Europa barata: Portugal

€ 33 é o preço de uma diária no hotel Ibis em Portugal

Por Adriana Setti Atualizado em 16 dez 2016, 00h33 - Publicado em 30 jul 2012, 18h17

Seguindo o caminho grego, o imposto sobre o valor agregado (IVA) em Portugal acaba de dar o temido salto de 13% para 23%. Mas, como na Grécia, isso pode não ser um problema. “Grande parte dos comerciantes não repercutiu nos preços o aumento do imposto para não perder clientela”, diz José Manuel Esteves, secretário-geral da Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal. É difícil prever se os restaurateurs resistirão por muito tempo, mas por ora a cozinha de autor está ao alcance do público médio. Nascido em plena crise, em 2009, o Feitoria (Altis Belém Hotel & Spa, Doca do Bom Sucesso, 351-210/400-200, restaurantefeitoria.com; 3a/sáb 12h30/15h e 19h30/23h, fecha entre os dias 7e 24 de agosto; Cc: A, M, V) é o segundo restaurante de Lisboa a ser premiado com uma estrela no Michelin (na edição de 2012) e, desde sua inauguração, conta um menu executivo que não pesa no bolso: € 45 por três pratos.

Os clássicos lisboetas também acompanham os novos tempos. No Na Ordem… (Avenida Almirante Gago Coutinho, 151, naordemcomluissuspiro.com; 2a/sáb 12h30/15h e 19h30/22h; Cc: A, D, M, V), restaurante gourmet sediado na Ordem dos Médicos e comandado pelo chef Luis Suspiro, o menu executivo com três pratos (entrada ou sopa, prato principal e sobremesa) e vinho incluído sai por € 30. Há dois anos, sem vinho e sem a pancada do aumento do IVA, ter acesso à criatividade do chef Luis Suspiro não saía por menos de € 35. O Adega Tia Matilde (Rua Beneficência, 77, adegatiamatilde.com; 2a/6a 12h30/15h e 20h/22h30, sáb 12h30/15h; Cc: A, M, V), inaugurado na década de 1920 e já na terceira geração da família proprietária, é outro que teve de se adequar à crise. Desde 2010, os preços dos pratos, à base de peixes frescos e mariscos, caíram cerca de 30%. E, como se não bastasse, a casa passou a servir meias porções. Afinal de contas, mais vale meio na mão do que um voando.

Mesas do restaurante Feitoria, em Lisboa, Portugal

Mesas do estrelado Feitoria, que tem menu executivo a um bom preço – Foto: Divulgação

Mesas livres

Nos restaurantes mais corriqueiros, as promoções assumidamente “anti-crisis”, ou “anti-troika” (apelido do trio mão de ferro formado por Banco Central Europeu, Comissão Europeia e FMI), são onipresentes. No restaurante-lounge 2Good! (Rua Duarte Pacheco Ferreira, 5E, 35-1/213-013-867, 2good.pt; 2a/5a 11h/0h, 6a/sáb 11h/2h; Cc: M, V), no bairro do Restelo, uma refeição completa custa desde € 3,95. Os nomes dos menus são sinais do apetite dos portugueses por dias melhores. O cliente pode optar por um Merkel (sobrenome da presidente alemã), um FMI… Na Deli Delux (Avenida Infante Dom Henrique, Armazém B, loja 8m, 35-1/218-862-070, delidelux.pt; 3a/6a 12h/0h, sáb 10h/0h, dom 10h/20h; Cc: A, M, V), uma sofisticada mistura de padaria, mercearia, loja gourmet e café, o badalado brunch do fim de semana agora tem uma versão econômica por € 9,50 (a versão robusta fica em € 15,90).E a esplanada com vista para o Tejo é um bônus. Nesta época de cintos apertados, ficou mais simples e fácil conseguir mesa nos endereços bombados. No Bica do Sapato (Avenida Infante Dom Henrique, Armazém B, Cais da Pedra, 35-1/218-810-320, bicadosapato.com; Cc: A, D, M, V), que tem o ator John Malkovich como sócio-proprietário, até 2008 era preciso reservar com dias de antecedência. Hoje basta telefonar algumas horas antes – inclusive em pleno sábado. O forretas.com, febre em Portugal, reúne as melhores ofertas dos sitesde pechinchas do país. Ali é possível garimpar descontos entre 50% e 90% em restaurantes (e para se cadastrar, gratuitamente, basta fornecer o e-mail e a cidade de interesse). Há também promoções em pacotes de viagem desde Lisboa que chegam a 50%. Uma viagem de sete dias à Turquia (Istambul, Capadócia e Antalya), por exemplo, em hotel quatro-estrelas, com meia-pensão e transporte incluído, saía por € 465 (o preço original era de € 999) no fim de julho. Quatro noites em um hotel quatroestrelas no Algarve custava € 67 no mesmo período (o preço antes era de € 112).

A hotelaria, aliás, está muito atraente na Terrinha. As diárias caíram, desde a crise de 2008, até 36%. As pousadas do Grupo Pestana (pousadas.pt), que tem hotéis e resorts pelopaís (e pelo Nordeste brasileiro), por exemplo, oferecem descontos de 20% para reservas antecipadas. Crianças de até 12 anos não pagam estada. Os hóspedes recebem ainda € 5 de bônus por dia para gastar com comida ou bebida e até cupons de combustível. A rede Ibis (ibis.pt), por sua vez, tem em Portugal a mais econômica de suas diárias europeias: € 33 por noite. Mesmo assim, dá desconto de 30% nos 20 hotéis que tem no país para reservas acima de três noites. Assim como no caso dos restaurantes, vale a pena garimpar ofertas na internet. Pela logitravel.pt há ótimas pedidas para o Algarve e seu mar Mediterrâneo quentinho, com diárias desde € 20 – para um apart-hotel com acesso à internet,piscina e playground a poucos metros da praia, em Albufeira, por exemplo. No concorrente algarve-hoteis.com, é possível descolar diárias com desconto de até 78% em relação ao preço no balcão.

Piscina coberta do Pestana Cascais, em Portugal

Piscina coberta do Pestana Cascais – Foto: Divulgação

Ir às compras em Portugal, sobretudo em Lisboa, também é um bom negócio. Os preços nas grandes redes internacionais, como Zara, Mango e Massimo Dutti, que já eram 25% mais baixos do que no resto do continente, ficaram mais em conta depois da crise. Na capital portuguesa, elas estão no Colombo Centro Comercial (Avenida Lusíada, 1500-392, metrô Alto dos Moinhos, 351-21/711-3600, colombo.pt; 9h/0h) – que conta ainda com uma Disney Store e a Toys “R” Us – e no Centro Vasco da Gama (Avenida Dom João II, lote 1 05 02, Parque das Nações, 351-21/893-0600, centrovascodagama.pt; 12h/23h), que tem a H&M e a loja da Nike.

Continua após a publicidade
Publicidade