Férias frustradas: vítimas de percevejos em hotel de Orlando

Vanessa e a família foram vítimas de percevejos em um quarto de hotel em Orlando

Em janeiro, viajei para Orlando e fiquei no Holiday Inn Lake Buena Vista, em Disney Springs. No oitavo dia, percebi que minha filha de 4 anos estava cheia de erupções na pele, que coçavam. Dias depois, meu marido e eu começamos com as coceiras também. O médico que consultamos aqui na volta foi taxativo: eram picadas de percevejos, que muito provavelmente estavam no colchão. Acho justo que o hotel me devolva o dinheiro.

Vanessa Nunes Tilp, Joinville, SC

Percevejos, ou bed bugs, são um problema nos Estados Unidos. Eles se reproduzem com uma velocidade espantosa, são resistentes a grande parte dos inseticidas e sobrevivem por até seis meses sem se alimentar. A presença deles não está necessariamente relacionada à má higiene: até o luxuoso Waldorf Astoria, de NY, já teve problemas com os insetos. Com tamanho médio de 4 a 7 milímetros, eles costumam se alojar nas costuras dos colchões.

O problema não está tanto nas picadas (que, apesar de serem incômodas, não transmitem doenças), e sim na facilidade com que eles podem ser transportados de um lugar a outro nas malas e nas roupas dos viajantes.

O escritório do Holiday Inn aqui no Brasil disse à VT que a seguradora do hotel já havia entrado em contato com a hóspede, e frisou que o hotel do Disney Springs “é de propriedade e operação independentes”. Vanessa confirmou que em 6 de fevereiro foi procurada pela seguradora, e repetiu a história. “Ficou por isso mesmo, nunca me retornaram”, disse ela.

Para Claudia Almeida, advogada do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), a justificativa de que o hotel tem operação independente não possui valor jurídico. “Isso não livra o escritório aqui do Brasil da responsabilidade”, diz a advogada. Vanessa já entrou com um processo na Justiça contra a agência de viagens – pelo princípio da solidariedade, quem vende o serviço também pode ser culpabilizado.

Os sites The BedBug Registry e Bedbug Reports.com registram as incidências de percevejo em hotéis dos Estados Unidos e Canadá. Ao chegar a um quarto, vistorie as “esquinas” do colchão, cortinas e molduras. Se for picado, lave toda a roupa e seque em uma secadora – a temperatura alta é o único meio de eliminar a praga.

Texto publicado na edição 259 da Revista Viagem e Turismo

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s