Férias Frustradas: “A companhia aérea quis me colocar em um voo pior”

Denise comprou passagens aéreas, mas dias depois a empresa ligou propondo que ela mudasse de um voo escala para outro com conexão

Por Da Redação Atualizado em 16 dez 2016, 07h36 - Publicado em 26 fev 2016, 00h39

Fechamos (um grupo de 13 pessoas) uma viagem para Orlando com a Gol com saída em 21 de novembro e retorno em 3 de dezembro. Contando com essas datas, fizemos reserva de hotel e aluguel de carro. Ocorre que, em 13 de agosto, a Gol ligou informando que os voos haviam sido cancelados e nos ofereceu viajar um dia antes e voltar um dia depois do programado. Em um primeiro momento, a Gol disse que arcaria com todas as diárias e refeições extras. Um dia depois, contudo, ela voltou atrás e sugeriu que embarcássemos em um voo da Delta no dia 20 de novembro à noite que faria conexão em Atlanta. Ou seja, sugeriu que trocássemos um voo de oito horas que faria uma escala por um de 13 horas com conexão. Era pegar ou arcar com todas as despesas. Estou me sentindo lesada.

Denise Vieira Mendes, Guarujá, SP

Uma semana depois de a Viagem e Turismo levar o relato de Denise ao conhecimento da Gol, a aérea retornou com uma resposta favorável: “A Gol irá ressarcir os clientes dos gastos extras com hospedagem, alimentação e traslado devido às alterações em seus voos. A companhia esclarece que sua malha aérea é dinâmica e, por isso, algumas mudanças nos trajetos, horários e datas dos voos são necessárias e sempre informadas com antecedência”. Denise foi orientada a reunir as notas fiscais de refeições e serviços e enviá-las para a empresa assim que retornasse. Caso desistisse de viajar, ela e o grupo teriam direito à restituição integral do valor das passagens.

 Revista Viagem e Turismo – edição 243 – Janeiro de 2016

Continua após a publicidade

Leia mais:

Férias Frustradas: “O carro que aluguei e paguei não estava disponível”

Férias Frustradas: “Meu voo foi cancelado e eu perdi passeios, hotel, traslado…”

Férias Frustradas: “Fui cobrada duas vezes no cartão. O que eu faço?”

Viagem sem perrengue: seus direitos; assista

Continua após a publicidade
Publicidade