COLECIONADORES: Canecas

Luiz pode passar mais de um ano sem repetir uma mesma caneca. Ele tem mais de 400!

Por Fabrício Brasiliense (edição) Atualizado em 16 dez 2016, 08h00 - Publicado em 6 jun 2013, 11h04

O INICIO Quando eu tinha 13 anos, comecei a notar em filmes americanos que sempre havia um tira bebendo de uma caneca; aquilo foi o clique para que eu começasse a minha coleção. Hoje tenho cerca de 430 unidades. Todas têm algo a ver com os muitos países que visitei.

CONFRARIA Costumo reunir os amigos para tomar café, cada vez com uma rodada de canecas diferentes. e gosto de investir em bons cafés, como o kopi luwak, feito com grãos comidos – e excretados – por uma espécie de gato da indonésia.

FRAGIL A dificuldade é sempre o transporte; não raro as canecas quebram na mala. Tive de ter paciência para reconstituir inteiramente uma que eu trouxe da África do Sul.

NEGOCIANDO Uma vez fiquei obcecado por uma caneca linda que vi nas mãos do recepcionista de um hotel em Casablanca, no Marrocos. Conversando, descobri que ele colecionava moedas e cédulas e não tinha nenhuma do Brasil. Acabei conseguindo a caneca por alguns reais. Ela é uma das minhas preferidas, junto com um conjunto de canecas de caveira que eu comprei no Panamá.

→ Você coleciona alguma coisa? Conte para a gente: viajantes@abril.com.br

 

Leia mais:

Check-inn ##- Veja outras reportagens da edição de JUNHO de 2013 da VT

Continua após a publicidade

Publicidade