Latam acaba com o check-in de voos nacionais

Após comprar o bilhete, o passageiro recebe na sequência o cartão de embarque; a medida não é válida para voos internacionais

A Latam descontinuou o processo de check-in de voos nacionais. Agora, após finalizar a compra o passageiro recebe o cartão de embarque na sequência e pode escolher a melhor forma: e-mail, SMS ou Whatsapp. Se da compra até o embarque acontecer alguma mudança que afete o voo, a Latam diz que o passageiro é notificado e que o bilhete dinâmico é atualizado automaticamente. No dia da viagem, outras informações são agregadas à passagem, como portão de embarque e eventual mudança de horário.

Caso tenha bagagem para despachar, o passageiro deve comparecer ao guichê ou a um totem de autoatendimento, hoje disponível nos aeroportos de Guarulhos, Brasília, Galeão e Salvador. Até o fim do ano, mais sete aeroportos devem receber o esquema self bag drop, diz a aérea. 

No caso de voos internacionais, tanto da Latam quanto de empresas parceiras, o check-in segue presencial, no guichê. Até o fechamento desta matéria, a Latam não havia informado como vai funcionar para quem não quiser pagar pelo assento no momento da compra – até então, o passageiro podia escolher gratuitamente um lugar no momento do check-in. A empresa também não informou como o passageiro deverá proceder caso queira cancelar o voo. 

A empresa também ampliou os canais de atendimento remoto e criou um esquema de notificações personalizadas em que o passageiro escolhe se quer receber atualizações sobre a viagem por WhatsApp, SMS ou e-mail. O perfil do cliente no site da Latam agora está associado ao programa fidelidade Latam Pass, o que permite compras com “um clique”. E, por último, a criação da Latam Wallet, uma carteira virtual que ainda será lançada no mercado nacional e que permite ao passageiro selecionar preferências de pagamento e personalizar a viagem.

Comentários

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

  1. Alexandro Kurovski

    Já há algum tempo que a Latam cobra pela marcação de assento mesmo no check-in. Quem não pagava recebia um assento aleatório. Espero que esse sistema não atribua assentos ruins para forçar o pagamento extra