Homem destrói estátua da Ilha de Páscoa com sua caminhonete

As autoridades querem restrições maiores em relação à presença de veículos na ilha, que tem visto sua população aumentar ano a ano

Por Barbara Ligero 6 mar 2020, 13h24

Um morador da Ilha de Páscoa, que pertence ao Chile, foi preso no domingo (1) depois de danificar uma estátua de mais de 500 anos de idade com sua caminhonete. A escultura era um dos mil moais da ilha, esculturas em formato de cabeça que são Patrimônio da Unesco e consideradas sagradas pelos nativos.

As autoridades locais acreditam que o acidente foi causado por uma falha na hora de frear o veículo, que acabou caindo em um barranco. Ainda assim, o acidente causou revolta entre os moradores locais.

O presidente da entidade responsável pelo cuidado e conservação dos moai, Camilo Rapu, disse em entrevista ao The Guardian que acredita que o acidente possa ter sido intencional e que o dano causado é incalculável.

“Algo assim não é somente triste, é uma ofensa contra uma cultura viva que passou os últimos anos lutando para readquirir sua herança histórica e ideológica”, ele declarou.

Ilha de Páscoa, Chile
A Ilha de Páscoa possui quase mil estátuas, que foram feitas pelo povo nativo Rapa Nui há mais de 500 anos Divulgação/Divulgação

Após o caso, o prefeito da ilha, Pedro Pablo Edmunds Paoa, discute restrições à circulação de veículos perto dos monumentos. Essa seria uma segunda tentativa de aprovar a lei, que foi apresentada e recusada oito anos atrás.

Desde 2012, a população da Ilha de Páscoa aumentou de 8 mil para 12 mil habitantes, que a cada mês se somam a outros 12 mil turistas que visitam o local.

Continua após a publicidade

Publicidade