O Brasil Pré-Histórico no Parque da Serra da Capivara

A Serra da Capivara tem 120 mil hectares de cânions, grutas, falésias e o principal complexo arqueológico do país!

Por Lívia Aguiar | Edição: Ludmilla Balduino Atualizado em 19 out 2021, 22h32 - Publicado em 25 fev 2016, 18h50

A paisagem inóspita, rochosa e ampla dá a sensação de que voltamos no tempo. A Serra da Capivara encanta os visitantes com seus meandros, camadas de pedra, cânions, cactos robustos típicos da caatinga e pinturas rupestres muito bem conservadas, apesar de terem mais de 6 mil anos. O Parque, um dos mais bem estruturados do país, é formado por quatro serras com trilhas de diferentes níveis de dificuldade.

O local abriga mais de 1.300 sítios arqueológicos, sendo que 172 estão abertos para visitação e 17 deles têm acesso para cadeirantes. Neles, é possível observar pinturas que registraram a fauna, a flora e o dia-a-dia de seres humanos pré-históricos. Foram encontrados vestígios humanoides com mais de 50 mil anos! Essa descoberta levantou a discussão sobre teoria arqueológica de que o homem do continente americano teria saído da Ásia e atravessado o estreito de Bering há 15 mil anos atrás.

Vestígios arqueológicos têm sido investigados na região desde a década de 1970, liderados pela arqueóloga paulista Niède Guidon, hoje diretora da Fundação do Homem Americano (Fundham), que cuida do Parque. Além dos registros humanos de milênios atrás, foram encontradas ossadas de mastodontes, tigres-dentes-de-sabre, lhamas e preguiças gigantes, e outras espécies já extintas. As melhores ossadas estão em exposição no museu da Fundham, ponto de partida para começar a exploração da região. Além dos vestígios de um Brasil arqueológico, a região também tem habitantes vivos interessantíssimos, típicos do bioma singular da caatinga. Entre os cactos, árvores retorcidas e plantas de folhas grossas, vivem tamanduás-bandeira, onças pintadas, onças pardas e tatus-bola.

Os ingressos custam R$ 25, com desconto de 50% para os brasileiros – R$ 12,50. É obrigatório contratar guias experientes para explorar a região (pagamento à parte, por grupo), que podem ser encontrados no próprio Parque, onde são treinados pelo ICMBio e pela Fundham.

A cidade mais próxima é a pequena São Raimundo Nonato, a 41km, que tem boa estrutura para receber os turistas. Nas proximidades da Serra da Capivara também há pousadas, albergues e áreas de camping.

Para chegar, é preciso sair de carro da capital Teresina e percorrer os 530 km que separam a cidade do Parque. Com as reformas das estradas dentro da Serra da Capivara, não é preciso alugar um 4×4 para aproveitar a viagem.

Mais informações por telefone/fax (89) 3582-2085, 3582-1612 e fundham@fumdham.org.br

Continua após a publicidade
Publicidade