Tudo que você precisa saber antes de ir ao Kennedy Space Center

O parque da Nasa fica perto de Orlando, nos Estados Unidos, e pode entrar no seu roteiro Disney e Universal

Os ônibus espaciais se aposentaram e não decolam mais. Além de ainda não serem realidade, as viagens de turismo espacial são extremamente caras. Estação Espacial Internacional? Disputadíssima. É preciso ter um projeto revolucionário e financiamento quase ilimitado para fazer pesquisas científicas na órbita do planeta Terra.

Pois é, está cada vez mais difícil tornar realidade aquele sonho de criança em viver aventuras – no melhor estilo Matthew McConaughey no filme “Interestelar” – no espaço. Mas isso não é um problema. Aqui mesmo, no planeta Terra, é possível vivenciar as sensações malucas que astronautas têm no momento da decolagem e na gravidade quase zero.

O Kennedy Space Center Visitor Complex (KSCVC), na Costa Espacial, Flórida, cumpre bem o seu papel de mostrar como é a vida de um astronauta no espaço. O parque temático da Nasa, a agência espacial dos Estados Unidos, transporta os cinco sentidos do visitante para o maravilhoso mundo dos exploradores espaciais. É o único lugar do mundo em que é possível visitar (mesmo de longe), como turista, uma plataforma ativa de lançamento de foguetes.

Só não vá com a expectativa de encontrar um lugar cheio de montanhas-russas e outros brinquedos alucinantes, como são os outros parques de Orlando. Mais tranquilo, o KSCVC é muito mais informativo do que radical.

Na entrada do parque, quem te recebe é um astronauta. Todos querem fazer um selfie com o “mascote” da Nasa, ignorando o fato de que, embaixo daquela roupa espacial grossa, das botas pesadas, das luvas de borracha e do capacete com viseira, em pleno clima quente e úmido da Flórida, um funcionário do parque trabalha arduamente.

Foto feita, depois de passar pelas catracas, pelos detectores de metais e pelo forte esquema de segurança, a primeira visão que se tem do KSCVC é a do Rocket Garden: uma mostra em tamanho real de foguetes que colocaram pessoas e satélites no espaço. Alguns deles são reais. No fim do jardim, há uma réplica de uma plataforma de lançamento, e os visitantes podem entrar em uma cabine de tripulantes através de uma passarela.

Perto dali, está o pavilhão Angry Birds Space Encounter – um enorme playground com dezenas de telas touchscreen e várias opções de fases do game Angry Birds Space, além de um labirinto de espelhos que pode deixar confuso qualquer astronauta experiente, e de um jogo com estilingues de verdade – a brincadeira pode virar uma gincana, já que quanto mais bichos de pelúcia você conseguir arremessar com o estilingue, mais pontos você ganha.

Todos os dias, o cinema do parque exibe dois filmes em tecnologia 3D e IMAX: um narrado por Leonardo Di Caprio sobre o telescópio Hubble, lançado para a órbita da Terra em 1990 (e responsável por fotos estonteantes do universo) e outro narrado por Tom Cruise sobre a Estação Espacial Internacional, que também está na órbita do planeta e é o principal centro de pesquisas espaciais.

O passado e o futuro estão no KSCVC: uma mostra que exibe os primórdios da exploração espacial (sem mencionar muito a corrida espacial na época da Guerra Fria) pode ser visitada no prédio Early Space Exploration. E o futuro dos astronautas é pincelado no pavilhão Exploration Space – Explorers Wanted. Cheias de painéis interativos, as duas exposições são um must see para quem curte ciência.

Em seguida, vá para a área destinada ao ônibus espacial Atlantis. Nela, é possível explorar a nave com detalhes – uma réplica dela, em tamanho real, está exposta no salão do galpão. Dá para ver até a parte de baixo da Atlantis, reforçada para ‘segurar o tranco’ das altas temperaturas na hora de retornar à atmosfera terrestre e pousar.

Tem pouco tempo? Corra para o Shuttle Launch Experience

Uma das atrações mais legais (e mais novas) do KSCVC é o Shuttle Launch Experience: o brinquedo que fica dentro do galpão da Atlantis faz o visitante experimentar as sensações da decolagem de um ônibus espacial. Antes de subir a enorme rampa, que lembra uma plataforma de lançamento, é preciso deixar seus pertences em um guarda-volumes gratuito (é meio complicado fazer o cofre do guarda-volume funcionar, mas há sempre um funcionário do parque para ajudar).

Ao entrar no brinquedo, o visitante é levado a uma espécie de sala de embarque, onde recebe, através de um vídeo, instruções de segurança de ninguém menos que o comandante Charles Bolden. O simpático administrador da NASA também conta curiosidades sobre o lançamento desses tipos de naves.

Todo mundo orientado, é hora de embarcar: os visitantes entram na cabine da tripulação, apertam os cintos e experimentam a força da decolagem do ônibus espacial – para burlar a gravidade terrestre, é preciso subir a uma velocidade de 28.164 km/h. Não adianta forçar o pescoço: a cabeça não desgruda do encostro da poltrona de jeito nenhum. Quando o simulador entra na órbita inferior do planeta, as portas do compartimento de carga se abrem e revelam imagens impressionantes da Terra a partir do espaço. Só não dá para flutuar. Aí seria demais.

Outras atrações do Parque da Nasa

Cansou das brincadeiras? No Kennedy Space Center, é possível conhecer o “lado sério” da Nasa através dos passeios de ônibus que estão inclusos no preço das entradas. Os tours levam o visitante para o Complexo de Lançamento e para o Centro Apollo/Saturn V.

O Complexo de Lançamento tem uma Armação de Observação de 18,3 metros de altura. Dali de cima, há vista panorâmica para os locais de lançamento, onde foguetes não-tripulados são enviados para o espaço. O local ainda exibe o motor de um ônibus espacial. No Centro Apollo/Saturn V, que presta um tributo aos astronautas que pisaram na Lua, o visitante revive a missão tripulada de aterrisagem na Lua, a Apollo 11. O foguete Saturn V, que impulsionou os astronautas para o espaço, foi restaurado e hoje é destaque do galpão. O módulo de comando da Apollo, onde os astronautas se encapsularam para voltar à Terra, também está em exibição. Uma coleção de trajes espaciais – alguns usados por astronautas famosos em missões mirabolantes – completa a mostra.

Querm quiser ter um almoço VIP poderá reservar cadeiras e pagar à parte para comer com um astronauta no salão Astronaut Encounter. Todos os dias, um astronauta destacado para a tarefa mostra a centenas de visitantes, com ajuda de vídeos e fotos, como é a vida no espaço. Todo o menu, que consiste em um bufê com entradas, bebidas e sobremesas, está incluso no preço do almoço.

Dicas para não dar bobeira no Kennedy Space Center

  • Fique de olho nos papéis que você receber no momento de comprar ingressos: eles indicam os horários das principais atrações, como o cinema imax e 3D, das saídas dos ônibus que fazem um tour pelo Complexo de Lançamento, e dos eventos especiais do dia. Os tours de ônibus encerram-se muito antes do fechamento do parque. Por isso, tente embarcar o quanto antes. Os horários mudam quase diariamente.
  • Tenha sempre um relógio à mão. Várias atrações têm hora marcada para começar, como o cinema e os tours de ônibus. É indicado chegar ao local com 15 minutos de antecedência.
  • Para almoçar com um astronauta, faça uma reserva ligando para 866-870-8025 ou compre tickets no site do parque.
  • Não é permitido correr pelo KSCVC. Segure as crianças!

Roteiro de um dia pelo Kennedy Space Center

Você só tem uma manhã e uma tarde para conhecer o parque da Nasa? Veja quais são as atrações principais e o tempo médio que os visitantes gastam em cada uma delas:

  • Jardim de Foguetes (Rocket Garden): 30 minutos
  • Space Shuttle Atlantis e Shuttle Launch Experience: 2 horas
  • Astronaut Encounter OU Angry Birds Space Encounter: 1 hora (também é possível dividir a visita aos dois locais e ficar 30 minutos em cada)
  • Almoço: 1 hora
  • Apollo/Saturn V e o bus tour: de 2 a 3 horas
  • Cinema imax e 3D: 1 hora
  • Exploration Space – Explorers Wanted: 30 minutos

* A repórter viajou a convite dos órgãos de turismo Visit Central Florida e Space Coast.

Comentários

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.