Arquipélago dos Alcatrazes é aberto para visitantes

O local antes isolado protege cerca de 1300 espécies e agora pode ser visto por passeios de barco com a possibilidade de mergulho

Por Giovana Christ Atualizado em 18 dez 2018, 13h17 - Publicado em 17 dez 2018, 19h06

No domingo, 16 de dezembro, foi aberta visitação ao Arquipélago dos Alcatrazes, localizado a 45 km de São Sebastião, litoral norte de São Paulo. O local, que antes era fechado para proteção e por ser local de treinamento da Marinha, agora pode receber visitas de barco.

Os passeios só podem ser realizados por empresas autorizadas pelo ICMBio (Instituto Chico Mendes de Biologia) de quarta a domingo, das 8 às 10h. São permitidas visitas embarcadas (flutuação com snorkel) e o mergulho autônomo (mergulho com cilindro). Por enquanto, apenas duas empresas estão permitidas para levar turistas no trajeto (Universo Marinho e Star Norte).

O arquipélago é notado internacionalmente por sua grande biodiversidade. São 1300 espécies de fauna e flora — e, dentre elas 93 estão em extinção. Além disso, como dito no site do ICMBio, são 100 espécies de aves e 259 espécies de peixes protegidas na área de Alcatrazes.

  • Durante um ano e meio os impactos da abertura para visitação serão analisados para definir se o modo de turismo será mantido ou se terá que ser alterado. Pelo status de visitação ser provisório, é recomendável garantir a reserva com as operadoras, que dizem já ter procura de agendamentos até fevereiro.

    O secretário adjunto de Turismo de São Sebastião, Leandro Saadi, reforçou que “Além de fomentar o turismo local, com as visitações monitoradas haverá um controle mais rígido nas embarcações não autorizadas”.

    Em 2016, o arquipélago recebeu o título de Refúgio para possibilitar a maior conservação da área e preservação das espécies, compondo a única área marinha de proteção integral do litoral norte do Estado de São Paulo.

    Continua após a publicidade
    Publicidade