (US$ 16). O preço é mais salgado do que a média, mas as filas são menores, a trilha sonora é de primeira (muito indie rock e folk) e… nada como comer lagosta fresca por menos de 20 doletas. (redhooklobsterpound.com)

Rickshaw Dumplings

Para uma competição na New York University, os estudantes Kenny Lao e David Weber criaram um negócio de dumplings, bolinhos recheados cozidos no vapor, típicos das culinárias orientais. Deu certo: hoje têm três lojas e um truck. Pagam- se US$ 6 por uma caixinha com seis dumplings de carne de porco ou frango mais molho. (rickshawdumplings.com)

Schnitzel & Things

A estrela do menu é o schnitzel, bife empanado austríaco – há ainda de frango, vitela e bacalhau (desde US$ 9,95). O sucesso é tamanho que em 2011 surgiu o primeiro restaurante da marca, na Terceira Avenida. (schnitzelandthings.com)

Taïm Mobile

Dona de dois restaurantes na cidade, a chef israelense Einat Admony é referência com sua receita de faláfel, o bolinho árabe de grão-de-bico. O queridinho é o falafel sandwich (pão sírio, homus, salada e molho tahine; US$ 6). (taaimmobile.com)

Wafels and Dinges

Depois de largar o emprego de gerente na IBM, em 2007, o belga Thomas DeGeest apostou em uma receita típica de seu país: os waffles. Dois trucks e quatro carts (carrinhos) depois, a empresa vende cerca de 2 mil doces por dia. Destaque para o brussels wafle (US$ 5), de massa leve e crocante. (wafelsanddinges.com)

Continua após a publicidade

Le Camion Qui Fume, um dos food trucks de Paris Le Camion Qui Fume, um dos food trucks de Paris

Le Camion Qui Fume, um dos food trucks de Paris – Foto: Divulgação

NA COLA DOS TRUCKS

Dicas de como encontrá-los

GPS de comida

Dois aplicativos para smartphone ajudam a localizar os food trucks em Nova York. O gratuito Tweat.it (que também e um site) reúne os updates no Twitter dos caminhões. Já o app da New York Street Food (US$ 0,99) mostra onde estão as barraquinhas naquele momento e até onde encontrar um lugar para se sentar.

Onde eles batem ponto

  • Nos bairros universitários, como a Union Square
  • Nas saídas do High Line Park
  • No WFC Food Court, perto do Battery Park
  • Em Long Island City, no Queens
  • Em Williamsburg, no Brooklyn
  • No Bryant Park, em Midtown

Food trucks em Paris? Oui!

A capital gourmet do mundo também se rende à street food Quem diria: Paris, terra da alta gastronomia, da nouvelle cuisine e do foie gras, também se curvou ao fenômeno dos food trucks. Um dos primeiros a chegar, em 2009, foi o Le Camion Qui Fume (lecamionquifume.com), da californiana Kristin Frederick, que estudou gastronomia na cidade. O camion (foto) vende disputadíssimos hambúrgueres gourmet (€ 8), caso do campagne, que leva cogumelos selvagens e queijo gruyère. O Cantine California (cantinecalifornia.com) chegou em março e aposta em uma dieta à californiana, com muitos tacos, cupcakes e milkshakes. Vindo de San Francisco, o proprietário, Jordan Feilders, largou o mundo dos negócios nos Estados Unidos e agora estaciona diariamente seu caminhão nas redondezas do Louvre.

Leia mais:

Check-in ##– Veja outras reportagens da edição de setembro da VT

 

Compras: banho de loja em Miami e Orlando ##– Reportagem da Viagem e Turismo

 

48 Horas – Destinos Internacionais ##– Roteiros expressos pelas cidades mais incríveis do mundo

 

O que fazer em Nova York ##– Museus, compras, galerias de arte, parques…

 

Onde comer em Nova York ##– Cafés, comida de rua, feiras, chefs estrelados…

 

Onde ficar em Nova York ##– Hotéis, albergues, hostels e pousadas

 

Continua após a publicidade

Publicidade