GUIA VT – Fragmentos de Indochina

O melhor do trio Camboja, Laos e Vietnã em diferentes recortes. Passeios de bicicleta, aulas de culinária, visitas a tribos, templos, santuários

Leia a reportagem completa Fragmentos de Indochina – o melhor do trio Camboja, Laos e Vietnã em diferentes recortes

CAMBOJA (855)

SIEM REAP

Ficar

A oferta de hotéis é imensa e inclui algumas das mais luxuosas redes do mundo, como a Orient Express, dona do La Residence d’Angkor (River Road, 63/963-390; diárias desde US$ 395; Cc: A, M, V), que tem uma bela piscina. Outro que figura entre os melhores é Hôtel de la Paix (Sivutha Boulevard, 63/966-000; diárias desde US$ 282; Cc: A, M, V), que tem 107 quartos. Viajantes budget também encontram ótimas opções – entre elas, o Ei8ght Rooms (Stheoung Thmey Village, 63/969-788; diárias desde US$ 18), no centrinho.

Comer

As comidas de rua (que incluem fried rice e noodles) são a melhor opção boa e barata. As barraquinhas da Rua Sivatha estão entre as melhores. O melhor café da manhã é o da Blue Pumpkin (Phlauv Pithnou; Cc: V), uma padaria e déli francesa. Vale provar o churrasco do Cambodian BBQ (Le Passage Alay, esquina com Pub Street, 63/966-052), onde você mesmo cozinha no vapor carne de jacaré, cobra, canguru…

PHNOM PENH

Ficar

A capital tem boas alternativas de hospedagem barata. Uma das melhores é o hotel Blue Lime (Phlauv 19z, 42, 23/222-260; diárias desde US$ 40), dono de uma ótima piscina cercada de lounges e almofadas. Outra boa pedida é o Boddhi Tree Umma (Phlauv 113, 50, 23/211-397; diárias desde US$ 16), com sete quartos apenas. Para quem procura mais conforto, no Amanjaya Pancam Hotel (Sisowath Quay, 1, 23/219-579; diárias desde US$ 215) uma boa parte dos 21 quartos tem vista para o Rio Mekong.

Comer

O restaurante do Foreign Correspondent’s Club (Sisowath Quay, 363, 23/724-014) propõe pratos de fusão da cozinha khmer com toques franceses. Para provar a autêntica culinária cambojana, a pedida é o Malis (Norodom Boulevard, 136, 23/221-022).

Laos Laos

Laos (/)

LAOS (856)

LUANG PRABANG

Ficar

O The Apsara (71/254-670; diárias desde US$ 80) e o Auberge Les 3 Nagas (Sakkaline Road, 71/253-888; diárias desde US$ 165) ocupam belos casarões coloniais no centrinho. Mas o hotel mais luxuoso da cidade é o La Résidence Phou Vao (71/212-194; diárias desde US$ 470; Cc: A, M, V), da grife Orient Express

Comer

Para começar o dia, a melhor pedida é tomar o café da manhã no JoMa (Chao Fa Ngum, 71/252-292), um café que serve bons croissants, muffins e sanduíches. Para provar a culinária típica, a pedida é o Tamarind (Kingkitsarat, 71/213-128). O Coconut Garden (Sisavangvong, 71/252-482) e o L’Elephant (Ban Vat Nong, 71/252-482) completam as melhores alternativas.

Bicicleta no Vietnã Bicicleta no Vietnã

Bicicleta no Vietnã (/)

VIETNÃ (84)

HANÓI

Ficar

Bom e barato, o Cinnamon Hotel (Autrieu Street, 26, 4/3938-0429; diárias desde US$ 65: Cc: A, D, M, V) tem varanda em todos os quartos. O Church Hotel (Nha Tho Street, 9, 4/3928-8118; diárias desde US$ 57,50) conta com toques orientais na decoração. Para quem prefere grandes redes, o Sofitel Metropole Hotel (Ngo Quyen Street, 15, 4/3826-6919; diárias desde US$ 242, sem café; Cc: A, D, M, V) tem quartos com TVs de tela plana e DVDs.

HO CHI MINH CITY

Ficar

Simples e bacana, o Elios Hotel (Pham Ngu Lao Street, 233, 8/3838-5584; diárias desde US$ 54) tem 90 quartos bem decorados. No topo da lista dos melhores da cidade está o Park Hyatt Saigon (Lam Son Square, 2, 8/3824- 1234; diárias desde US$ 297,50; Cc: A, D, M, V), que ocupa um edifício cercado de palmeiras.

Comer

Um dos mais concorridos restaurantes para provar as delícias típicas da cidade é o Temple Club (Ton That Thiep Street, 29, 8/3829-9244). Na região do Palácio da Reunificação, o Lion City (Le Anh Xuan Street, 45) tem curries, noodles e frutos do mar no menu.

HOI AN

Ficar

Um dos melhores locais é o hotel Ha An (Phan Boi Chau, 6-8, 510/391-4280; diárias desde US$ 55), cercado de um bonito jardim. O maior trunfo do Long Life Riverside (Nguyen Phuc Chu Street, 61, 510/391-1696; diárias desde US$ 75) é sua localização: no centro histórico, debruçado sobre o rio.

Comer

Simples e imperdível, o Bale Well (Tran Cão Van Street, 45-51) serve espetinhos de carne de porco que viram a base de rolinhos frescos que a própria dona ensina a montar na hora com folhas verdes e ervas. O Cargo Club (Nguyen Thai Hoc Street, 107-109, 510/391-1227) ocupa um belo casarão e serve refeições gourmet.

SAPA

Ficar

Boa relação custo-benefício, o Pinocchio Hotel (Muong Hoa Street, 15, 20/387-1876; diárias desde 18) tem quartos forrados de madeira e belas vistas para as montanhas da região. No Boutique Sapa Hotel (Fransipan, 41, 20/387-2727; diárias desde US$ 29), a decoração tem toques orientais e os quartos são bem amplos – têm no mínimo 40 metros quadrados.

Comer

O Viet Emotion (Cau May Street, 27, 20/387-2559) serve boas refeições típicas, além de pratos internacionais. Bolos, croissants, pães e quetais de sotaque francês são a especialidade do Baguette & Chocolat Sapa (Thac Bac Road, 20/387-1766).

Como chegar

A Qatar (11/2141-2100) leva para Ho Chi Minh desde US$ 2 291, com parada em Doha. Via Istambul, a Turkish (11/3371-9600) voa para lá desde US$ 1 850. Pela Emirates (11/5503-5000), há conexão em Dubaie Bangcok, desde US$ 2193.

Quem leva

A Raidho (11/3383-1200) tem roteiro de 13 noites pelos três países, visitando Vientiane, Luang Prabang, Hanói, Hoi An, Hue, Ho Chi Minh, Siem Reap e Phnom Penh. Há passeios guiados durante todos os dias da viagem, que inclui também uma noite em barco na Baía de Halong e refeições durante os passeios. A tarifa é desde US$ 7 294. Na Queensberry (11/3217-7600), o pacote tem 17 noites, visitando Ho Chi Minh, Danang, Hoi Na, Hue, Hanói, Halong, Luang Prabang e Siem Reap. Custa desde US$ 6 999, sem aéreo. Pela Designer Tours (11/2181-2900), o roteiro de 17 noites inclui três em Bangcoc, na Tailândia, para depois seguir para Luang Prabang, Siem Reap, Hanói, Baía Ha Long, Hue, Hoi An e Ho Chi Minh. O pacote custa desde US$ 9 775.

Baía de Halong, Vietnã Baía de Halong, Vietnã

Baía de Halong, Vietnã (/)

DOCUMENTOS

Brasileiros precisam de vistos para entrar nos três países. No Camboja e no Laos é possível solicitá-lo na chegada – o chamado visa on arrival. Mas o do Vietnã precisa ser tirado com antecedência. Quem emite é a Embaixada da República Socialista do Vietnã (SHIS, QI 9, conjunto 10, casa 1, Brasília, 61/3364-5876) – em geral demora três dias úteis e custa desde R$ 90. O procedimento pode ser encaminhado pelo correio ou pessoalmente.

DINHEIRO

A moeda do Vietnã é o Dong (US$ 1 = VND 21 000); do Laos, o Kip (US$ 1 = LAK 7 982); e, do Camboja, o Riel (US$ 1 = KHR 4 031). No Vietnã e no Laos é necessário usar as moedas locais. Já no Camboja tudo é dolarizado.

MELHOR ÉPOCA

Deve-se evitar visitar os três países durante as famosas monções, entre os meses de maio e outubro (no caso da costa centro-norte do Vietnã, até novembro, já que os temidos furacões geralmente ocorrem entre julho e novembro).

TRANSPORTES

É bastante simples se deslocar pela região: há ônibus, trens, vans de turismo e muitos voos.

LEIA MAIS:

Fragmentos de Indochina – o melhor do trio Camboja, Laos e Vietnã em diferentes recortes

Leia mais:

Fevereiro de 2012 – Edição 143

Adeus ao fantasma da guerra  

Fragmentos de Indochina

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s